domingo, 28 de setembro de 2014

Pesquisas Datafolha e Ibope divergem nos resultados da região Centro-Oeste! - por Marcos Doniseti!

Pesquisas Datafolha e Ibope divergem nos resultados da região Centro-Oeste! - por Marcos Doniseti!

Lula e Dilma comandaram os governos que fizeram o PIB do Brasil passar do 15o. do Mundo para o 6o. maior PIB mundial. E o desemprego (média anual) despencou de 12,6% em 2002 para 5% atualmente. 

Segundo a pesquisa mais recente do Datafolha, na região Centro-Oeste (DF, GO, MT, MS) há um empate técnico entre Dilma (30%) e Marina (31%) e com Aécio alcançando 26% na região, relativamente próximo das líderes.
Porém, nas pesquisas Ibope mais recentes que foram feitas na região, os resultados foram os seguintes (entre parêntesis coloco o número de eleitores dos estados e do DF e quanto o mesmo representa do total de eleitores da região):
Eleitorado total do Centro-Oeste (10.235.000; 7,2% do total nacional):
MT (2.189.000; 21,4% ):
Dilma 42%;
Marina 19%;
Aécio 23%.
MS (1.818.000; 17,8%):
Dilma 32%;
Marina 29%;
Aécio 22%.
GO (4.331.000; 42,3%):
Dilma 35%;
Marina 28%;
Aécio 18%.
DF (1.897.000; 18,5%)
Dilma 20%;
Marina 34%;
Aécio 20%.

Como se percebe, temos o seguinte cenário no Centro-Oeste:

1) Dilma lidera com ampla vantagem no MT (com 19 p.p. de vantagem sobre Aécio e 23 p.p. de vantagem sobre Marina),
2) Dilma lidera com alguma folga em GO (que tem 42,3% dos eleitores do CO), fora da margem de erro, com 7 p.p. de vantagem sobre Marina;
3) Dilma lidera numericamente, dentro da margem de erro, no MS (32% para ela e 29% para Marina);
4) Dilma perde apenas no DF para Marina (34% X 20% para a candidata do PSB).
Mas essa desvantagem de Dilma no DF (por 14 p.p.) é anulada pela vitória folgada que a petista alcança no MT, que tem quase 300 mil eleitores a mais do que o DF e onde ela tem 23 p.p. a mais do que Marina.
Então, na soma das duas unidades da Federação, a vantagem é de Dilma, que tem no MT, sobre Marina, uma vantagem maior do que a candidata do PSB obtém, em relação à Dilma, no DF.
E Dilma alcança essa vantagem maior num estado (MT) que também possui mais eleitores do que o DF.
E depois Dilma abre uma vantagem ainda maior sobre Marina no Centro-Oeste, pois lidera com 7 p.p. a mais do que Marina em GO e com 3 p.p. a mais do que a adversária no MS. E na soma, estes dois estados alcançam 60,1% do eleitorado do Centro-Oeste.
Logo, se as pesquisas do Ibope estiverem corretas, não há como existir um empate técnico entre Dilma e Marina na região Centro-Oeste, tal como apontou a pesquisa mais recente do Datafolha.
Se o Ibope estiver certo, então Dilma lidera com alguns pontos de vantagem sobre Marina nesta região do país.
Assim, é possível concluir que Dilma já deve ter ultrapassado os 40% com os quais apareceu na pesquisa Datafolha mais recente e está mais próxima de uma vitória no 1o. turno do que a mesma mostrou.

Links:

Pesquisa Ibope em Goiás:
Miguel do Rosário analisa pesquisa Datafolha mais recente
Pesquisa Ibope no Distrito Federal:
Pesquisa Ibope no Mato Grosso:
Pesquisa Ibope no Mato Grosso do Sul:

sábado, 27 de setembro de 2014

Os governos Lula e Dilma e o combate à corrupção! - por Marcos Doniseti!

Os governos Lula e Dilma e o combate à corrupção! - por Marcos Doniseti!

Entre 2003 e 2012, a Polícia Federal promoveu 1777 operações de combate à corrupção, tráfico de drogas, pedofilia, entre muitas outras. Ela nunca foi tão atuante e combativa como nos governos Lula e Dilma. Assim é que se combate a corrupção e não empurrando os casos para embaixo do tapete, engavetando e arquivandos as investigações, como acontecia antes do governo Lula. 

Quem diz que a corrupção aumentou nos governos Lula e Dilma está muito mal informado, para dizer o mínimo.
O que aumentou, de fato, foi a investigação. A Polícia Federal passou a contar com muito mais recursos e com a autonomia necessária para se investigar e prender políticos, empresários, juízes, banqueiros, dirigentes públicos, etc, o que nunca havia acontecido na história do país.
A PF realizou o maior número de operações de investigação e de combate à corrupção da história do Brasil durante os governos Lula e Dilma (ver números e link abaixo), desmantelando vários esquemas de corrupção que já funcionavam há muitos anos, desde governos anteriores, tal como o da ‘Máfia das Ambulâncias’, por exemplo.
E o Ministério Público foi comandado por Procuradores-Gerais escolhidos por seus próprios integrantes e nenhum deles se dedicou a mandar arquivar ou a engavetar as denúncias, tal como acontecia no governo FHC.
Não se combate a corrupção com discursos demagógicos e muito menos escondendo a mesma, varrendo-a para embaixo do tapete, como se fazia antigamente, mas apurando e investigando.
Vejam o caso de Paulo Roberto da Costa: Ele foi demitido pela Presidenta Dilma e foi investigado e preso pela Polícia Federal do governo Dilma.
No governo FHC isso jamais aconteceria.
Assim é que se governa!

Número de operações da Polícia Federal entre 2003-2012:
2003 - 9;
2004 - 49;
2005 - 67;
2006 - 167;
2007 - 188;
2008 - 235;
2009 - 288;
2010 - 270;
2011 - 266;
2012 - 238.
Total - 1777 operações em 10 anos.

Link:

Datafolha confirma: Na classe C, Dilma cresce e Marina despenca! - por Marcos Doniseti!

Datafolha confirma: Na classe C, Dilma cresce e Marina despenca! - por Marcos Doniseti!

A taxa de desemprego no Brasil despencou de 11,7% em Agosto de 2002 para 5% em Agosto de 2014, acumulando uma redução de 57,3% durante os governos Lula e Dilma. 

Ontem à noite eu postei na minha página no Facebook e aqui blog um texto mostrando que a nova 'onda' nesta reta final de campanha era o crescimento de Dilma na classe C, o que estava levando a Presidenta a tirar votos de Marina neste segmento e a ampliar a vantagem sobre a candidata preferida do Itaú, dos banqueiros e dos EUA.

Na pesquisa Datafolha, a 'classe C' faz parte da chamada 'classe média intermediária' e a mesma representa 32% do eleitorado e é formada por famílias com renda entre 2 e 5 salários mínimos mensais (de R$ 1448 a R$ 3.620).

E hoje a mesma 'Folha' publica matéria que confirma exatamente o que eu havia dito, mostrando que Dilma abriu uma vantagem de 7 p.p. sobre Marina neste segmento do eleitorado, passando a ter 37%, contra 30% da candidata do PSB.

Na pesquisa anterior, Dilma e Marina tinham as mesmas intenções de voto (34%) e estavam rigorosamente empatadas junto à classe média intermediária.

Assim, a campanha de Dilma acertou em cheio em mostrar que os planos econômicos de Marina serão fortemente prejudiciais justamente à 'classe C', que se ampliou de forma significativa e que ascendeu social e economicamente durante os governos Lula e Dilma.



Entre 2003-2014 o salário mínimo foi reajustado em 262%, passsando de R$ 200 para R$ 724. E para 2015, o reajuste elevará o valor do mesmo para R$ 780, acumulando um reajuste de 290% desde 2003. 

Vamos procurar esclarecer esses eleitores mostrando que as medidas defendidas por Marina e Aécio irão resultar em arrocho salarial, recessão, aumento do desemprego, da pobreza, da miséria, na elevação dos preços das tarifas públicas (energia, telefone, combustíveis) na submissão total do Brasil aos EUA, na entrega da política econômica para o controle dos banqueiros e na perda de soberania e do controle nacional sobre as nossas riquezas, como o pré-sal. 

E para isso o papel dos militantes é fundamental, procurando conversar com os eleitores indecisos e com aqueles que ainda não estão totalmente convictos de sua escolha. 

Vamos mostrar para eles que uma eventual vitória de Marina ou de Aécio representará um gigantesco retrocesso para as camadas populares e será péssima para o país. 

E como eu já afirmei ontem, repito agora: Se este processo continuar até o dia 05 de Outubro, Dilma dificilmente deixará de vencer a eleição no 1o. turno.

Vamos à luta, companheiros e companheiras!

Links:

Datafolha: Dilma abre vantagem sobre Marina entre a classe C:

http://painel.blogfolha.uol.com.br/2014/09/27/com-ataques-a-marina-dilma-avanca-na-classe-c-que-pode-decidir-a-eleicao/

Datafolha mostra nova 'onda' na campanha presidencial, com Dilma crescendo na classe C e Marina despencando na mesma:

http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com.br/2014/09/temos-uma-nova-onda-na-campanha.html

Marina se propõe a fazer tudo o que os EUA desejam:

http://www.afp.com/pt/noticia/marina-vai-aos-eua-em-busca-de-novas-parcerias#.VCa5BlJ5Rqk.twitter

Imprensa francesa: Marina é a nova cara da Direita Neoliberal brasileira!

http://tijolaco.com.br/blog/?p=21515

Marina Silva é parte de um plano dos EUA para desestabilizar o Brasil:

http://www.institutojoaogoulart.org.br/noticia.php?id=12003

Taxa de desemprego de 5% em Agosto é a menor da história para o mês:

http://www.ocafezinho.com/2014/09/25/ibge-aponta-emprego-pleno-no-brasil/

Marina confirma: Seu governo fará tudo o que os EUA desejam! - por Marcos Doniseti!

Marina confirma: Seu governo fará tudo o que os EUA desejam! - por Marcos Doniseti!


É mais do que evidente que a candidatura de Marina atende aos interesses dos EUA no Brasil e na América Latina, que é a região que possui o maior número de governos que se recusam a se submeter às vontades do Império Ianque, como são os casos dos governos do Brasil, Argentina, Venezuela, Bolívia, Equador, Uruguai, Nicarágua, El Salvador, Cuba. 

Um assessor de Marina, Maurício Rands, foi aos EUA falar tudo o que seus patrocinadores desejam ouvir e que ela colocará em prática se for eleita:

1) Política externa que reforçará aliança com os EUA;

2) Fim do Mercosul;

3) Criação de um BC independente;

4) Assinatura de um tratado de Livre-Comércio e de Investimentos com os EUA. Isso seria o mesmo que relançar e aprofundar a ALCA, o que seria catastrófico para a economia brasileira e latino-americana;

5) Reforçar a política em favor de energias limpas. 
Motivo: O país que mais possui e domina tecnologias no setor são os EUA e os países que desejarem utilizá-las terão que pagar aos ianques, reforçando os laços de dependência e de submissão destas nações ao Império dos EUA.

Links:

Maurício Rands, assessor de Marina, vai aos EUA mostrar o que ela fará caso seja eleita:



Imprensa francesa: Marina é a 'nova cara' da Direita Neoliberal brasileira:

Temos uma nova 'onda' na campanha presidencial: A Classe C abandona Marina e volta para Dilma! - por Marcos Doniseti!

Temos uma nova 'onda' na campanha presidencial: A Classe C abandona Marina e volta para Dilma! - por Marcos Doniseti!


Os governos Lula e Dilma promoveram (entre 2003-2011) a ascensão de 40 milhões de pessoas para a chamada 'classe C', que se tornou a mais numerosa de todas. E é esta 'classe C' que, agora, está abandonando Marina e retorna para a candidatura de Dilma, o que leva ao crescimento desta em todas as pesquisas mais recentes. 

Todas as pesquisas mais recentes mostram que Dilma está crescendo e que Marina está caindo, enquanto os outros candidatos ficam estáveis, certo? Então, pode-se concluir que Dilma está conquistando os votos de eleitores que eram de Marina. 

Se este processo continuar por mais uma semana e no mesmo ritmo que vimos ocorrer nos últimos 10-15 dias, então Dilma vencerá a eleição no 1o. turno.

Mas para isso precisamos nos mobilizar e conversar com as pessoas, mostrando a importância de tudo o que elas conquistaram durante os governos Lula e Dilma e demonstrando, para elas, que tudo isso poderá ser perdido se Marina ganhar.

Durante a sua fase de ascensão na campanha, Marina conseguiu conquistar uma fatia significativa dos votos da chamada classe C, que é a mais numerosa de todas. 

Segundo a pesquisa Datafolha de 17-18 de Setembro (cujos resultados foram Dilma 37%; Marina 30%; Aécio 17%), na chamada classe média intermediária (a mais numerosa e que está inserida na classe C) Dilma tinha 35% e Marina 33%, caracterizando um empate técnico. 

Mas o plano econômico de Marina, se fosse colocado em prática, faria com que aqueles 40 milhões de pessoas que saíram da miséria durante os governos Lula e Dilma, voltassem para a mesma caso a candidata do PSB ganhe as eleições. Elas voltariam a fazer parte das classes D e E. 

Em linhas gerais, foi exatamente isso que a campanha de Dilma tratou de mostrar nas últimas semanas, ou seja, que a candidatura de Marina representa uma clara ameaça às conquistas econômicas, sociais, políticas e culturais que a classe C acumulou desde 2003, durante os governos Lula e Dilma. 

É inegável que o plano econômico de Marina é brutalmente recessivo, defende um corte brutal nos investimentos públicos e na área social, desmonta políticas públicas que estimulam os investimentos produtivos e que promovem a inclusão social (Minha Casa Minha Vida, por exemplo) e resultaria num arrocho salarial imenso e no aumento gigantesco do desemprego, da fome e da miséria. 

E é justamente isso que a classe C começou a descobrir nestas últimas semanas de campanha eleitoral. Parece que ela acordou e começou a se informar a respeito do fato de que os planos econômicos de Marina seriam catastróficos para as suas condições de vida, jogando grande parte dos seus integrantes novamente no desemprego, na fome e na miséria. E isso é tudo o que ela mais teme, é claro. 


Durante os governos Lula e Dilma, a classe C passou a contar com mais 40 milhões de integrantes, passando de 66 milhões para 105,4 milhões de integrantes. 


E da mesma forma que a 'classe C' jamais votaria num candidato como o tucano Aécio, pois o mesmo é visto como alguém que representa uma ameaça às conquistas alcançadas desde 2003, o mesmo passou a acontecer com Marina, de forma gradual e progressiva, nas últimas duas semanas de campanha eleitoral.

Aliás, é justamente por isso que Aécio fracassou nesta campanha, pois ele jamais conseguiu penetrar nessa camada intermediária da população, que é a mais numerosa de todas e que tanto melhorou de vida durante os governos Lula e Dilma. 

E agora Marina está caindo justamente na 'classe C' porque esta começou a descobrir que a sua candidatura, que defende um programa econômico neoliberal e brutalmente recessivo, também é uma ameaça às suas conquistas.

Assim, entendo que as pessoas, principalmente as da chamada 'classe C', que foi a que mais cresceu e melhorou de vida durante os governos Lula e Dilma, começaram a se dar conta disso e essa percepção está, cada vez mais, se espalhando entre a mesma e esse fenômeno ocorre em todo o país. Isso explica porque a queda de Marina nas pesquisas se dá no Brasil inteiro e de forma extremamente rápida. 

Essa é uma onda que talvez venha a ser tão forte quanto aquela que impulsionou a candidatura de Marina, nas semanas seguintes após a morte de Eduardo Campos, mas agora ela se dá em direção contrária, voltando-se contra a candidata do PSB.

Portanto, entendo que o crescimento da candidata do PT nas pesquisas mais recentes e a queda de Marina é resultado desse fenômeno: É a classe C voltando para Dilma.

E se esse fenômeno continuar por mais uma semana, como tudo indica que irá acontecer, pois essa 'onda' parece que está longe de se esgotar, então Dilma deverá se reeleger no 1o. turno.

E é para alcançar essa importante vitória que temos que continuar lutando. É apenas mais uma semana, pessoal! 

Vamos à luta, companheiros.

Obs: Matéria da 'Folha' de 27/09 confirma tudo o que escrevi acima.

http://painel.blogfolha.uol.com.br/2014/09/27/com-ataques-a-marina-dilma-avanca-na-classe-c-que-pode-decidir-a-eleicao/

Links:

Pesquisa Datafolha de 25-26 de Setembro:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/09/1523321-dilma-dobra-vantagem-e-venceria-marina-no-segundo-turno-mostra-datafolha.shtml

Pesquisa Datafolha de 17-18 de Setembro:

media.folha.uol.com.br/datafolha/2014/09/23/intencao_de_voto_presidente_classe_media_brasileira.pdf

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Ibope - Uma pesquisa nacional muito diferente das pesquisas estaduais! Alguém explica? - por Marcos Doniseti!

Ibope - Uma pesquisa nacional muito diferente das pesquisas estaduais! Alguém explica? - por Marcos Doniseti!


Enquanto a pesquisa nacional do Ibope mostrou uma oscilação, das intenções de voto em Marina, de apenas 1 p.p para baixo (de 30% para 29%) em relação à pesquisa da semana passada, as pesquisas estaduais do mesmo Ibope nos maiores eleitorados do país mostraram quedas muito mais acentuadas. 

A pesquisa nacional mais recente do Ibope sobre a sucessão presidencial mostrou os seguintes resultados:

Dilma 38% (+2);
Marina 29% (-1);
Aécio 19% (=).

Daí, vamos para as pesquisas Ibope nos principais estados brasileiros e temos o seguinte cenário para a candidatura de Marina Silva:

Em SP (1o. eleitorado do Brasil - 31.998.000) Marina perdeu 6 p.p;
Em MG (2o. eleitorado do Brasil - 15.248.000 ) ela perdeu 2 p.p;
No RJ (3o. eleitorado do Brasil - 12.141.000) ela perdeu 2 p.p; 
Na Bahia (4o. eleitorado do Brasil - 10.185.000) ela perdeu 5 p.p;
No RS (5o. eleitorado do Brasil - 8.392.000) Marina perdeu 2 p.p.
Em Pernambuco (7o. eleitorado do Brasil - 6.356.000) ela perdeu 2 p.p.;
No Ceará (8o. eleitorado do Brasil - 6.271.000) ela perdeu 6 p.p;
Em SC (10o. eleitorado do Brasil - 4.859.000) Marina perdeu 5 p.p;
Em Goiás (12o. eleitorado do Brasil - 4.331.000) Marina perdeu 6 p.p. 

Somando estes 9 estados, temos um total de 99.781.000 eleitores, o que representa 69,9% do eleitorado total do país, que é de 142.822.000

Notem que em 9 dos 12 maiores eleitorados do país, incluindo os 5 maiores (SP, MG, RJ, BA, RS) Marina perdeu entrre 2 e 6 p.p., sendo que:

1) Em 4 estados ela perdeu 2 p.p. - MG, RJ, RS, PE.
2) Em 2 estados ela perdeu 5 p.p. - BA e SC;
3) Em 3 estados ela perdeu 6 p.p. - SP, CE e GO. 

Assim, questiono:

1) Como é possível que Marina, tendo quedas tão significativas nos maiores eleitorados do país, possa ter sofrido apenas uma pequena oscilação de 30% para 29%, na pesquisa nacional do Ibope, em relação à pesquisa da semana passada?

2) Em quais estados Marina cresceu tanto, assim, para poder compensar quedas tão fortes em estados que estão entre os 12 maiores eleitorados do país e que reúnem, no total quase 100 milhões de eleitores ou 70% do total nacional? No Acre? Em Roraima? No Amapá?

Há alguma coisa muito estranha nessa pesquisa Ibope mais recente, sem dúvida alguma. 

Alguém explica?

Links:

Ibope Inteligência:

https://twitter.com/IBOPE_In

Pesquisa Ibope:

http://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,dilma-amplia-vantagem-sobre-marina-no-1-turno-no-2-ambas-obtem-41-diz-ibope,1564924

Eleitorado brasileiro por unidade da federação (Agosto de 2014):

http://www.tre-ap.jus.br/eleicoes/estatisticas/estatistica-do-eleitorado-por-regiao-uf-municipio

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Vox Populi - Dilma chega a 48,8% em votos válidos! No segundo turno, Dilma derrota Marina por 7 p.p. e ganha de Aécio com 15 p.p. de vantagem! - por Marcos Doniseti!

Vox Populi - Dilma chega a 48,8% em votos válidos! No segundo turno, Dilma derrota Marina por 7 p.p. e ganha de Aécio com 15 p.p. de vantagem! - por Marcos Doniseti!


Pesquisa Vox Populi de 20-21 de Setembro mostra a Presidenta Dilma com 48,8% dos votos válidos. E a tendência dela é de continuar crescendo, enquanto a de Marina é a de continuar em queda, o que poderá levar a atual Presidenta a se reeleger no já primeiro turno. 


É Dilma rumo à vitória no 1o. turno! 

Pesquisa Vox Populi feita neste Sábado e Domingo (20 e 21 de Setembro), e que a Rede Record deveria ter divulgado ontem, mostrou os seguintes resultados (entre parêntesis eu coloco o percentual da pesquisa anterior, de 15/09, e quanto cada um dos candidatos oscilou):

Dilma 40% (36%; subiu 4 p.p.);
Marina 22% (caiu 5 p.p.);
Aécio 17% (subiu 2 p.p.);
Outros 3%;
Brancos-Nulos 6%;
Indecisos 12%.

Em Votos Válidos:

Dilma 48,8%;
Marina 26,8%;
Aécio 20,7%;
Outros 3,7%.

2o. turno:

Dilma 46%;
Marina 39%.

Dilma 49%;
Aécio 34%.


Conclusão: No ritmo de crescimento em que a candidatura de Dilma está neste momento, e na velocidade com que Marina está caindo, o fato é que a eleição presidencial está caminhando para ser vencida por Dilma já no primeiro turno.

Até porque a famosa 'bala de prata' da oposição já foi utilizada (o caso do 'delator' da Petrobras) e a mesma não afetou em nada a imagem e a popularidade de Dilma, muito pelo contrário, ela soube muito bem como responder a essa situação, mostrando que nos governos dela e do Presidente Lula tivemos muito mais independência para que a Polícia Federal e o Ministério Público pudessem investigar os casos de corrupção e que não há, e nunca houve, nenhum "Engavetador-Geral' atuando em seu governo (e tampouco tivemos no de Lula), tal como ocorria no governo FHC. 

E o fato de que as fragilidades, equívocos, recuos e incoerências da candidatura de Marina ficaram cada vez mais claras para a população, e com a mesma apresentando e defendendo um plano de governo que seria verdadeiramente catastrófico para o país, caso o mesmo  fosse colocado em prática, não é de se surpreender que, à medida que a população brasileira foi tomando conhecimento do que a candidata do PSB representa para o país, a mesma começou a cair de forma cada vez mais rápida nas pesquisas.

Porém, Aécio mostra, até o momento, que não tem força suficiente para se beneficiar com o desmoronamento da candidatura de Marina e seu crescimento nas pesquisas parece ser claramente insuficiente para ultrapassá-la nas pesquisas e, assim, poder levá-lo a disputar o segunto turno contra a Presidenta Dilma.

Será importante acompanhar a evolução das próximas pesquisas. Nesta semana teremos a divulgação de mais uma pesquisa CNI-Ibope, outra do Datafolha e mais uma do Vox Populi/CartaCapital. 

E também será importante conferir a evolução dos candidatos a Presidente nas pesquisas feitas apenas no âmbito estadual. Se Dilma continuar crescendo nas mesmas e Marina continuar em queda, então estará mais do que evidente de que teremos chances imensas de que a eleição presidencial acabará sendo vencida por Dilma já no primeiro turno. 

Portanto, o cenário neste momento da campanha, faltando apenas 12 dias para a realização da eleição, é francamenta favorável para Dilma, que tem tudo para vencer e liquidar a eleição já no dia 05 de Outubro.

Que assim seja. 

Link:

http://noticias.r7.com/eleicoes-2014/dilma-amplia-vantagem-e-venceria-marina-no-2-turno-diz-vox-populi-23092014

sábado, 20 de setembro de 2014

Afinal, porque a classe média mais conservadora tem tanto ódio de Lula, Dilma e do PT? - por Marcos Doniseti!

Afinal, porque a classe média mais conservadora tem tanto ódio de Lula, Dilma e do PT? - por Marcos Doniseti!

O que a classe média mais deseja para desfrutar de um prestígio social elevado e poder se diferenciar dos trabalhadores assalariados? Ter seus próprios empregados domésticos. Assim, a classe média poderia vender a ideia de que havia algo em comum entre ela e a burguesia: ambos possuem empregados. Lula e Dilma estão começando a minar isso, daí o ódio mortal da classe média aos seus governos e ao PT.

No livro 'Da Revolução Industrial Inglesa ao Imperialismo', Eric Hobsbawm, o genial historiador britânico marxista e grande amigo do Presidente Lula, diz algo muito interessante que, a meu ver, ajuda a entender porque grande parte da classe média é tão reacionária, principalmente em momentos históricos nos quais os trabalhadores começam a melhorar as suas condições de vida, como acontece no Brasil neste momento. 

Em seu livro, ele diz que, na época da Revolução Industrial, muitos trabalhadores perderam os meios de produção que dispunham até aquela época (exemplos: pequenas propriedades rurais e oficinas de artesanato), limitando-se, a partir daquele momento, a ter que vender a sua força de trabalho para poder sobreviver, tornando-se uma mão-de-obra assalariada.

E a classe média, cada vez mais numerosa, o que fazia para se diferenciar dos trabalhadores assalariados? Simples: Ela mesma tornava-se empregadora, contratando empregados domésticos. 

Com tantas escolas técnicas federais, universidades e extensões universitárias construídas pelos governos Lula e Dilma, porque alguém teria, como meta de vida, ser um empregado doméstico (cujo trabalho é digno e honrado, sem dúvida alguma) de uma classe média com mentalidade escravocrata? É muito melhor se esforçar, estudar bastante e virar médico, advogado, engenheiro...

Oras, como sabemos muito bem, os governos Lula e Dilma começaram um processo de inclusão social, política e econômica que tem, como um dos seus principais resultados, o acesso de uma parcela crescente dos trabalhadores assalariados brasileiros ao ensino técnico e, também, ao ensino superior completo, devido à adoção de programas como o Pronatec, a construção de 422 Escolas Técnicas Federais, a criação do ProUni, a ampliação do Fies, a política de cotas para ingresso nas Universidades Públicas, a expansao das Universidades Federais (18 novas foram construídas em 12 anos), bem como a aprovação da PEC das Domésticas. 

Com isso, um número cada vez maior de pessoas irá seguir uma carreira profissional que exige conhecimento e qualificação profissionais. E daí não haverá mais tantas pessoas dispostas a trabalhar como empregados domésticos. Afinal, porque ser um empregado doméstico, se uma pessoa com força de vontade e talento poderá se tornar médico, advogado ou engenheiro? Ou ainda poderá abrir seu próprio negócio, graças aos empréstimos com juros baixos (subsidiados) do BNDES? 

O ProUni já beneficiou mais de 1.920.000 estudantes entre 2005 e 2013. E com tantas pessoas chegando à faculdade e se formando, é claro que não haverá mais tantos empregados domésticos disponíveis para a classe média explorar, né?

Então, a classe média sabe que se esse processo de mudanças, que foi iniciado por Lula e que tem continuidade com Dilma, prosseguir, será cada vez mais difícil contratar empregados domésticos, certo? Aliás, já não são conhecidos casos de domésticas que voltaram a estudar e conseguiram se formar em cursos técnicos e até em faculdades? 

Então, o que incomoda muito a classe média brasileira mais conservadora (e que sempre teve empregados domésticos em abundância à sua disposição) é que justamente aquele fator que permitia que ela se diferenciasse dos trabalhadores assalariados, que é o fato dela ter condições de possuir empregados domésticos, não será mais viável caso as atuais mudanças que se desenvolvem no país continuem. 

Como se não bastasse o número de empregados domésticos estar diminuindo, eles ainda passaram a contar com uma série de direitos trabalhistas, devido à aprovação da PEC das Domésticas (PEC 66). Para a classe média de mentalidade escravista, isso é obra de comunista, é claro. 

E daí essa classe média terá que se olhar no espelho e se ver como ela realmente é: uma classe intermediária, que pode até desfrutar de boas condições materiais de vida, mas que não terá mais à sua disposição aquele elemento que permitia que ela se diferenciasse das classes assalariadas e que fazia com que ela se identificasse muito mais com a burguesia endinheirada do que com os trabalhadores assalariados. 

Isso ajuda a explicar, no meu entendimento, muito do ódio que essa classe média tradicional e reacionária expressa contra Lula, Dilma e o PT. 


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Marina Silva e seu plano para destruir o Brasil - por Marcos Doniseti!

Marina Silva e seu plano para destruir o Brasil - por Marcos Doniseti!


Marina e seus assessores, como Walter Feldman, tem um plano muito bem elaborado... para destruir o Brasil. 

Marina e seus assessores disseram, nesta campanha, que: 

1) O pré-sal ficará em segundo plano, reduzindo-se substancialmente os investimentos no mesmo; 

2) Os militares ajudaram na transição democrática (como? assassinando o Vladimir Herzog?);

3) O Banco Central deve ser independente, entregando-o ao controle dos bancos, que terão o controle total da política econômica do governo;

4) A política de conteúdo nacional do petróleo será revista, ou seja, irá acabar, destruindo com a indústria de construção naval do Brasil, que foi reconstruída pelos governos Lula e Dilma e que já é a 4a. maior do mundo;

5) Irá mexer na CLT, sem entrar em detalhes sobre o que irá mudar;

6) É contra a revisão da Lei da Anistia, que se fosse aprovada faria com que os torturadores da Ditadura Militar pudessem ser julgados e condenados, acabando com a impunidade dos mesmos;

7) Os bancos públicos (BNDES, BB, CEF) devem ser enfraquecidos, abrindo espaço para os bancos privados, que cobram taxas de juros muito maiores;

8) A política externa deve mudar, com o Brasil voltando a ser inteiramente submisso aos EUA;

9) Serão cortados R$ 100 bilhões em gastos públicos apenas no primeiro ano de governo, principalmente em infra-estrutura e na área social;

10) Universidades Públicas devem passar a cobrar mensalidades;

11) Superávit Primário tem que subir, o que irá exigir imensos corte de gastos em investimentos públicos em infra-estrutura e na área social;

12) Gastos com a área social, com o funcionalismo público e com a Previdência Social são muito elevados e precisam ser cortados;

13) O Regime de Partilha do pré-sal irá acabar, sendo que o mesmo garante 75% da renda líquida para o Estado brasileiro.

Todas essas afirmações foram feitas por Marina Silva e seus assessores autorizados (Walter Felman, Alexandre Rands, Eduardo Gianetti da Fonseca) e divulgadas pela Mídia, Internet, etc. Então, questiono: Onde estão as mentiras das quais ela diz ser vítima? 


Links:

Marina defende mudança na política externa, para aproximar Brasil dos EUA - Mercosul será abandonado:

http://www.efe.com/efe/noticias/brasil/brasil/marina-lan-programa-defende-independente-mudan-politica-externa/3/16/2402183

Com Marina, bancos públicos terão presença menor na economia:

http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKBN0GT28R20140829

Assessor de Marina defende cobrança de mensalidade nas Universidades Públicas:

http://jornalggn.com.br/noticia/giannetti-defende-o-ensino-pago-nas-universidades

Aécio e Marina defendem a independência do Banco Central:

http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Por-que-Marina-e-Aecio-querem-a-independencia-do-Banco-Central-/4/31687

Marina muda de opinião sobre Lei da Anistia:

http://www.vermelho.org.br/noticia/249026-1

Marina crítica política de conteúdo nacional do petróleo:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/09/1514758-em-evento-sobre-petroleo-marina-contraria-discurso-do-psb.shtml

Alexandre Rands: Marina cortará R$ 100 bilhões no primeiro ano de governo:

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com.br/2014/09/governo-marina-promoveria-corte-de-r.html

Mudanças na CLT:

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153635/Marina-mexe-em-mais-um-vespeiro-popular-a-CLT.htm

Pré-Sal e Petrobras

http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2014/09/campanha-de-marina-endossa-lobby-contra-industria-brasileira-no-pre-sal-1794.html


Marina Silva: Militares ajudaram na transição democrática:

http://www.sul21.com.br/jornal/marina-silva-diz-que-militares-ajudaram-na-transicao-democratica/