segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

A massificação da Internet Banda Larga é a 'Ley de Medios' dos governos Lula e Dilma para o Brasil! - por Marcos Doniseti!

A massificação da Internet Banda Larga é a 'Ley de Medios' dos governos Lula e Dilma para o Brasil! - por Marcos Doniseti!

A partir de 2008 a maioria da população que têm acesso à Internet passou a ser originária das classes populares (CDE), demonstrando a crescente massificação da Internet no Brasil. 

A política de comunicação dos governos petistas!

No início do governo Lula, ainda em 2003, a Rede Globo (que estava falida, com um patrimônio líquido negativo) chegou a pedir R$ 2 bilhões emprestados do BNDES. Mas tal empréstimo jamais foi liberado.

Os filhos do Roberto Marinho imaginaram que receberiam do novo governo petista o mesmo tratamento que lhes foi oferecido pelo governo FHC, que liberou umempréstimo do BNDES para a Net, no valor de R$ 200 milhões, em Março de 2002.

Na época, o então ministro da Casa Civil, Zé Dirceu, chegou a dizer que o BNDES não era hospital para salvar empresas privadas falidas, mas que financiava investimentos produtivos. Se ainda não existiam motivos para a Rede Globo detestar Zé Dirceu, a partir daí ela passou a tê-los de sobra. 

Tal como muitos dos simpatizantes e eleitores do PT, sou crítico da política de comunicação do governo federal. É um absurdo gastar tanto dinheiro de propaganda com um partido político de oposição eternamente golpista e reacionário como é o PIG(Rede Globo, Veja, SBT, Folha, Estadão, RBS). As famílias que controlam estes verdadeiros latifúndios midiáticos (Marinho, Frias, Abravanel, Mesquisa, Civita, Sirotsky, sempre adotaram posições políticas reacionárias.

Exemplos disso, ao longo da história, não faltam, como o fato do 'Estadão' ter ficado contra a Lei Áurea e a criação das Leis Trabalhistas, da Globo ter feito campanha contra a criação do 13o. Salário, bem como o apoio destes veículos de comunicação aos inúmeros Golpes de Estado que tivemos no Brasil (1954, 1955, 1956, 1959, 1961 e, principalmente, 1964). Quando ocorreu o Golpe de 1964, os jornais fizeram editoriais (tal como 'O Globo') comemorando a vitória do movimento golpista, dizendo que o mesmo iria acabar com a corrupção e restaurar a Democracia no Brasil. Ocorreu exatamente o contrário.

Não é preciso me alongar muito para mostrar o caráter essencialmente golpista e reacionário da Grande Mídia tupiniquim. 

O grande problema, nesta área, é o fato de que a grande maioria dos veículos de comunicação (emissoras de rádio, TV, jornais, etc) pertence a políticos. Muitas vezes o 'dono' é um mero laranja das lideranças políticas e tradicionais mais poderosas. 

Sarney, Collor, Henrique Alves, o clã ACM (só para citar alguns) são donos de emissoras de TV que retransmitem a programação da Globo em seus respectivos estados. Agripino Maia e a sua família são proprietários da emissora que retransmite a programação da Rede Record no Rio Grande do Norte. E por aí vai...

Nestas condições, não me surpreende que estes clãs, de características claramente coronelísticas, sejam tão poderosos politicamente.

Surpreendente seria se isso não acontecesse.

E uma 'Ley de Medios' (como a que a Presidenta Cristina Kirchner aprovou na Argentina, com amplo apoio popular e da própria classe política) não é aprovada no Brasil por uma razão bem simples: os políticos não são masoquistas e não darão um tiro de canhão no próprio pé.

A principal fonte do poder político e econômico deles é justamente o controle da mídia.E uma Ley de Medios acabaria com isso. 

Assim, seque tenhamos uma forte pressão popular organizada exigindo aDemocratização da Mídia, tudo continuará como está, pelo menos quanto à propriedade dos veículos de comunicação.

Mas isso significa que os governos de Lula e Dilma não fizeram nada para combater e diminuir o poder destes verdadeiros latifúndios midiáticos? Penso que não é bem assim. 

O que irá enfraquecer a Grande Mídia, no Brasil, é a revolução tecnológica que está ocorrendo no setor de telecomunicações e que se desenvolve no mundo inteiro, e da qual o Brasil também participa de forma cada vez mais significativa.

Tal revolução midiática tornará as mídias tradicionais (emissoras de TV, rádio, jornais, revistas) totalmente irrelevantes ou, no mínimo, bem menos poderosas e influentes do que são atualmente. 

Jornais, revistas, canais de TV, emissoras de rádio, irão se esvaziar de forma irreversível e progressiva. Muitos destes veículos de comunicação irão quebrar, pura e simplesmente, enquanto que outros irão diminuir de tamanho, fechando jornais, revistas, enquanto direcionará os seus investimentos para o ambiente bem mais competitivo (e imprevisível, portanto) da Internet. 
Outros ainda  mudarão de plataforma e passarão a existir apenas na Internet.

E na Internet, os veículos de comunicação tradicionais terão concorrentes, sim, o que não acontece nas mídias tradicionais, onde exercem um monopólio descarado, nos mais variados aspectos: econômico, de opinião, etc. 

Basta ver que, no mínimo, 9 de 10 analistas políticos e econômicos que trabalham para a Grande Mídia são direitistas retrógrados e reacionários. E quem escreve algo que desagrade ao patrão, corre o sério risco de ser demitido sumariamente. Foi o que aconteceu, por exemplo, com Maria Rita Kehl, que era colunista do 'Estadão' e que foi demitida ao elogiar o governo Lula e o programa Bolsa Família. Com isso, ela nunca mais foi convidada para escrever no 'jornalão' dos Mesquita. 

Já na Internet existe uma diversidade infinitamente maior, em todos os aspectos, com a população tendo acesso a inúmeros blogs, sites, etc, que muitas vezes conseguem até desmistificar mentiras e manipulações grosseiras promovidas, de forma descarada, pela Grande Mídia. 

Enfim, com a massificação da Internet Banda Larga, teremos uma hiper-fragmentação do setor, com milhares de novas fontes de informação disponíveis para toda a população, o que é muito mais democrático, sem dúvida alguma, do que a situação anterior em que meia-dúzia de latifundiários midiáticos decidiam o que os brasileiros poderiam ficar sabendo ou não. 


Me parece que essa medida (a massificação da Internet Banda Larga) é a verdadeira 'política de comunicação' dos governos petistas, ou seja, apostar no esvaziamento da Grande Mídia reacionária e golpista e promover a disseminação da Internet Banda Larga (e, logo, das Redes Sociais), fazendo com que elas se tornem acessíveis a toda a população.

Basta ver que foram os governos de Lula e Dilma que exigiram que as empresas de telecomunicações barateassem o acesso à Internet Banda Larga e que reduziram os impostos sobre computadores (já em 2007) e smartphones (em 2013).

Com isso, a Internet Banda Larga está passando por um processo de massificação muito rápido no país. Em apenas 12 meses (entre Junho de 2012 e Junho de 2013) 31 milhões de novos acessos foram ativados no país. 

Atualmente, o Brasil já conta com 110 milhões de usuários deste serviço e a sua expansão continuará nos próximos anos. Entre meados de 2012 e de 2013 o crescimento da mesma atingiu espantosos 39% e nestes 12 meses (entre Junho de 2012 e Junho de 2013) 31 milhões de novos acessos foram ativados no país. 

E é bom não esquecer que este crescimento do acesso à Internet está diretamente relacionado com as melhorias econômicas e sociais que o país passou durante os governos Lula e Dilma, com redução da inflação, expansão e barateamento do crédito, aumentos reais de salários, queda dos juros, entre outras, que contribuíram para que tenhamos esse crescimento cada vez mais acelerado da Internet Banda Larga no país. 

E a capacidade dela de influenciar os acontecimentos políticos e sociais no país já ficou claro com as 'Jornadas de Junho', quando milhões de pessoas saíram às ruas de todo o país exigindo serviços públicos de melhor qualidade, mudanças no sistema político e maior participação nas decisões dos governantes. 

Tenho certeza de que, em 2014, a importância da Internet e das Redes Sociais nas eleições será fundamental e começará a rivalizar com o rádio e a TV. 

Assim, 'a ficha irá cair', finalmente, para muitos colunistas da Grande Mídia, retrógrados e preconceituosos, que ainda pensam que a opinião deles é levada em consideração pela maioria dos brasileiros, aos quais teriam o poder de influenciar na hora do voto. 

Quando descobrirem que a situação mudou e que isso acabou, o desespero baterá à porta destes neofascistas.

Então, entendo que são essas mudanças, revolucionárias, no funcionamento da Mídia e das Telecomunicações isso que irão, gradualmente, esvaziar e diminuir o poder da Grande Mídia.

E os governos de Lula e Dilma dão a sua contribuição na medida em que tomaram algumas decisões que facilitaram e aceleraram o processo de inclusão digital que, neste momento, se expande e acelera rapidamente no país. 

É como se os governos de Lula e Dilma decidissem enfraquecer a Grande Mídia comendo pelas beiradas, sem confrontá-la diretamente, mas agindo claramente no sentido de diminuir a sua influência e o seu poder.

Me parece que essa é a 'política de comunicação' dos governos petistas (de Lula e Dilma), ou seja, apostar no esvaziamento da Grande Mídia pela disseminação da Internet Banda Larga entre toda a população brasileira.

Esta é a nossa versão da 'Ley de Medios' criada e aprovada por Cristina Kirchner na Argentina. 

Internet Banda Larga Para Todos Já!

Links:

TV perde espaço rapidamente para a Internet:


Banda Larga cresce 39% em 12 meses e chega a 110 milhões de brasileiros:


Computadores de até R$ 4 mil tem redução de imposto:


'Estadão' está à venda, mas não há comprador:


Governo Dilma zera imposto de smartphones:


O governo Lula e a democratização da Mídia:


Renda dos mais 10% mais pobres cresceu 120% entre 2001-2012, diz IPEA:


'Estadão' e a demissão de Maria Rita Kehl:

Dilma e o Terrorismo Midiático! - por Marcos Doniseti!

Dilma e o Terrorismo Midiático! - por Marcos Doniseti!





Como vimos no pronunciamento da Presidenta Dilma neste Domingo à noite, ela 
finalmente atacou a Grande Mídia, reacionária e golpista, pelo que chamou de 'guerra psicológica' (e que eu chamo de "Terrorismo Midiático", mesmo) que a mesma promove contra a economia do país, tentando desestabilizar a mesma com o objetivo claro de provocar uma crise econômica e social.




A Grande Mídia e seus colunistas amestrados (não é preciso citá-los... todos sabem de que se trata, não é mesmo?) vive tentando convencer aos brasileiros de que o Brasil está numa situação econômica, financeira e social muito ruim e que nos encontramos à beira do abismo.

Porém, quando se têm acesso aos dados e informações que mostram a evolução pela qual o Brasil passou desde o primeiro mandato de Lula, vemos que esse discurso não tem nenhuma base de sustentação na realidade concreta vivida pela população.

Agora mesmo, vimos essa Grande Mídia reacionária e golpista (afinal ela apoiou todos os Golpes de Estado que tivemos no Brasil desde 1945 e quem apoia Golpes é golpista, certo?) tentar convencer a população de que tivemos 'o pior Natal em 11 anos', embora as vendas (tanto nos shoppings, como pela Internet) tenham crescido em relação a 2012.

E para mostrar que a Grande Mídia está totalmente equivocada na 'análise' medíocre e equivocada que faz sobre a situação do país, nada como demonstrar isso com dados concretos, que é o que farei a partir de agora.

Entre algumas das principais realizações dos governos Lula e Dilma, temos o seguinte:

1) Redução da dívida publica de 60,5% do PIB para 33,9% do PIB;

2) O déficit público nominal (que inclui gastos com juros da dívida pública) caiu de 7% do PIB (média anual do governo FHC) para 2,7% do PIB (média dos governos Lula-Dilma);

3) Aumentaram as reservas internacionais líquidas de US$ 17 bilhões para US$ 377 bilhões;

4) Reduziram o risco-país para um patamar semelhante ao dos países ricos. Justamente por isso é que a Grande Mídia nem fala mais sobre o assunto;

5) Aumento do poder de compra do salário mínimo em quase 73%. O poder de compra é o maior desde 1979. Em dólares o mesmo passou de US$ 55 para US$ 308 (aumento de 450%);

6) Redução do percentual de pobreza extrema de 29% para 12%;

7) A taxa de desemprego caiu de 10,5% (Dezembro de 2002) para 4,6% (Novembro de 2013);



8) 40 milhões de pessoas subiram para a classe C e outros 10 milhões subiram para as classes AB entre 2003-2011, o que dá a população da Espanha e de Portugal somados;
9) A inflação acumulada entre 2003-2013 (80%) é inferior à dos 8 anos do governo FHC (100,6%);

10) A taxa Selic caiu de 25% a.a. para 10% a.a.;

11) O número de usuários de Internet Banda Larga chegou a 110 milhões em meados deste ano.

Mas, segundo a Grande Mídia e a oposição reacionária e golpista, o Brasil vai de mal a pior.

Acredite, se quiser.

domingo, 29 de dezembro de 2013

A Agricultura Familiar e o Agronegócio! - por Marcos Doniseti!

A Agricultura Familiar e o Agronegócio! - por Marcos Doniseti!

Enquanto o Agronegócio responde por grande partes das exportações do país, a Agricultura Familiar garante o abastecimento interno. O Brasil é o ÙNICO país do mundo que consegue desenvolver os dois modelos de produção de alimentos, que não são excludentes, mas complementares. 

Muitos criticam o Agronegócio, que seria um modelo de produção concentrador de terras e de renda nas mãos de um pequeno número de grandes proprietários. 

Mas, não dá para negar que o Agronegócio é importante, sim, essencialmente pelas exportações que ele gera, que garantem o superávit comercial necessário para que o Brasil possa pagar os seus compromissos financeiros externos em dia, sem precisar apelar para moratórias ou calotes ou ter que estar sempre recorrendo ao FMI (como o governo FHC vivia fazendo).

Assim, entre Janeiro e Novembro de 2013, o superávit comercial do Agronegócio brasileiro atingiu os US$ 93,5 bilhões. 

Ele é um negócio altamente organizado, que não começa e nem termina nas grandes propriedades rurais. Na verdade, as unidades do Agronegócio são imensas Indústrias Rurais de grande porte. 

Estas são altamente mecanizadas e usam de tecnologia de ponta (sementes transgênicas, máquinas sofisticadas, adubos e fertilizantes, etc). O Agronegócio está intimamente ligado ao sistema financeiro, às grandes empresas distribuidoras e comercializadoras de commodities que atuam no mundo inteiro (ex: Cargill, Louis Dreyfuss, etc) e às Bolsas de Mercadorias (a de Chicago em especial).

Assim, embora muitos pensem o contrário, esse Agronegócio atual não tem muito a ver com aquela velha e tradicional atividade de produção e exportação de produtos primários, sem qualquer tecnologia mais sofisticada envolvida. 


O superávir comercial gerado pelo Agronegócio é o que impede o Brasil de ter que recorrer ao FMI todos os anos, contribuindo para a soberania econômica, financeira e política do país. 

Exemplo: Se não fosse pela Embrapa, que criou e desenvolveu sementes de soja que se adaptaram perfeitamente ao cerrado, o Brasil jamais teria se transformado no maior exportador mundial de soja. E foi esta atividade, em especial, que permitiu desenvolver economicamente o Centro-Oeste brasileiro. 

Aliás, no segmento de soja, o Brasil se tornou o segundo maior produtor mundial, o maior exportando do planeta e a produtividade brasileira (2.939 kg/ha) do setor é maior do que a dos EUA (2.679 kg/ha). 

Mas em termos de geração de empregos e produção de alimentos para abastecer o mercado interno, daí não se discute que a Agricultura Familiar é que é muito mais importante. 

Os dados são claros, neste aspecto. Sem a Agricultura Familiar, morreríamos de fome. 

O fato concreto é que o Brasil é o único país do mundo que pode fazer as duas coisas, ou seja, ter um Agronegócio altamente competitivo globalmente (e o brasileiro é o mais competitivo do mundo), que gere as dividas necessárias para manter os compromissos externos do país em dia, e possuir uma Agricultura Familiar que garanta empregos no campo e alimente a população das cidades. 

Nenhum outro país do mundo consegue isso. Nenhum. Os outros países têm que escolher: ou desenvolvem a Agricultura Familiar (caso da China) ou o Agronegócio (caso do s EUA). Os dois, ao mesmo tempo, não. Essa é um exclusividade brasileira. 

E esta é uma vantagem que o Brasil está sabendo valorizar, pelo menos desde o governo Lula (FHC deu pouco valor à Agricultura Familiar; o orçamento do Pronaf, na época, era muito menor do que o atual). 

O Pronaf, atualmente, já tem um orçamento anual de R$ 21 bilhões (Plano Safra Agricultura Familiar 2013-2014), tendo sido extremamente valorizado pelos governos Lula e Dilma. 

Produção de soja se expande cada vez mais pelo país. E a Embrapa, um dos principais centros de pesquisa agropecuárias do mundo, teve um papel fundamental nisso, criando sementes que se adaptaram ao Cerrado, o que fez do Centro-Oeste uma região desenvolvida economicamente.


O governo Lula teve o discernimento necessário para perceber isso, ou seja, que dá para ter os dois modelos de produção de alimentos em nosso país. E temos muito a ganhar com isso. 

O Agronegócio garante um superávit comercial significativo e, assim, sustenta a nossa soberania financeira frente aos governos dos países mais ricos e ao FMI-Banco Mundial. 

Enquanto isso, a Agricultura Familiar gera empregos no campo e alimenta a população urbana.

Isso comprova, a meu ver, que os dois modelos de produção de alimentos não são excludentes, mas complementares e ambos dão uma contribuição importante para o desenvolvimento do país. 

Entre 2012-2013 o orçamento da do Pronaf subiu 16%. A Agricultura Familiar passou a ser bastante valorizada a partir dos governos Lula e Dilma. 


Links:

Agronegócio consegue superávit comercial de US$ 93,5 bilhões entre Janeiro e Novembro:

http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2013/12/balanca-comercial-do-agronegocio-cresce-5-6-em-2013-e-tem-superavit-de-us-93-5-bi-1

O orçamento do Pronaf chega a R$ 21 bilhões em 2013-2014:

http://www.bb.com.br/portalbb/page100,8623,10891,0,0,1,1.bb?codigoNoticia=11797&codigoMenu=11721&codigoRet=11812&bread=8_4

Como funciona o Pronaf:

http://portal.mda.gov.br/portal/saf/programas/pronaf

A Louis Dreyfuss, uma das grandes empresas globais no setor de commodities:

http://www.ldcom.com.br/Sobre_LDC/Paginas/ldc_numeros.aspx

Razões para o crescimento da produção de soja no Brasil:

http://www.cnpso.embrapa.br/producaosoja/SojanoBrasil.htm

Produção, área plantada e produtividade da soja no Brasil, EUA e no Mundo:

http://www.cnpso.embrapa.br/index.php?cod_pai=69&op_page=294

sábado, 28 de dezembro de 2013

O desespero da Grande Mídia com a provável vitória de Dilma em 2014 - por Marcos Doniseti!

O desespero da Grande Mídia com a provável vitória de Dilma em 2014 - por Marcos Doniseti!

Entre 2003 e 2014 as classes ABC terão acumulado um crescimento de 85,7%, passando de 79,2 milhões para 147,1 milhões. Assim, 67,9 milhões de brasileiros terão subindo de classe sócio-econômica em um período de apenas 12 anos.

A Grande Mídia e seus colunistas principais já caíram numa situação de desespero total, pois eles já perceberam que nem com Joaquim Barbosa participando da eleição presidencial será possível derrotar Dilma. 

Além da popularidade desta estar crescendo cada vez mais, e dificilmente esta tendência será interrompida nos próximos meses, ela ainda contará com o decisivo apoio do Presidente Lula, cuja popularidade é ainda maior do que a da atual Presidenta brasileira. Como se diz Lula 'é o Pelé no banco de reservas' da política brasileira, pois nenhuma outra liderança política nacional têm a sua popularidade. 

Além disso, a economia brasileira está em boa situação e assim continuará em 2014, com inflação controlada (o IGP-M fechou em apenas 5,51% em 2013), as contas públicas continuam equilibradas (a dívida pública líquida sofreu nova redução e terminou Novembro em 33,9% do PIB), com o desemprego em queda (4,6% em Novembro e em Dezembro será ainda menor, fechando o ano com a menor taxa desde o início da série histórica, em Março de 2002) e salários reais aumentando (o salário mínimo subiu para R$ 724, o que beneficia 46 milhões de pessoas), as concessões de infra-estrutura avançando cada vez mais e os investimentos do pré-sal começando a deslanchar.  



A oferta de crédito imobiliário cresceu 34% entre Janeiro e Novembro deste ano e as montadoras de veículos anunciaram investimentos de R$ 5,2 bilhões apenas em 2013. 

Além disso, em 2014, será a vez das concessões das ferrovias, que também irão contribuir para melhorar a infra-estrutura de transporte do país, aumentando a competitividade da economia brasileira. 

E para ajudar um pouco mais, o cenário internacional começou a melhorar, com a economia dos EUA passando por uma recuperação mais forte, sendo que até o FMI já elevou a sua previsão de crescimento para a economia ianque em 2014. 

Neste contexto, não há a menor possibilidade da economia brasileira entrar em crise e a Grande Mídia já percebeu isso, embora vá continuar fazendo de tudo para continuar convencendo os brasileiros do contrário. Vejam a maneira como a Grande Mídia divulgou os dados a respeito das vendas do Natal: ela disse que foi o pior Natal em 11 anos, o que é mentira, pois as vendas nos shoppings cresceram 5% em relação a 2012 e as vendas pela Internet aumentaram 41% neste ano. 

Mesmo com as vendas do Natal tendo crescido nos shoppings e pela Internet, a Grande Mídia tentou vender a ideia de que este foi o 'pior Natal em 11 anos'. 

Então, se as vendas aumentaram, como é que este pode ter sido o 'pior Natal em 11 anos'? Isso é coisa de louco, mas mostra o quanto a Grande Mídia está disposta a tentar provocar uma crise econômica no país em 2014 e de qualquer maneira. 

Logo, a Grande Mídia fez de tudo, neste ano, para convencer a população de que o país vai de mal a pior, mas fracassou totalmente neste objetivo. Desde o início de 2013, a Grande Mídia tentou fabricar uma série de crises, como as do racionamento de energia, da falência da Petrobras, da disparada da inflação, do aumento do desemprego e do caos fiscal. 

Nada disso aconteceu, é claro, mas a manipulação grosseira e desonesta a respeito da economia brasileira não parou e nem irá parar, como este Natal deixou bem claro. 

Assim, com o noticiário catastrofista fracassando, qual é alternativa que resta para essa oposição midiática-judiciária reacionária e golpista?

Entendo que eles irão apostar tudo na criação do caos no país, principalmente durante a Copa do Mundo, tal como já apontado por Antonio Lassance, em artigo publicado no site da 'Carta Maior' (link abaixo). 

Inflação acumulada foi caindo durante 2013, mas nem assim a Grande Mídia desistiu de fazer terrorismo com o assunto. 


Inclusive, percebe-se, claramente, que baixou o desespero nos colunistas da Grande Mídia. Quando foram questionados a respeito do que esperam para 2014, todos disseram que querem ver o povo protestando nas ruas de todo o país novamente. Elio Gaspari chegou a escrever um texto sobre isso no final de semana passado.  

Logo, com certeza, a Grande Mídia tentará mobilizar a população, principalmente a classe média tradicional, que rejeita o processo de inclusão social que se desenvolve no país, vendo neste uma ameaça ao seu status na sociedade. 

Vários colunistas da Grande Mídia, como Danuza Leão, já vieram a público demonstrar sua rejeição a este processo, o que mostra o mal-estar existente entre a classe média tradicional (aquela mesma que apoiou o Golpe de 1964 e se deliciou com o 'Milagre Brasileiro' da Ditadura Militar) com esta situação. 

Mas e se o povo protestar contra a própria Mídia, gritando 'Abaixo a Rede Globo' ou então 'Eu sei a vida é dura, a Globo apoiou a Ditadura?' E daí, como é que fica? Ou ainda, se a população vier a exigir mais investimentos públicos em saúde, educação, transporte coletivo, mostrando uma rejeição ao Neoliberalismo, defendido pela Grande Mídia de maneira entusiástica e que prega justamente o contrário destas reivindicações (pois ela é defensora intransigente das políticas neoliberais do Estado Mínimo). 

Em 2013, a Grande Mídia tentará ressuscitar as 'Marchas da Família com Deus e pela Liberdade', chamando a população, principalmente a classe média tradicional, para sair às ruas e protestar contra o governo Dilma, tentando inviabilizar a reeleição desta. 

Assim, será que a oposição direitista e reacionária irá insistir nesta estratégia, de chamar a população para as ruas, mesmo correndo o sério risco de que isso represente um tiro de canhão no próprio pé? 

Com certeza, sim. Até porque não restará outra opção, mesmo. 

O fato concreto é que a oposição Direitista Reacionária está desesperada com a possibilidade, mais do que concreta, de sofrer uma nova derrota na eleição presidencial de 2014.

Assim, ela irá para o tudo ou nada.

Quem viver, verá. 

Links:

A avaliação de João Sicsú sobre o desempenho da economia brasileira em 2013:

http://www.vermelho.org.br/radio/noticia.php?id_noticia=231476&id_secao=333&flag=1

Direita Midiática-Judiciária irá apelar para o 'vemprarua' em 2014:

http://www.cartamaior.com.br/?/Editorial/A-vez-dos-amigos-do-povo/29887

Taxa de desemprego recua para 4,6% em Novembro: 

http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Economia/Taxa-de-desemprego-recua-ao-patamar-historico-de-4-6-/7/29853

Presidente da Riachuelo diz que esta será 'a década do varejo':

http://brasileconomico.ig.com.br/noticias/vai-ser-a-decada-do-varejo_137942.html

Dilma larga em melhores condições que Lula e FHC para a disputa da Reeleição:

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/fernandorodrigues/2013/12/1389838-a-largada-de-dilma.shtml

Crédito imobiliário bate recorde e cresce 34% até Novembro:

http://classificados.folha.uol.com.br/imoveis/2013/12/1390665-credito-imobiliario-bate-recorde-e-cresce-34-no-ano-ate-novembro.shtml

Terroristas Econômicos fracassaram em 2013:

http://www.brasil247.com/+pirh0

Brasil já tem mais de 110 milhões de usuários de banda larga:

http://sites.uai.com.br/app/noticia/encontrobh/atualidades/2013/08/26/noticia_atualidades,145122/brasil-ja-tem-mais-de-110-milhoes-de-usuarios-de-internet-banda-larga.shtml

A Copa pode ser a bala de prata da oposição em 2014:

http://www.cartamaior.com.br/?/Coluna/A-Copa-pode-ser-a-bala-de-prata-da-oposicao-em-2014-/29811

Invepar vence leilão da BR-040 com deságio de 61,1% no valor do pedágio:

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/12/1390560-invepar-vence-leilao-de-br-040-com-desconto-de-6113-no-pedagio.shtml

FMI eleva previsão de crescimento da economia dos EUA:

http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/12/fmi-diz-que-vai-elevar-previsao-de-crescimento-economico-dos-eua-2.html

Governo Dilma anuncia R$ 133 bilhões em concessões de rodovias e ferrovias:

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,governo-anuncia-r-133-bi-em-concessoes-de-ferrovias-e-rodovias,123234,0.htm

Colunistas da Grande Mídia querem ver o povo nas ruas em 2014, para gerar o caos no país:

http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Velha-midia-quer-a-Presidencia-de-presente-de-Natal/4/29873

PHA: Elio Gaspari - O guru dos coxinhas:

http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/12/25/o-de-multiplos-chapeus-como-guru-dos-coxinhas/