domingo, 5 de fevereiro de 2017

França: Eleição Presidencial - Mélenchon aceita dialogar com Benoit Hamon e forças progressistas podem se unir já no primeiro turno! - Marcos Doniseti!

França: Eleição Presidencial - Mélenchon aceita dialogar com Benoit Hamon e forças progressistas podem se unir já no primeiro turno! - Marcos Doniseti! 
Benoit Hamon venceu, de forma surpreendente, as primárias do Partidos Socialista Francês e chegou a 16% das intenções de voto. Se ele tiver o apoio de Mélenchon ele terá grandes chances de ir ao segundo turno, onde derrotaria Marine Le Pen.
O cenário da eleição presidencial que irá se realizar na França (primeiro turno será em 23 de Abril e o segundo turno acontecerá em 07 de Maio) está passando por significativas mudanças.

Em primeiro lugar, a candidatura daquele que era considerado o favorito, François Fillon (Direita Neoliberal), está naufragando devido a um escândalo que envolve o candidato e, também, a sua esposa (Penelope). Fillon indicou a esposa para ocupar empregos públicos aos quais ela nunca compareceu e nos quais ela recebeu cerca de 900 mil Euros. Nada mal...

Com isso, a candidatura de Fillon está passando por uma queda significativa nas pesquisas e ele sofre fortes pressões para renunciar à mesma, mas está resistindo. E quanto mais ele resiste, maior é o desgaste que a Direita tradicional da França sofre junto ao eleitorado. 

Além disso, as primárias do Partido Socialista Francês (PSF) terminaram com a surpreendente vitória de Benoit Hamon, candidato da ala mais esquerdista da legenda, que derrotou o favorito (Manuel Valls, ex-Primeiro-Ministro do governo de François Hollande e defensor de um programa de governo neoliberal) por 59% X 41%. 
Jean-Luc Mélenchon lidera a 'Frente de Esquerda' e chega a 11% das intenções de votos. Uma eventual aliança dele com Benoit Hamon (PSF) poderá levar este ao segundo turno, onde a vitória seria alcançada devido à imensa rejeição de Marine Le Pen. 
Desta maneira, muitos estão defendendo que se faça uma aliança entre os dois candidatos progressistas mais fortes, que são Hamon e Jean-Luc Mélenchon. Afinal, a soma das intenções de votos dos dois candidatos seria suficiente para que um deles fosse ao segundo turno, onde enfrentaria Marine Le Pen com grandes possibilidades de vitória. 

Marine Le Pen deverá ser a mais votada no primeiro turno, com cerca de 25% dos votos, mas a sua imensa rejeição fará com que o seu adversário (não importando quem será o mesmo) vença a eleição. As pesquisas mostram que qualquer adversário de Le Pen terá entre 60% e 65% dos votos. 

As pesquisas mais recentes mostram os seguintes resultados:

Marine Le Pen (Extrema-Direita) 25%;
Emmanuel Macron (Direita Moderada) 21%;
François Fillon (Direita Neoliberal) 18%;
Benoit Hamon (Socialista) 16%;
Jean Luc Mélenchon (Frente de Esquerda) 11%.

Neste final de semana, Mélenchon declarou que aceita dialogar com Benoit Hamon, o que poderá levar a formação de uma aliança entre os dois já no primeiro turno, mas que isso irá depender de algumas condições. 
Marine Le Pen defende fechar a França para a imigração, retirar o país da Zona do Euro, da União Europeia e da OTAN. Com uma plataforma tão radical será muito difícil que ela vença a eleição presidencial. 
Caso esta aliança venha a se concretizar, tudo aponta para o fato de que Mélenchon irá abrir mão da sua candidatura e irá apoiar Hamon. 

Com isso, as chances do candidato do PSF chegar ao 2o. turno irão aumentar bastante.

Sem essa união, já no primeiro turno, as forças progressistas ficarão de fora do segundo turno da eleição presidencial, o que seria um imenso retrocesso, pois neste caso o segundo turno seria disputado entre um candidato de Direita (Macron) e uma de Extrema-Direita (Marine Le Pen). 

Assim, será muito bom que Mélenchon e Hamon conseguissem se entender e elaborassem um programa de governo comum, que reforce as políticas progressistas (de distribuição de renda, de fortalecimento da Democracia e do respeito aos direitos humanos) na França.

E com a França passando a ter a um governo com um perfil claramente progressista, isso também contribuiria para que outras forças das Esquerdas democráticas, em outros países europeus, também se fortalecessem. Afinal, a França possui o segundo maior PIB da Europa e o quinto maior do Mundo e é um país que tem uma grande importância política e cultural no cenário internacional, principalmente na Europa. 
Emmanuel Macron foi ministro do governo de François Hollande e defende as mesmas políticas neoliberais que o atual Presidente francês colocou em prática. 
Do Le Parisien:

Jean-Luc Mélenchon aceita dialogar com Benoit Hamon:

Link:

http://www.leparisien.fr/elections/presidentielle/candidats-et-programmes/jean-luc-melenchon-se-dit-pret-a-travailler-avec-benoit-hamon-05-02-2017-6655962.php

Programa de governo de Marine Le Pen defende retirada do país da UE, Zona do Euro e da OTAN:

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/geral/46317/marine+le+pen+lanca+campanha+presidencial.shtml

O momento de Emmanuel Macron:

http://g1.globo.com/mundo/blog/helio-gurovitz/post/o-momento-de-emmanuel-macron.html

François Fillon desaba nas pesquisas após divulgação de escândalo:

http://expresso.sapo.pt/internacional/2017-02-02-O-escandalo-Fillon-e-a-orquestra-da-direita-que-podera-ver-o-Titanic-a-afundar-se

Nenhum comentário: