segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Qual o tipo de patrimônio que os Black Blocs adoram destruir? E quais são os seus objetivos? - por Marcos Doniseti!

Qual o tipo de patrimônio que os Black Blocs adoram destruir? E quais são os seus objetivos? - por Marcos Doniseti!

Imagem mostra o exato momento em que os Black Blocks botaram fogo no veículo de um poderoso megaempresário representante do capitalismo global  explorador e excludente. 

Vocês já devem ter reparado que os Black Blocs adoram destruir coisas como:

1) Agências bancárias;

2) Lojas;

3) Pontos de ônibus;

4) Estações de metrô;

5) Viaturas policiais;

6) Bancas de jornal;

7) Ônibus;

8) Fusquinhas.

O que há de comum entre tudo isso? Simples: São serviços ou propriedades que, de uma forma ou de outra, estão relacionadas às necessidades básicas da população trabalhadora, ou seja, do proletariado propriamente dito.

Senão, vejamos:

Usamos agências bancárias para pagar contas, transferir dinheiro, sacar dinheiro, que são atividades essenciais para quem deseja sobreviver no mundo atual, certo? Então, todos os dias vemos milhões de pessoas, no Brasil, fazendo uso dos serviços prestados pelas agências bancárias.

Lojas também são locais frequentados por milhões de brasileiros, todos os dias, e que têm a intenção de comprar alguma peça de roupa, calçados, produtos eletroeletrônicos, etc. Então, elas também prestam um serviço que é importante para, virtualmente, toda a população do país, correto?


Membro do Pátria y Libertad agindo contra um inimigo. O mesmo foi um movimento de extrema direita chileno que ajudou a derrubar o governo de Salvador Allende. Qualquer semelhança com os Black Blocs não é mera coincidência.

O metrô e os ônibus estão prestando outro serviço essencial para a imensa maioria da população, transportando milhões de pessoas diariamente para que elas possam trabalhar, estudar, fazer consultas médicas, se divertir, etc.

Outros milhões de pessoas necessitam dos serviços prestados pelas bancas de jornal e pela polícia, não é mesmo? 

Enfim, os Black Blocs somente depredam aqueles patrimõnio que, de uma forma ou de outra, são usados por por milhões de trabalhadores e de brasileiros diariamente. 

Alguém já viu os Black Blocs irem protestar nos bairros chiques de São Paulo (o Morumbi, por exemplo) e atacar as mansões dos milionários? Já viram eles jogarem colchões queimados nos carrões de luxo dos ricaços? Não, né?

Obs: Não estou defendendo que eles façam isso, não, mas apenas mostrando a hipocrisia dos Black Blocs, ok? 

Eu não duvido disso, não, hein!

Então, está mais do que evidente de que as ações dos Black Blocs são pensadas e planejadas para atingir, em cheio, a população trabalhadora, o proletariado, que é justamente o segmento mais numeroso da sociedade brasileira e que, majoritariamente, desde que Lula venceu a eleição presidencial de 2002, vêm votando no PT para a Presidência da República. 

Então, fica claro que o objetivo dos Black Blocs é gerar um sentimento de revolta e de insatisfação na população trabalhadora e fazer com que ela se volte contra o governo Dilma e o PT em geral, a fim de que os mesmos possam vir a ser derrotados nesta próxima eleição. 

É como questionou o meu amigo Diogo Costa, em sua página do Facebook: 

"Ricos andam de ônibus? Sacam dinheiro na boca do caixa eletrônico? Esperam nas paradas de ônibus pela próxima condução que os levará ao trabalho? 

Colocar fogo em ônibus, destruir paradas de ônibus ou quebrar vidraças d'alguns bancos afeta mais aos pobres e aos trabalhadores ou aos ricos?

Enfim, apenas alguns questionamentos, bem simples, a respeito das 'táticas' que temos visto ultimamente...".



SA, tropa de assalto nazista, marcha em 1929. Seus membros usavam de extrema violência contra adversários políticos, intimidando-os, o que ajudou muito na ascensão de Hitler ao poder na Alemanha em 1933.

E se a situação de caos aparente que os Black Blocs desejam criar na sociedade ainda resultar em algum tipo de Golpe de Estado, que leve à implantação de uma Ditadura, daí, sim, eles terão cumprido, plenamente, com a missão que lhes foi delegada. 

Além disso, se os Black Blocs pensam que provocam algum prejuízo aos Capitalistas quando depredam agências bancárias ou botam fogo em ônibus, estão muito enganados, pois este patrimônio já foi segurado pelos proprietários. O seguro paga os prejuízos. Para os empresários de ônibus pode até ser um bom negócio botar fogo em um ônibus velho e usar o dinheiro do seguro para comprar um novo. E se não tiver seguro, eles repassam isso para o valor da tarifa ou então reduzem a frota em circulação, prejudicando ainda mais aos trabalhadores. 

Se os Black Blocs querem, realmente, lutar contra a exploração capitalista, então eles que vão exigir da Fiesp a redução da jornada de trabalho, aumentos reais de salários, entre outras reivindicações. E se eles querem lutar contra os banqueiros, então que vão em frente à sede da Febraban exigir a redução da taxa de juros e do valor das tarifas bancárias. 


Muitos Black Blocs se dizem Anarquistas, mas se perguntarem para eles quem foi Bakunin, muitos pensarão que se tratava de alguma marca antiga de Vodka...

Daí, sim, os Black Blocs estarão lutando contra o capitalismo e sua exploração abominável. 

O Anarquismo defende o fim de toda e qualquer forma de exploração e de dominação dos trabalhadores, não importando se esta é feita pelo Estado, pelo Capitalismo ou por instituições religiosas (Igrejas). 

E tudo isso não têm nada a ver com esse vandalismo de quinta categoria (que depreda pontos de ônibus e coloca fogo em Fusquinhas de trabalhadores humildes) e que não resulta em qualquer tipo de benefício para a população trabalhadora, muito pelo contrário.

Portanto, os Black Blocs não são Anarquistas coisa nenhuma, como eles tanto gostam de dizer. 

Baseado em tudo o que escrevi aqui, podemos perguntar: O que os Black Blocs são, de fato, então? 


Salvador Allende, cujo governo eleito democraticamente, progressista e constitucional foi derrubado por meio de um Golpe de Estado, para o qual grupos extremistas contribuíram decisivamente, provocando conflitos e gerando o caos na sociedade. 

Fascistas, é claro. 

Afinal, se formos analisar os momentos da história em que governos democráticos e progressistas foram desestabilizados (Jango e Allende, por exemplo, como já citei aqui), a fim de permitir Golpes de Estado e a posterior instalação de uma Ditadura, grupos do tipo Black Bloc tiveram uma atuação fundamental neste processo. 

Então, basta conhecer um pouco de história para descobrirmos que os grupos fascistas, neofascistas e de extrema direita é que atuaram com mais intensidade para que tais governos fossem inviabilizados e as Ditaduras fossem instaladas. 

E é exatamente isso o que os Black Blocs estão fazendo atualmente. 

Não Passarão!

Link:

http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/128191/Black-Blocs-destroem-carros-em-ato-contra-Copa.htm

domingo, 26 de janeiro de 2014

Porque um serralheiro foi atacado pelos Black Blocs fascistas e golpistas! - por Marcos Doniseti!

Porque um serralheiro foi atacado pelos Black Blocs fascistas e golpistas! - por Marcos Doniseti!

Um Fusca foi o grande alvo dos Black Blocs neofascistas, neste Sábado, em SP, o que é muito representativo dos objetivos deste 'movimento' de caráter nitidamente anti-democrático, reacionário e que pretende criar uma situação caótica no país a fim de permitir a ascensão de uma Direita troglodita e retrógrada ao poder. 

Porque os Black Blocs fascistas atacaram um simples trabalhador, o serralheiro Itamar Santos, e a sua família, destruindo o veículo que é fundamental para a fonte de renda da mesma?

Se pensarmos que o grande objetivo destes fascistas é provocar o caos na sociedade brasileira, a fim de derrubar o governo Dilma e tirar o PT do governo federal, penso que a ação deles é perfeitamente coerente com os seus objetivos. 

Afinal, os governos Lula e Dilma promoveram inúmeras políticas que melhoraram as condições de vida de milhões de trabalhadores simples e de famílias humildes, como é caso da família do Sr. Itamar Santos. 

Então, os Black Blocs dirigiram o seu ódio estúpido e irracional, justamente contra um trabalhador simples pois, promovendo um ataque brutal e covarde contra o mesmo pois, com certeza, viu no mesmo um símbolo perfeito daqueles segmentos da sociedade que mais se beneficiaram com as políticas de distribuição de renda adotadas pelos governos Lula e Dilma.


O médico cubano Juan Delgado é hostilizado ao desembarcar no Brasil (para trabalhar no programa Mais Médicos) por médicos reacionários que chegaram a dizer a ele que 'voltasse para a Senzala'.

Ninguém duvida que quando os coxinhas reacionários dizem que o Brasil está caminhando para uma 'Ditadura Comunista', o grande alvo destes setores trogloditas da sociedade brasileira são o conjunto de políticas públicas que promoveram a ascensão social e econômica de 50 milhões de pessoas (40 milhões entraram para a chamada 'classe C' e outros 10 milhões subiram para as classes AB).

Nada incomoda mais as classes médias reacionárias do que esse processo de inclusão social, econômica, política e cultural que os governos Lula e Dilma iniciaram. 

Aquilo que, antigamente, era privilégio de poucos (emprego formal, casa própria, viajar de avião, acesso ao ensino superior, etc) agora se tornou um direito de todos. 



Médico cubano Juan Delgado recebe homenagem e pedido de desculpas da Presidenta Dilma e do ministro Alexandre Padilha, após ter sido ofendido por médicos coxinhas elitistas e racistas. 

Tais setores que desejam tumultuar o ambiente da sociedade brasileira não se conformam que o país de poucos esteja se transformando num país de todos. A reação destes segmentos da sociedade, elitistas e reacionários, contra a vinda de médicos estrangeiros, principalmente cubanos, para vir trabalhar em benefício da população mais pobre do país, foi uma demonstração perfeita desse caráter elitista, reacionário, racista e preconceituoso do qual faz parte uma significativa parcela da classe média brasileira.

Isso explica o motivo desse ódio e do preconceito contra os mais pobres e também ajuda a compreender porque os Black Blocs fascistas promove a destruição de um  Fusca antigo pertencente a um trabalhador humilde e que o utiliza como sua principal fonte de renda. 

Está explicado. 

Afinal, qual foi a mensagem de Dilma em Davos? - por Marcos Doniseti!

Afinal, qual foi a mensagem de Dilma em Davos? - por Marcos Doniseti!


Dilma discursa no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.


Para mim, resumidamente, mensagem que a Presidenta Dilma transmitiu lá em Davos, na Suíça, foi a seguinte: 

'Temos um projeto nacional de desenvolvimento que, talvez, não seja o sonho de consumo de vocês, empresários, mas se quiserem participar para colaborar na construção do mesmo, serão bem vindos.

Garanto que se atenderem ao meu chamado, vocês conseguirão ter bons lucros, mas para isso também terão que investir nos setores que são fundamentais para o desenvolvimento do país e para a melhoria das condições de vida da população (infra-estrutura, energia, educação, etc), e não apenas naquilo que os mercados financeiros desregulados desejam. 

Não abrimos mão da estabilidade econômica (mantendo o controle da inflação, o câmbio flutuante e o equilíbrio fiscal), mas também não recuaremos da manutenção dos programas sociais e das políticas que visam melhorar a distribuição de renda que (no Brasil) sempre foi fortemente concentrada e que, a partir do governo Lula, começamos a reduzir.

Então, meu governo dará continuidade às políticas distributivas implantadas no governo do Presidente Lula, como a dos aumentos salariais reais (para o salário mínimo), a construção de moradias para a população de baixa renda (Minha Casa Minha Vida), facilitando o acesso de pessoas de menor renda ao ensino superior (ProUni), oferecendo qualificação profissional a milhões de pessoas (Pronatec), entre outros, e que visam reduzir as desigualdades sociais, a pobreza e a miséria.

Digo isso porque o meu governo e o projeto que represento procuram conciliar do crescimento econômico, a estabilidade econômica, com a distribuição de renda, a inclusão e a justiça social.

Também temos inúmeros projetos de investimento que são fundamentais para o desenvolvimento econômico e social do Brasil (no pré-sal, em energia, transportes, refinarias, etc) dos quais convido os senhores, detentores do Capital, a participar, desde que aceitem as regras do jogo que estabelecemos como Nação soberana que somos. 

Estamos dispostos a conversar a respeito de tais regras, sem abrir mão delas e tampouco da defesa dos interesses nacionais, mas procurando, na medida do possível, atender aos reclamos daqueles que desejam participar da construção deste novo país, ouvindo as suas reivindicações e procurando atendê-las de maneira a não jogar fora o projeto de país que defendemos.

Entenderam, agora? 

Obrigado.'

É isso.

http://oglobo.globo.com/economia/discurso-de-dilma-em-davos-bem-recebido-por-empresarios-1-11395514

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

A 'Folha' mente! - Porque o déficit externo de 2013 não foi recorde! - por Marcos Doniseti!

A 'Folha' mente! - Porque o déficit externo de 2013 não foi recorde! - por Marcos Doniseti!




A 'Folha' divulgou hoje que o déficit externo brasileiro de 2013 (em transações correntes) teria sido um recorde histórico, atingindo o valor de US$ 81,4 bilhões.

O grande problema desta afirmação está no uso, pelo jornal, de um valor nominal para chegar à conclusão de que o 'déficit externo bateu recorde' em 2013.

E o fato concreto é que não se costuma utilizar o valor nominal para dizer se o déficit externo de um país foi recorde ou não, se ele está crescendo ou diminuindo.  

O que se faz, no mundo inteiro, é divulgar o quanto aquele valor nominal representa do PIB do país. E em 2013 o déficit externo representou 3,66% do PIB brasileiro.

Quando fazemos isso, ou seja, calculamos o déficit com base na porcentagem que o mesmo representa do PIB do país, descobrimos que embora o déficit externo de 2013 tenha crescido bastante em relação aos anos anteriores, ele ainda está muito longe de ser um recorde histórico. 

Então, é bom esclarecer que esse (o quanto o déficit representa em % do PIB) é o critério usado no mundo todo para se saber qual é o déficit em transações correntes de um país e não o seu valor nominal, como fez a 'Folha', ok?

Até 2013, os maiores déficits externos da história brasileira (em % do PIB) foram os seguintes (fonte: Ipeadata):

1) 1974 - 6,80%;
2) 1982 - 6,00%;
3) 1975 - 5,39%;
4) 1980 - 5,36%;
5) 1979 - 4,79%;
6) 1981 - 4,53%;
7) 1999 - 4,32%;
8) 2001 - 4,19%;
9) 1976 - 4,17%;
10) 1998 - 3,96%;
11) 2000 - 3,76%;
12) 2013 - 3,66%;
13) 1983 - 3,57%;
14) 1997 - 3,50%;
15) 1978 - 3,47%.

Assim, notem que o déficit externo de 2013 foi apenas o décimo segundo maior da história do país. Em outros onze anos tivemos déficits maiores do que o de 2013.

Aliás, é interessante notar que dos quinze anos com maior déficit externo (em transações correntes), nove foram na época da Ditadura Militar (1974, 1982, 1975, 1980, 1979, 1981, 1976, 1983, 1978), logo na sequência dos chamados 'Choque do Petróleo' (o primeiro aconteceu em Outubro de 1973, em função da Guerra do Yom Kippur, e o segundo ocorreu em 1979-1980, devido à Guerra Irã-Iraque). 

E os outros cinco maiores déficits externos ocorreram no governo FHC (1999, 2001, 1998, 2000 e 1997).

E note-se que em nove anos os déficits externos sempre superaram os 4% do PIB, no mínimo. 

Assim, tivemos dois anos com déficits externos de 6% do PIB ou mais (1974 e 1982), outros dois anos déficits externos que ultrapassaram os 5% do PIB (1975 e 1980) e cinco anos com déficits externos superiores aos 4% do PIB (1979, 1981, 1999, 2001, 1976). E também tivemos seis anos com déficits superiores a 3,4% do PIB (1998, 2000, 2013, 1983, 1997 e 1978).

Até o momento, nos governos Lula-Dilma, 2013 foi o único ano em que o déficit externo ficou acima dos 3,4% do PIB. 

Entre 2003 e 2007 o Brasil teve superávit externo, obtendo os seguintes resultados (em % do PIB):

2003 - + 0,75%;
2004 - + 1,76%;
2005 - + 1,58%;
2006 - + 1,27%;
2007 - + 0,11%.

A partir de 2008 é que voltamos a ter déficits externos, obtendo os resultados abaixo:

2008 - 1,72%;
2009 - 1,52%;
2010 - 2,20%;
2011 - 2,12%;
2012 - 2,19%;
2013 - 3,66%.

Então, percebe-se que somente em 2013 é que tivemos um déficit externo superior a 3,4% do PIB durante os governos de Lula e Dilma (2003-2013), em um período de onze anos de governo. 

E em todas as vezes que o Brasil foi atingido por uma crise externa, isso somente aconteceu depois de vários anos consecutivos com déficits em transações correntes superiores a 3,5%, 4% e até 5% ou 6% do PIB.

Portanto, se alguém espera uma crise das contas externas para breve, pode tirar o cavalo da chuva.


Desde Fevereiro de 2013 o dólar se valorizou 22,4% em relação ao Real, estando cotado atualmente em R$ 2,40.


Além disso, atualmente o Brasil conta com reservas internacionais líquidas de US$ 376 bilhões, que são equivalentes a 17% do PIB brasileiro, algo que não acontecia nas crises externas de 1982 e de 1998-1999.

E não podemos esquecer que, nos próximos anos, a produção e exportação do petróleo do pré-sal irá elevar significativamente as exportações brasileiras, o que irá contribuir para reduzir tal déficit. E as previsões para a economia mundial apontam para uma retomada do crescimento econômico nos países ricos (EUA e UE), o que irá contribuir, é claro, para o aumento das exportações brasileiras. 

Além do mais, a desvalorização do Real que tivemos desde a posse de Dilma, em 2011, foi significativa. Quando tomou posse, em 01/01/2011, o dólar estava cotado a R$ 1,66 e agora o mesmo se encontra no patamar de R$ 2,40. 

Assim, o dólar valorizou 44,6% em relação à moeda brasileira nos últimos três anos de governo Dilma. 

E sempre que isso acontece (ou seja, que a moeda nacional é desvalorizada), as exportações brasileiras aumentam (pois os produtos brasileiros ficam mais baratos) e as importações diminuem (pois elas ficam mais caras), elevando o superávit comercial, o que contribui para reduzir o déficit externo.

Brasil ganhou bastante espaço no total das exportações mundiais entre 2002 e 2011, passando de 0,96% para 1,44% do total mundial, acumulando um crescimento de 50% em termos reais no período.

Portanto, a manchete da 'Folha', sobre o déficit externo brasileiro de 2013, é totalmente mentirosa. O déficit do ano passado em transações correntes foi bem maior do que o dos anos anteriores, mas ficou bem longe de ser o maior da história do país. 

Mas para quem disse, como a 'Folha' fez, que as vendas de Natal de 2013 foram 'as piores em 11 anos', mesmo tendo crescido 5% nas lojas físicas e aumentado outros 41% pela Internet, isso não deve ser nenhum problema, não é mesmo?

'Folha' - Não dá para não deixar de ler.

Links:

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/01/1402235-rombo-nas-contas-externas-alcanca-us-814-bi-e-bate-recorde.shtml

http://www.ipeadata.gov.br/

http://www.financeone.com.br/moedas/cotacoes-do-dolar

Brasil recebeu quase US$ 196 bilhões em investimentos estrangeiros diretos no governo Dilma! - por Marcos Doniseti!

Brasil recebeu quase US$ 196 bilhões em investimentos estrangeiros diretos no governo Dilma (2011-2013)! - por Marcos Doniseti!




A Grande Mídia está tentando divulgar a ideia de que o Brasil já não seria um país tão interessante para os investidores estrangeiros e que os mesmos não estariam mais querendo investir no país como antigamente.

Daí, para me informar corretamente (pois a Grande Mídia sempre mente e na cara-dura), eu fui procurar os dados a respeito dos investimentos estrangeiros diretos no Brasil e descobri as informações no site do Ipeadata (que estão atualizados até o ano de 2012). 

Neste site, descobrimos que nos dois primeiros anos de governo Dilma o Brasil recebeu US$ 131,932 bilhões em investimentos estrangeiros diretos. E agora, em 2013, esse valor atingiu os US$ 64,050 bilhões (ver o link da 'Folha'), totalizando US$ 195,982 bilhões entre 2011-2013.

Somente para efeito de comparação, nos três primeiros anos do governo FHC (1995-1997) o Brasil recebeu US$ 34,190 bilhões em investimentos estrangeiros diretos.

Já nos três primeiros anos de governo Lula (2003-2005), o valor dos investimentos estrangeiros diretos no Brasil chegou a US$ 43,355 bilhões.

Assim, quando comparado com os três primeiros anos de governo FHC, o crescimento dos investimentos estrangeiros diretos no Brasil (no governo Dilma) chega a 473,2%. 

E mesmo quando comparamos com os oito anos de governo FHC, os números ainda são muito favoráveis ao governo Dilma, pois entre 1995-2002 o Brasil recebeu US$ 163,451 bilhões (média anual de US$ 20,431 bilhões), contra US$ 195,982 bilhões dos três primeiros anos de governo Dilma (média anual de US$ 65,327 bilhões).

Portanto, em termos de média anual, nos três primeiros anos de governo Dilma (2011-2013), os investimentos estrangeiros diretos no Brasil tiveram um crescimento de 219,7% quando comparado com o período de governo tucano (1995-2002).

Assim, os investimentos estrangeiros diretos feitos no Brasil, nos três primeiros anos de governo Dilma, superam em US$ 32,531 bilhões tudo o que foi investido no país entre 1995-2002. 

E quando comparado com os três primeiros anos de governo Lula (US$ 43,355 bilhões), o crescimento dos investimentos estrangeiros diretos no Brasil (no governo Dilma) chega a 352%. E quando somamos o valor investido por estrangeiro no país, em oito anos de governo Lula, temos US$ 216,275 bilhões (média anual de US$ 27,034 bilhões). 

Logo, em apenas três de governo Dilma o Brasil recebeu o equivalente a 90,6% de todo o investimento estrangeiro direto feito no país entre 2003-2010. Com certeza, quando terminar 2014, o valor dos investimentos externos produtivos no Brasil irá superar todo o valor que foi alcançado entre 2003-2010. 

E quando fazemos a soma de todos os investimentos externos produtivos feitos entre 2003-2013 atingimos o valor de US$ 412,257 bilhões, com uma média anual de US$ 37,477 bilhões (83,4% maior do que no período 1995-2002).

Portanto, e muito diferente do que diz a GMMG (Grande Mídia Mentirosa e Golpista), o Brasil hoje é muito mais atraente para os investidores estrangeiros do que foi nos governos anteriores ou do que foi em qualquer outro período da nossa história. 

Nunca o Brasil recebeu, em toda a sua história, tantos investimentos estrangeiros diretos (produtivos) quanto os que foram feitos nos três primeiros anos do governo Dilma. 

Foram quase US$ 196 bilhões em investimentos diretos estrangeiros (produtivos) no país, com uma média anual de US$ 65,3 bilhões (219,7% maior do que no período 1995-2002, como já afirmei aqui).

Resumindo o que foi escrito aqui, temos o seguinte quadro dos investimentos estrangeiros diretos no Brasil entre 1995-2013:

Governo FHC (1995-2002) -  US$ 163,451 bilhões (média anual de US$ 20,431 bilhões);
Governo Lula (2003-2010) -  US$ 216,275 bilhões (média anual de US$ 27,034 bilhões);
Governo Dilma (2011-2013)- US$ 195,982 bilhões (média anual de US$ 65,327 bilhões).

Isso mostra que temos um cenário totalmente diferente daquele que a Grande Mídia Reacionária, Mentirosa e Golpista tenta divulgar a respeito da economia do país

Logo, o Brasil continua sendo um dos países mais atrativos para o capital estrangeiro produtivo em todo o mundo.

A Grande Mídia Mente! Fujam dela!

Links:

http://www.ipeadata.gov.br/

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/01/1402235-rombo-nas-contas-externas-alcanca-us-814-bi-e-bate-recorde.shtml

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Porque o Nazismo nunca foi de Esquerda! - Marcos Doniseti!

Porque o Nazismo nunca foi de Esquerda! - Marcos Doniseti!
Hitler, Goering e Henry Ford, que foi condecorado pelos regime Nazista e cujo livro 'O Judeu Internacional', anti-judaico e racista, influenciou Hitler, que citou as ideias de Ford até no 'Mein Kampf' (Minha Luta).
1) A origem da ideologia e do movimento Nazista está nas obras de pensadores, intelectuais, movimentos políticos de Direita e de Extrema Direita que existiam na Europa décadas antes de Hitler criar o movimento Nazista e que já tinham se formado desde o século XIX.

Entre estes pensadores e intelectuais tivemos Arthur Gobineau (este foi o criador do mito da 'raça ariana superior') e Houston S. Chamberlain (cujas obras exerceram uma grande influência sobre Hitler). Inclusive, Hitler compareceu ao funeral de Chamberlain, em 1927, tal a sua admiração pelo intelectual britânico e que se naturalizou alemão.

Nenhum destes pensadores era marxista, socialista de esquerda ou qualquer coisa remotamente parecida com isso.

Logo, não há um único pensador ou intelectual marxista, socialista ou esquerdista que tenha influenciado Hitler.

Todos os pensadores que o influenciaram eram de Direita ou de Extrema Direita. O mesmo vale para os movimentos e lideranças políticas que exerceram um grande impacto sobre a sua formação política e ideológica;
Arthur de Gobineau, que foi o criador do mito da 'raça ariana superior', que é uma das ideias principais do Nazismo, exerceu uma grande influência sobre Adolf Hitler.
2) Alguns direitistas e reacionários dizem que o fato da expressão 'Socialista' aparecer no nome do Partido Nazista (cujo nome completo é Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães - NSDAP em alemão) provaria o caráter Socialista (e de Esquerda) do mesmo. 

Mas este fato não têm nenhum significado relevante.

Afinal, ARENA significava 'Aliança Renovadora Nacional' e não renovou coisa nenhuma. Ela apoiou e deu sustentação a uma Ditadura Militar (assassina, corrupta e terrorista) que promoveu um gigantesco retrocesso político, econômico, cultural e social no Brasil. Logo, de 'Renovadora' ela não tinha coisa alguma.

E depois a ARENA mudou de nome para PDS (Partido Democrático Social), PFL e, agora, se chama DEM. Eles eram ou são todos partidos conservadores e de Direita que, no entanto, procuravam (e que ainda tenta, no caso do DEM) se apresentar como sendo 'progressistas', 'democráticos' e defensores da justiça social, embora jamais tenham sido nada disso. 

E vejam o caso do PSDB: o partido se diz Social-Democrata, mas na prática é um partido Neoliberal, defensor do Estado Mínimo e de privatizações desnacionalizantes que somente beneficiam os grandes capitalistas. E o PSDB ainda reprime e criminaliza os movimentos sociais em geral (vide a forma como trata os estudantes e professores do governo do estado de SP, por exemplo), sendo que a Social-Democracia teve origem no movimento operário marxista europeu da segunda metade do século XIX.

Até o Delfim Netto, economista conservador, sempre ironizou esse fato, ou seja, que o PSDB é o único partido social-democrata do mundo que não tem nenhum operário entre seus líderes.  

Logo, de Social-Democrata o PSDB não tem absolutamente nada.

Portanto, a simples presença de uma determinada expressão (Socialista, Democrático, Renovador, Social-Democrata, etc) no nome de um partido não pode ser usado como sendo suficiente para dizer que tal partido representa exatamente aquilo que ele diz ser. 

Muitas vezes tal expressão está presente no nome do partido apenas com o objetivo de enganar e de iludir algum segmento específico da população.

No caso do Partido Nazista, era exatamente esse o objetivo de Hitler, que desejava atrair o apoio dos operários alemães para o partido, algo que ele nunca conseguiu antes de chegar ao governo, em Janeiro de 1933. Até então, a maioria dos operários alemães votava no Partido Social-Democrata e no Partido Comunista. 

E mesmo depois da ascensão dos nazistas ao poder a classe operária foi o setor da população alemã que menos apoio demonstrou pelo regime hitlerista, sendo que sempre foi bem menor do que em outros segmentos sociais. O apoio aos nazistas foi muito forte entre a classe média baixa (pequenos proprietários, artesãos, pequenos proprietários rurais) e também contou com a simpatia de segmentos importantes da burguesia alemã, que era predominantemente nacionalista, imperialistas, conservadora e visceralmente anti-esquerdista.  
Arena significava 'Aliança Renovadora Nacional', mas apoiou e sustentou uma Ditadura Militar que não renovou coisa alguma, muito pelo contrário: institucionalizou a tortura, aumentou fortemente a concentração de renda e o número de pobres e de miseráveis no país. 
Quem sempre votava, majoritariamente, no Partido Nazista, era a classe média baixa e não o proletariado.

E quem sempre financiou o movimento Nazista foram ricos capitalistas alemães e, até, estrangeiros;

3) Hitler era defensor da propriedade privada dos meios de produção. Ele jamais defendeu a socialização dos meios de produção de riqueza, muito pelo contrário. Logo, cai por terra a tese de que ele era de Esquerda. Socialista Marxista é quem apoia a ideia da socialização dos meios de produção, uma ideia que Hitler nunca defendeu e a qual ele repudiava integralmente, na verdade;

4) Hitler aniquilou os partidos de Esquerda alemães (Social-Democratas e Comunistas) que se declaravam marxistas. Se Hitler era socialista, então porque ele não se aliou aos mesmos, em vez de massacrá-los?;

5) Hitler odiava tudo que cheirasse à Esquerda. Seu grande objetivo sempre foi o de varrer o Marxismo e a URSS da face da Terra. Ele sempre disse isso. Mas os coxinhas e reacionários não sabem disso, coitados;
Houston S. Chamberlain, intelectual britânico, que dizia que a 'raça ariana superior' havia sobrevivido e que a maioria dos seus integrantes vivia na Alemanha. Por isso, ele acreditava que o povo alemão era superior a todos os outros. Ele chegou até a se naturalizar alemão. E é claro que Hitler e os nazistas adoravam as suas ideias malucas e sem nenhum fundamento histórico.
6) Grandes empresas Capitalistas da Europa e dos EUA exploraram a mão-de-obra escrava dos campos de concentração nazistas. E o empresário ianque Henry Ford (o dono da Ford, mesmo) chegou a ser condecorado por Hitler, que admirava as ideias anti-judaicas de Ford. 

Henry Ford era socialista? Fala sério, vai!

7) Para aqueles que dizem que 'Stalin também matou comunistas': Hitler não se limitou a 'matar comunistas'. Ele aniquilou os movimentos políticos organizados socialistas e marxistas alemães de forma absoluta. E fazia o mesmo nos países aos quais invadia e ocupava.

Enquanto isso, Stalin eliminou adversários políticos nos quais via como sendo uma ameaça ao seu poder e não movimentos políticos organizados propriamente ditos. Tais líderes (Bukharin, Kamenev, Zinoviev, etc), que foram eliminados por ordens de Stalin, não foram mortos pelo fato de serem comunistas, mas porque Stalin descobriu que eles tinham participado de uma articulação política, dentro do PCUS, que visava derrubá-lo do governo soviético. 

Logo, Stalin não matou comunistas pelo fato de serem comunistas (ou seja, adversários ideológicos), mas porque eram seus adversários políticos, disputando com ele o comando do PCUS e do governo soviético. 

A morte de líderes rivais por um ditador ou governante de perfil semelhante é uma situação que acontece em todos os processos revolucionários. Cromwell fez isso na época da Revolução Inglesa do século XVII (1641-1658), tornando-se o primeiro Ditador moderno. E o mesmo aconteceu durante a Revolução Francesa, com Robespierre mandando guilhotinar Danton, que fazia parte do mesmo grupo político que ele, Saint-Just e Marat (os Jacobinos). E ambas as Revoluções, Inglesa e Francesa, foram burguesas. 
'Hitler', de Joachim Fest, é uma das obras mais importantes para quem deseja conhecer quem foi Hitler e o que significou o Nazismo.
Aliás, Hitler também matou Nazistas. Exemplo: Hitler aniquilou a liderança das SA, incluindo o líder desta (Ernst Rohm), que eram as tropas de assalto do Partido Nazista, e que foram fundamentais para a sua ascensão ao poder, espancando e assassinando integrantes dos movimentos políticos rivais, principalmente os social-democratas e os comunistas. 

E isso não faz dele um anti-Nazista, certo?

8) O próprio fato da expressão 'Nacional' vir antes de 'Socialista' no nome do Partido Nazista (que Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães) denuncia o caráter não-socialista e não-marxista do Nazismo.

Porque eu digo isso?

Porque o movimento socialista de inspiração marxista era INTERNACIONALISTA e repudiava o Nacionalismo existente na Europa daquela época.
O Socialismo Marxista defende a socialização dos meios de produção e de distribuição de riquezas, ou seja, que os operários e os trabalhadores sejam os donos das fábricas, terras, bancos, lojas, etc. Hitler era totalmente contrário à essa ideia. Então, somente verdadeiras antas descerebradas podem acreditar que ele foi um Socialista. 
Quando Marx e Engels escreveram o Manifesto Comunista, eles defenderam a ideia de que os Proletários de Todo o Mundo deveriam se unir, independente da sua nacionalidade.

Assim, eles queriam unir os trabalhadores do mundo em torno de um ideal, que era o de lutar contra a exploração capitalista e promover a Revolução Socialista.

Portanto, eles nunca defenderam a ideia de que se devia jogar os trabalhadores de um país contra os de outro, em guerras brutais, tal como o Nazismo e o Fascismo faziam.

E o nacionalismo europeu daquele período era Imperialista, Militarista e Racista, representando tudo o que era mais repudiado pela Esquerda Marxista da época. 

E é justamente por isso que o nacionalismo imperialista era visto, pelos socialistas marxistas, na Europa do final do século XIX e do início do século XX, como um movimento que defendia os interesses da Burguesia e que jogava o proletariado de um país para guerrear contra o proletariado de outro país.
Civis poloneses enforcados pelos nazistas. A ideia de Hitler era exterminar quase toda a população da URSS e dos demais países do Leste Europeu (Polônia, Hungria, Romênia, Bulgária, Iugoslávia, Tchecoslováquia...). Os sobreviventes seriam transformados em escravos que trabalhariam para a 'raça ariana superior'. E os territórios destes países seriam colonizados por alemães. Nenhum marxista jamais defendeu tamanho absurdo. 
9) Além disso, no projeto político marxista, o Socialismo era visto apenas como uma fase de transição rumo à construção de um novo tipo de sociedade, que era a Comunista, na qual a propriedade privada, as desigualdades sociais e o Estado deixariam de existir.

Assim, a eliminação das desigualdades sociais (e daquilo que a gera, ou seja, a propriedade privada dos meios de produção e de distribuição de riqueza) era o grande objetivo do movimento socialista de inspiração marxista.

Hitler e os Nazistas jamais tiveram a intenção de construir uma sociedade com essas características. Na verdade, eles desejavam exatamente o oposto disso, ou seja, eternizar as desigualdades (ver o próximo item);
Trilogia do historiador britânico Richard J. Evans sobre o Nazismo é fundamental para se entender quais são as origens e as características fundamentais do movimento político organizado que defendeu a mais brutal e desumana ideologia da história. 
10) A criação da Nova Ordem mundial pelos Nazistas implicaria no extermínio de povos inteiros, pelo mundo todo. Esse era o plano de Hitler, por exemplo, para os povos da URSS e do Leste Europeu. Os planos Nazistas previam que estes seriam quase que inteiramente exterminados e que os seus territórios seriam colonizados por alemães. E os que não fossem exterminados seriam transformados em escravos que trabalhariam para a 'raça superior ariana'.

Nenhum movimento socialista de origem marxista jamais defendeu um projeto de sociedade deste tipo. Muito pelo contrário, eles lutaram contra o mesmo, o que resultou na morte de milhões de socialistas e comunistas no mundo todo;

11) O Nazismo era um movimento racista que afirmava a superioridade de uma suposta 'raça ariana' sobre todas as demais e dizia que ela estaria destinada a dominar o mundo inteiro. Desafio qualquer um a provar que algum intelectual, pensador ou líder político efetivamente socialista ou marxista tenha defendido uma ideia desse tipo;

12) Hitler dizia que, ao exterminar os judeus, estava cumprindo com a 'vontade divina'.

Alguém conhece um líder político ou intelectual marxista que, alguma vez, tenha dito que as suas ações e atividades políticas tinham origem na 'vontade de Deus'? Qual?
Marx e Engels defendiam a criação de uma sociedade na qual não existisse mais a exploração do homem pelo homem, eliminando-se as desigualdades sociais. Hitler e os Nazistas queriam fazer exatamente o contrário. 
13) E para enterrar de uma vez por todas com essa asneira de que Hitler era de Esquerda e Socialista, nada melhor do que uma frase do próprio Hitler.

Meu socialismo nada tem a ver com marxismo. Marxismo é anti-propriedade. O Socialismo verdadeiro não é.” - por Adolf Hitler.

Logo, Hitler interpretava a expressão 'Socialismo' de uma forma muito pessoal e o fazia de uma maneira que não tinha nada a ver com o Socialismo Marxista e muito menos com o conjunto de ideais que era defendido por Marx, Engels, Lênin, Stalin, Bukharin ou Trotsky.

Assim, Hitler deturpava e distorcia totalmente o significado que os marxistas davam para a expressão 'Socialismo';

14) Hitler e os Nazistas interpretavam a história de uma forma muito diferente da visão que era defendida pelos Socialistas Marxistas. Estes últimos diziam que a luta de classes era o motor da história (nobres x servos; capitalistas x proletariados). 

Já para os nazistas, o aspecto mais importante da história eram as lutas entre as diferentes 'raças'. Era em função desse conceito, a 'luta de raças', que os nazistas justificavam o extermínio das 'raças' (como a 'raça judaica') que eles consideravam como sendo inferiores à 'raça ariana superior'. 

Na visão dos Nazistas, somente com o triunfo desta última é que a Humanidade poderia progredir. E é por isso, também, que os Nazistas eram contra qualquer tipo de miscigenação entre a 'raça ariana superior' e as demais raças (eslavos, latinos, judaica, negros, etc), pois diziam que isso iria resultar na degeneração e na decadência da 'raça ariana superior'. 
Livro 'The Rise of Fascism', de Francis L. Carsten.
Portanto, em função de todos estes fatores, somente notórios desinformados e ignorantes podem acreditar que 'o Nazismo era um movimento político de Esquerda'. Quem diz isso está demonstrando, publicamente, a sua total e absoluta ignorância sobre tal assunto.

Seria muito melhor se tais pessoas ficassem de bico fechado, pois assim não passariam vergonha em público.

Link:

Hitler e os seus filósofos:

http://esilvia.wordpress.com/2009/05/24/hitler-y-sus-filosofos-de-gobineau-a-chamberlain/

Frases de Hitler:

http://pt.wikiquote.org/wiki/Adolf_Hitler

Henry Ford e o Nazismo:

http://marivalton.blogspot.com.br/2012/07/henry-ford-e-o-nazismo.html

Vídeo - Discurso de Hitler, no qual ele diz que irá varrer o marxismo do estilo de vida alemão:

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Vendas do comércio varejista brasileiro cresceram 7% em Novembro, mas a 'Folha' esconde! - por Marcos Doniseti!

Vendas do comércio varejista brasileiro cresceram 7% em Novembro, mas a 'Folha' esconde! - por Marcos Doniseti!

As vendas do comércio varejista brasileiro estão crescendo, sem interrupção, desde 2004. Já são 10 anos consecutivos de crescimento. E a Grande Mídia teve a cara-de-pau de dizer que o Natal de 2013 foi 'o pior em 11 anos'. Na verdade, foi o melhor Natal da história. Esse povo da Grande Mídia Reacionária precisa voltar a estudar. Quem sabe, assim, eles aprendem a fazer contas... Pelo menos as 4 operações básicas...


As vendas do comércio varejista cresceram 7% em Novembro, quando comparado com o mesmo mês de 2012, de acordo com dados divulgados pelo IBGE.

Mas a 'Folha' preferiu esconder essa informação no título de sua matéria, preferindo ressaltar que o crescimento das vendas no acumulado do ano é de 4,3%.

E a 'Folha' mentiu na cara-dura, nesta matéria, dizendo, nesta matéria, que o comércio varejista passa por um momento de 'desaceleração'.

Afinal, como as vendas do comércio podem estar desacelerando se o crescimento das vendas em Novembro, que ficou em 7%, supera o crescimento acumulado do ano, que é de 4,3%? Se isso está acontecendo, então significa que as vendas do comércio varejista passaram por uma aceleração em Novembro.

Aliás, isso já tinha acontecido em Outubro, quando as vendas tinham crescido 5,3% em relação ao mesmo mês de 2012, com o ritmo de expansão superando o do acumulado do ano até aquele mês.

Assim, tanto em Outubro, como em Novembro, o ritmo de crescimento das vendas do comércio varejista supera o aumento que tivemos no acumulado de 2013. 

Logo, há uma aceleração do crescimento e não uma desaceleração, como diz a 'Folha'.

Como se percebe, a 'Folha' parou de fazer jornalismo há muito tempo. 

Agora ela só faz jornalixo.

E ainda existem pessoas que acreditam na 'Folha'. 

Link:

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/01/1398422-vendas-no-varejo-sobem-07-em-novembro.shtml

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

A Herança Bendita do PT! - por Marcos Doniseti!

A Herança Bendita do PT! - por Marcos Doniseti!
Investimentos totais da Petrobras dispararam nos governos Lula e Dilma e, atualmente, ultrapassam os R$ 100 bilhões anualmente. 

O virtual candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, declarou que o PT irá deixar uma herança maldita para o sucessor.

Discordo totalmente do que ele disse. E abaixo irei citar inúmeros dados que comprovam que isso não passa de uma  bobagem monumental dita pelo Senador mineiro.

Afinal, se o governo Dilma terminasse hoje, como estaria o país? Em que condições o (a) novo (a) Presidente (a) encontraria o Brasil?

Resumidamente, estaria assim: 

1) Menor taxa de desemprego da história, em 4,3% no mês de Dezembro de 2013 (IBGE); 

2) Economia crescendo desde 2003, com a única exceção de 2009, e mesmo assim porque naquele ano ocorreu a mais grave crise econômica global desde a Grande Depressão dos anos 1930. Assim, foram 10 anos de crescimento econômico em 11 anos de governo;


Classes ABC reúnem 75% dos brasileiros atualmente, contra apenas 45% em 2003. 

3) Reservas internacionais líquidas de US$ 380 bilhões, equivalentes a 17% do PIB, que são as maiores da história do país; 

4) Inflação em 6% ao ano, em média, desde 2005, dentro das metas (que vão de 2,5% até 6,5% ao ano); 

5) Oferta de crédito em 55% do PIB, sendo que era de apenas 23% do PIB em 2002; 

6) Maior produção agrícola da história, que ficou em 193,5 milhões de toneladas em 2014;

7) Menor concentração da renda da história, com o índice de Gini estando em 0,519 (2011);

8) Salário Mínimo subindo acima da inflação todos os anos, acumulando um reajuste nominal de 262% entre 2003-2014, passando de R$ 200 para R$ 724, e tendo um aumento real de 72,7% no período. Para 2015, já está garantindo um novo reajuste, para R$ 780, acumulando um reajuste de 290% entre 2003-2015;

9) Tabela do IR sendo reajustada anualmente, em 4,5% ao ano, aliviando a tributação sobre a classe média e sobre os assalariados melhor remunerados. Entre 2003-2014, o reajuste acumulado foi de 67,7%; criação de duas novas alíquotas (de 7,5% e de 22,5%) que também ajudaram a diminuir a tributação sobre a renda;

10) Benefícios previdenciários sendo reajustados todos os anos pelo INPC, preservando o seu poder de compra; 

11) Taxa real de juros (Selic) em 5% ao ano, contra 12,5% em 2002; 


Taxa de desemprego, no Brasil, está no menor patamar da história.

12) Gastos recordes de turistas brasileiros no exterior, atingindo US$ 25 bilhões anuais em 2013; 

13) Salário Mínimo atingindo o valor de US$ 325, contra US$ 56 no final de 2002, acumulando um crescimento de 480% entre 2003-2014;

14) Investimentos da Petrobras atingindo US$ 42,1 bilhões anualmente na média do período 2009-2012; Média anual cresceu 358,6% nos governos Lula-Dilma, entre 2003-2012, quando comparado com os 8 anos de governo FHC (1995-2002);

15) Investimentos em infra-estrutura crescendo, com as concessões muito bem sucedidas que o governo Dilma realizou em 2013 e que irão continuar em 2014. Elas irão ampliar e modernizar os aeroportos, rodovias, portos e ferrovias do país, contribuindo decisivamente para o seu desenvolvimento econômico e social. 

Estimativas indicam realização de investimentos no valor total de R$ 133 bilhões nestes quatro setores;

16) Construção de 3 grandes usinas hidrelétricas na região Norte do país (Jirau, Belo Monte e Santo Antônio) que irão gerar 18563 megawatts de energia, o que representa 32,6% a mais do que a energia gerada por Itaipu, que é a segunda maior usina hidrelétrica do mundo e que produz 14000 megawatts de energia;

17) Construção de 3 ferrovias, que são as Ferrovias Norte-Sul (com cerca de 1450 kms já concluídos, de um total de 2760 kms), Leste-Oeste (com 1527 kms de extensão e investimentos de R$ 7 bilhões) e Transnordestina (esta terá 1728 kms de extensão e investimentos de R$ 7,5 bilhões);



Taxa média anual de inflação caiu nos governos Lula e Dilma para o patamar de 6% ao ano. Desde 2005 que a taxa de inflação fica dentro das metas definindas pelo CMN.

18) Construção das obras de Transposição do Rio São Francisco, uma das maiores obras em andamento no mundo, com previsão de conclusão para 2015 e que irá beneficiar 12 milhões de nordestinos na região do semi-árido;

19) Investimentos crescentes no Pré-Sal, que irão gerar desenvolvimento industrial (devido à expansão da cadeia produtiva de fornecedores) e centenas de milhares de novos empregos que exigem trabalhadores qualificados e que terão melhores salários; Em 30 anos a previsão é de investimentos totais de US$ 1,7 trilhão e geração de 87 milhões de novos empregos;

20) Dívida Pública Líquida diminuindo a cada ano, estando em 33,9% do PIB atualmente (Agosto de 2014), contra 60,4% do PIB em 2002;

21) ProUni beneficiando mais de 1.560.000 estudantes desde a sua criação. É o maior programa de inclusão universitária da história do país;

24) Construção de 14 novas Universidades Federais e mais 4 que serão construídas nos próximos anos; Número de campus das mesmas passou de 148 para 274, crescendo 85%;

25) Minha Casa Minha Vida já entregou 1.700.000 moradias e com outras 400.000 serão entregues até o final de 2014, gerando um imenso benefício para a população de baixa renda. É o maior programa de construção de moradias da história do Brasil. E outras 1.300.000 moradias já foram contratadas, totalizando 3.400.000 unidades habitacionais;


O Brasil tem, atualmente, uma das menores dívidas públicas líquidas entre as principais economias mundiais e foi um dos poucos países que conseguiu reduzir a dívida pública após o início da crise global do neoliberalismo, em 2007-2008.


26) Reconstrução da Indústria Naval, que passou de 3 mil para 81 mil trabalhadores empregados e que ganhará mais 20 mil novos empregos nos próximos dois anos, em função de novas encomendas, principalmente por parte da Transpetro (subsidiária da Petrobras), e da entrada em operação de 4 novos estaleiros;

27) Patrimônio Liquido da Petrobras passou de R$ 65 bilhões, em 2002 (valor atualizado), para R$ 345 bilhões em 2013, acumulando um crescimento de 430,8%; 

28) Construção de 422 novas escolas técnicas federais, mais do que tudo o que havia sido construído, pelo governo federal, na história do Brasil; Antes eram 140 escolas e agora são 562;

29) Lucro da Petrobras aumentou em 492,8% nos governos Lula-Dilma (comparando com os 8 anos de governo FHC), atingindo o valor médio anual de R$ 27 bilhões/ano entre 2003-2013;


Entre 2002 e 2013 a safra de grãos do Brasil aumentou de 97 milhões de toneladas para 188 milhões de toneladas e as previsões para 2014 são de que ela chegará a 192,5 milhões de toneladas. 


30) Criação de 20.500.000 empregos com carteira assinada entre 2003-2014. Em 2001, eles representavam apenas 45,3% do total de empregos existentes no país. Em 2011 os empregos formais passaram a representar 56% de todos os empregos do país;

31) Criação do Pronatec, que já beneficiou 4.600.000 estudantes em dois anos, que fazem cursos de qualificação profissional, colaborando para que consigam empregos melhores e com salários mais altos; no total 8 milhões de pessoas serão beneficiadas pelo programa;

32) Criação do Mais Médicos, que prevê investimentos de R$ 15 bilhões em infra-estrutura na saúde pública (em hospitais e em unidades de saúde) em todo o país até o final de 2014; Até 2014 teremos 13 mil médicos atendendo a população brasileira em todo o país, em regiões onde eles são muito poucos ou inexistentes. Atualmente este número já chega a mais de 6600 médicos;

33) O programa Bolsa Família teve um orçamento de R$ 24 bilhões em 2013 (0,48% do PIB), beneficiando 13.800.000 famílias que têm uma renda per capita mensal de até R$ 140;

34) Pronaf (agricultura familiar) tem orçamento de R$ 24 bilhões, para custeio e investimento, na safra 2013-2014;

35) Superávit Comercial acumulado de US$ 311 bilhões entre 2003-2013; 

36) Exportações atingindo os US$ 740,7 bilhões nos 3 primeiros anos do governo Dilma (2011-2013), representando um recorde histórico (média anual de US$ 246,9 bilhões);

37) Vendas de veículos no mercado interno superaram 3,5 milhões  de unidades em 2013, transformando o Brasil no 4o. maior mercado mundial do setor, atrás apenas de China, EUA e Japão;

38) Indústria automobilística bateu recorde histórico em 2013, com a produção crescendo 9,9% e ultrapassando 3,7 milhões de unidades;

39) Exportações de veículos ultrapassaram os US$ 16,6 bilhões em 2013, batendo um recorde histórico e ultrapassando as 563 mil unidades vendidas ao exterior;

40) O Superávit comercial do agronegócio ultrapassou US$ 82,9 bilhões em 2013;


O percentual de pobres caiu fortemente durante os governos Lula e Dilma, diminuindo de 26,7% em 2002 para 9,6% em 2013. 

41) Luz Para Todos beneficiou mais de 15 milhões de pessoas; foram feitas mais de 3.750.000 ligações (gratuitas) e gerados 462 mil empregos graças ao programa;

42) O programa 'Ciência Sem Fronteiras' já beneficiou mais de 60 mil estudantes  brasileiros que vão para o exterior, estudar em universidades dos EUA e Europa;

43) O desmatamento na Amazônia caiu para 4571 km2 em 2012, o menor índice já medido desde 1988. Entre 2003-2014, a queda no desmatamento foi de 79%;

44) Criação do programa 'Minha Casa Melhor', que financia a compra de inúmeros bens (móveis, tv, microondas, computador, lavadoras, fogão) para as famílias do 'Minha Casa Minha Vida'. O valor financiado já ultrapassou R$ 1 bilhão e beneficiou mais de 217 mil famílias;

45) Desembolsos do BNDES saíram de R$ 38 bilhões em 2002 para R$ 190 bilhões em 2013, acumulando um crescimento de 400% neste período;

46) Tarifa de energia elétrica foi reduzida em 20%, em média, em 2013; Com isso, a tarifa brasileira se tornou uma das mais baratas, atrás apenas da cobrada nos EUA, França e Finlândia;

47) Desoneração da folha de pagamento, para reduzir os custos das empresas, tornando-as mais competitivas. Somente em 2013, o valor desse benefício chegou a R$ 17 bilhões;


Redução de tarifa de energia pelo governo Dilma, em 2013, fez com que a tarifa brasileira se tornasse uma das 4 menores do mundo.

48) Criação do SAMU, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, pelo governo Lula, no ano de 2004;

49) Criação do programa 'Farmácia Popular', que vende remédios essenciais a preços reduzidos; O programa foi criado em 2004, no primeiro mandato do Presidente Lula;

50) Aprovação da PEC das Domésticas, pelo governo Dilma, no ano de 2013, beneficiando mais de 7 milhões de trabalhadores (as) do setor;

51) Brasil consegue obter o grau de investimento, em 2009, atraindo mais investimentos estrangeiros produtivos, contribuindo para o crescimento econômico do país e passando a ter acesso a empréstimos externos com taxas de juros menores, reduzindo o custo de se produzir no país;

52) Brasil torna-se o 4o. país que mais atrai investimentos estrangeiros diretos no mundo em 2012, recebendo US$ 65 bilhões. Somente no período de Janeiro/2011 a Agosto/2014, o Brasil recebeu US$ 230 bilhões em investimentos produtivos do exterior;

53) O número de alunos matriculados nas Universidades Federais cresceu de 596.000, em 2003, para 1.029.000 em 2011, acumulando um crescimento de 72,7% no período;

54) O orçamento das Universidades Federais passou de R$ 10,3 bilhões, em 2003, para R$ 25,9 bilhões em 2012, acumulando uma expansão de 151,5%;

55) Conquista da realização da Copa do Mundo de 2014. Estudos mostram que a mesma irá movimentar R$ 183 bilhões, gerando milhões de empregos e contribuindo para o crescimento do PIB;

56) Conquista da realização das Olimpíadas de Verão, que serão realizadas no Rio de Janeiro em 2016;

57) Pagamento integral da dívida do Brasil com o FMI, que deixou de governar o país. Além disso, o Brasil é que se tornou credor do FMI...;


Situação econômica-financeira da Petrobras teve uma gigantesca melhoria a partir do governo Lula.


58) Criação do programa Brasil Sem Miséria, que inclui políticas de garantia de renda, acesso à serviços públicos e inclusão produtiva;

59) Criação do programa de saúde bucal 'Brasil Sorridente', que beneficia mais de 70 milhões de pessoas em todo o país;

60) Construção e ampliação de 500 UPAs em todo o país até o final de 2014;

61) 133 milhões de brasileiros já têm acesso à Internet Banda Larga.


Links:

Pronatec já beneficiou mais de 4.600.000 estudantes em dois anos:

http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/10/pronatec-beneficiou-46-milhoes-de-estudantes-em-dois-anos-nota-dilma.html

Indústria da Construção Naval irá gerar 30 mil novos empregos nos próximos dois anos:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-12/quatro-novos-estaleiros-devem-gerar-30-mil-novos-empregos-na-industria-naval

Minha Casa Minha Vida já entregou 1.400.000 novas moradias:

http://www.pac.gov.br/noticia/22141600

Projeto de Transposição do Rio São Francisco:

http://www.integracao.gov.br/projeto-sao-francisco1

Programa Mais Médicos:

http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/acoes-e-programas/mais-medicos/mais-sobre-mais-medicos/5953-como-funciona-o-programa


A crescente formalização do mercado de trabalho universaliza o acesso dos trabalhadores assalariados às leis trabalhistas. 

Mais Médicos terá 13 mil médicos atendendo a população até 2014:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-11-04/dilma-proxima-chamada-do-mais-medicos-ocorre-em-dezembro

Orçamento do Bolsa Família em 2013 chega a R$ 24 bilhões:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-10-20/bolsa-familia-completa-dez-anos-beneficiando-50-milhoes-de-pessoas

Exportações de veículos bateram recorde histórico em 2013:

http://www.anba.com.br/noticia/21862027/industria/exportacao-de-veiculos-e-recorde/

Produção de veículos cresce 9,9% e bate recorde em 2013:

http://g1.globo.com/carros/noticia/2014/01/producao-de-veiculos-cresce-99-em-2013-e-bate-recorde-diz-anfavea.html

Superávit Comercial do Agronegócio ultrapassou os US$ 82,9 bilhões em 2013:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2014-01-13/agronegocio-encerra-2013-com-superavit-de-us-8291-bilhoes


No período de 2003-2013, o Brasil criou 15.800.000 empregos com carteira assinada.

Luz Para Todos já beneficiou mais de 15 milhões de pessoas:

http://www.pac.gov.br/noticia/f9ddb0ca

Programa 'Ciência Sem Fronteiras' já beneficiou mais de 60 mil estudantes:

http://www.youtube.com/watch?v=AZ4W2dpUmfg

Em 2012, Amazônia Legal têm o menor índice de desmatamento desde que começaram as medições:

http://g1.globo.com/natureza/noticia/2013/06/dado-consolidado-aponta-baixa-recorde-no-desmate-da-amazonia.html

Minha Casa Melhor já ultrapassou R$ 1 bilhão em financiamentos:

http://mcmv.caixa.gov.br/minha-casa-melhor-ja-beneficiou-mais-de-217-mil-familias/

Tarifa de energia é reduzida em 20% pelo governo Dilma:

http://www.brasil247.com/pt/247/economia/123947/Tarifa-de-energia-do-Pa%C3%ADs-est%C3%A1-entre-as-mais-baratas.htm

Desoneração da folha de pagamento reduz gastos das empresas em R$ 17 bilhões em 2013:

http://economia.ig.com.br/2013-09-26/desoneracao-da-folha-de-pagamento-deve-somar-r-17-bilhoes-no-ano.html

Aprovação da PEC das Domésticas corrige omissão da Constituição:


http://www.redebrasilatual.com.br/trabalho/2013/03/pec-das-domesticas-corrige-erro-de-25-anos/view


Bolsa Família (que a oposição demotucana psolenta chama de 'Bolsa-Vagabundagem' e 'Bolsa-Esmola') reduziu significativamente a extrema pobreza no Brasil. 

Brasil é o primeiro país a obter grau de investimento após a crise:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/09/090922_moodys_bg_ac.shtml

Brasil torna-se o 4o. país que mais atrai investimento estrangeiro direto:

http://economia.terra.com.br/brasil-e-4-em-ranking-de-investimento-estrangeiro-da-onu,6908a6834cc90410VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html

Programa Brasil Sem Miséria:

http://www.brasilsemmiseria.gov.br/

110 milhões de brasileiros já têm acesso à Internet Banda Larga:

http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=34669&sid=4#.UuG3xRBTvIU