domingo, 15 de setembro de 2013

Porque a vitória na votação dos embargos infringentes é tão importante! - por Marcos Doniseti!

Porque a vitória na votação dos embargos infringentes é tão importante! - por Marcos Doniseti!


O ministro Celso de Mello sempre defendeu os embargos infringentes. Não será agora que ele irá mudar de posição. 

O fato de que o STF votará a favor dos embargos infrigentes (por prováveis 6 X 5) é uma vitória muito importante (e representa, é claro, uma grande derrota da Direita Reacionária e Midiática) para os réus, principalmente aqueles que foram injustamente condenados, e por vários motivos. 

Primeiro porque isso mostra que o STF reconhecerá um direito fundamental dos réus, os mesmos que tiveram todos os seus direitos principais violados neste julgamento que se transformou em uma verdadeira farsa jurídica. 

Aquelas baboseiras que foram ditas no mesmo, por alguns ministros, como a de que 'cabe ao réu provar a sua inocência' (Fux) ou de que a 'a literatura jurídica permite condenar alguém, mesmo sem a existência de provas contra tais pessoas' (Rosa Weber) irão para a lata de lixo. 

Duvido que asneiras monumentais como essas venham a ser repetidas em um novo julgamento. Daí, os ministros que desejarem condenar os réus terão que, obrigatoriamente, usar de argumentos muito mais sólidos e consistentes do ponto de vista legal e jurídico.

Além disso, a composição do atual STF mudou com a entrada de Teori e Barroso, que são ministros constitucionalistas e não midiáticos e que não se submetem ás imundas pressões originárias dos 'Mervais' e 'Tios Reis' da vida. 

E isso é muito bom, sim, pois prenuncia que as eventuais condenações num novo julgamento não serão tão fáceis, a não ser que venham acompanhadas de provas irrefutáveis contra os réus. Se isso acontecer, Zé Dirceu e Genoíno terão grandes chances de serem absolvidos, e a tese da 'formação de quadrilha', que nunca foi provada pelo ex-Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel (o que este mesmo admitiu), poderá vir a ser derrotada. 

Daí, a própria tese da existência de um 'mensalão' cairá por terra.

Outro fato importante é o de que uma vitória dos réus, neste momento crucial, na questão dos embargos infringentes, mostrará que o 'novo STF' não se submete mais à vontade da Grande Mídia Reacionária e Golpista. E esta já sabe, também, que eventuais condenações, por si só, não são suficientes para destruir com a força eleitoral de Lula, Dilma e do PT (vide o resultado das eleições municipais de 2012, nas quais o PT foi o partido mais votado). 

Mas uma eventual derrota das teses de 'formação de quadrilha' e da existência de um 'mensalão' representará, de certa maneira, uma absolvição do PT e do governo Lula, que são, de fato, aqueles que estão sendo julgados no STF. 

E com isso o PT, Lula e Dilma sairão fortalecidos do julgamento,  que tinha como objetivo mais importante justamente o de destruir com a força política, social e eleitoral que eles possuem. 

E a Direita Reacionária e Golpista terá sofrido, sem dúvida alguma, um dos maiores reveses de toda a sua história, com o Golpe Midiático-Judiciário tendo sofrido uma monumental derrota, comparável com o suicídio de Getúlio Vargas, que impediu a vitória de um Golpe de Estado naquele momento.

Golpe Nunca Mais!



Obs:

A capa de 'Veja' deste final de semana é o famoso tiro de canhão no próprio pé, representando uma virtual confissão de que é a Grande Mídia quem está comandando essa farsa do 'julgamento' da AP 470. 

O tiro irá sair pela culatra, com certeza.

Depois disso, se o ministro Celso de Mello votar contra tudo o que pensa, e disse publicamente, a respeito dos embargos infringentes (aos quais ele sempre foi favorável), isso será a pá-de-cal sobre a sua honra, dignidade e integridade.

Enquanto isso, se ele votar de acordo com o que sempre defendeu, entrará para a história como um juiz sério, decente e coerente e que não se verga às pressões criminosas de uma Mídia Reacionária e Golpista.

Algo me diz que Celso de Mello irá preferir preservar a sua integridade e a sua biografia.