domingo, 30 de junho de 2013

Datafolha pós-protestos e vandalismo: Opção 'Nenhum' cresce de 9% para 24% entre Março e Junho! - por Marcos Doniseti!

Datafolha pós-protestos e vandalismo: Opção 'Nenhum' cresce de 9% para 24% entre Março e Junho! - por Marcos Doniseti!

Datafolha pós-protestos e vandalismo: Instituições republicanas e classe política perdem prestígio rapidamente! Somente Lula escapou da fogueira - por Marcos Doniseti!


O ex-presidente Lula  também perdeu apoio popular, mas foi o político menos afetado pelos protestos e pela violência que aconteceram durante a realização dos mesmos. Lula continua vencendo a eleição de 2014 no 1o. turno, segundo o Datafolha, mas com uma diferença menor para os adversários. 

Datafolha: Pesquisa mostra que segundo colocado na pesquisa é o 'Branco-Nulo-Nenhum-Não Sabe', com 24% dos votos. Em Março estas opções tinham apenas 9%.  

A pesquisa Datafolha divulgada neste final de semana (e que foi realizada entre os dias 27 e 28 de Junho) apontou que os protestos e o vandalismo que grassaram pelo país inteiro durante o mês de Junho acabaram por afetar fortemente não apenas ao prestígio e popularidade do governo Dilma, mas das próprias instituições republicanas e da classe política como um todo. 

Os dados da pesquisa mostraram, entre outras coisas, que Dilma perdeu 35 pontos em relação à Março deste ano, quando o mesmo era aprovado por 65% da população. Agora, o governo Dilma é avaliado como ótimo-bom por apenas 30% dos brasileiros, contra 57% da pesquisa de 08 de Junho.

Porém, quando é perguntado ao eleitor em quem ele votaria para Presidente se a eleição fosse hoje, o que acontece é um crescimento considerável pela opção 'Nenhum', que passou de meros e normais 9% em Março para espantosos 24% agora. 

Para efeito de comparação, em pesquisa Datafolha realizada nos dias 20 e 21 de Março deste ano, tivemos os seguintes resultados para o mesmo cenário (entre parêntesis coloco o resultado da pesquisa de Junho):

Dilma - 58% (30%);
Marina - 16% (23%);
Aécio - 10% (17%);
Campos - 4% (7%); 
Nenhum - 9% (24%).

Logo, o índice 'Nenhum' chega a espantosos 24% nesta pesquisa de Junho, ficando atrás apenas do índice da Presidenta Dilma, que alcança 30%, contra 23% de Marina,  17% de Aécio e 7% de Eduardo Campos.

Assim, 'Nenhum' foi a opção que teve maior crescimento desde Março, segundo o Datafolha, pois Marina (de 16% para 23%) e Aécio (de 10% para 17%) cresceram 7 p.p. cada um desde aquele mês, enquanto Eduardo Campos cresceu 3 p.p. 

Isso demonstra que, embora a candidatura de Dilma tenha sido a mais afetada, inegavelmente, o fato concreto é que tivemos um forte aumento do repúdio à classe política como um todo.

Assim, os protestos e os casos de 'vandalismo' que aconteceram durante os mesmos não beneficiaram a um candidato e em especial.

E é sempre bom levar em consideração o momento em que a pesquisa foi realizada, logo na sequência de protestos que tomaram as ruas do país inteiro durante, pelo menos, duas semanas e que infernizaram a vida da população, com quebradeiras, depredações, roubos, trânsito caótico e paralisado, e até com algumas mortes (em Ribeirão Preto e em Belo Horizonte). 

É claro que fazer uma pesquisa de avaliação dos governantes e dos prováveis candidatos à Presidente da República em 2014 mostrará uma mudança no cenário. Isso é como fazer uma pesquisa durante um período de fortes enchentes na capital paulista: elas sempre mostram uma forte queda do percentual de aprovação do prefeito. Depois que as enchentes acabam, a popularidade do mesmo volta a crescer. 

Não é de se duvidar de que, passado o pior momento da realização dos protestos,  que descambaram para inúmeros casos de violência, vandalismo, bloqueios de rodovias e avenidas vitais ao trânsito, já caótico, das cidades brasileiras, Dilma recupere uma grande parte das intenções de voto que perdeu desde a pesquisa anterior. 

Obs: Pesquisa encomendada pela CNT junto ao Ibope mostrou que 36% dos brasileiros consideraram como exagerados os casos de violência durante a realização dos protestos. E Dilma perdeu 27 p.p. de aprovação durante a realização dos mesmos. 

Não é de se duvidar que todos estes 35 p.p. perdidos por Dilma tenham sido justamente entre este segmento de eleitores, bastante numeroso, que consideraram a violência durante os protestos como sendo exagerada. 

Mas é bom ressaltar que uma grande parte dos eleitores que deixaram de considerar o governo Dilma como sendo ótimo-bom desde Março deste ano (O governo Dilma sofre uma queda de 35 p.p. entre Março e Junho, período no qual tal índice baixou de 65% para 30%) passou a considerá-lo como regular, cujo índice subiu de 27% em Março para 43% em Junho. Já o índice de ruim-péssimo subiu de 9%, em Março, para 25% em Junho. Em ambos os casos, o índice de crescimento foi semelhante, de 16 p.p.

Outro possível, mas não declarado, candidato à presidência da República que foi beneficiado pelos casos de violência e vandalismo durante os protestos das chamadas 'Rebeliões de Junho' foi o do presidente do STF, Joaquim Barbosa. 

Na pesquisa Datafolha de Março deste ano, Barbosa alcançou 7% das intenções de voto, chegou a 8% no início de Junho e, agora, na pesquisa dos dias 27 e 28 de Junho feita pelo mesmo Datafolha, atingiu os 15%, empatando tecnicamente com Marina (18%) e Aécio (15%) no segundo lugar. Eduardo Campos teria 5%.

Neste cenário, Dilma teria apenas 29% dos votos no primeiro turno e iria para um segundo turno em situação frágil, pois a soma dos demais candidatos atinge os 53%. 

Não deixa de ser significativo o fato de que uma figura pública sem nenhuma tradição de atuação política e partidária, que é o caso de Joaquim Barbosa, esteja empatado tecnicamente em segundo lugar com dois políticos tradicionais e que são conhecidos dos brasileiros, que são os casos de Marina Silva e de Aécio Neves, e deixa Eduardo Campos a ver navios, bem longe. 

Com certeza, Barbosa é visto, por um segmento expressivo da população, como uma liderança com potencial para modificar as práticas políticas tradicionais e que são, sem dúvida alguma, rejeitadas por uma grande maioria dos brasileiros, como é o caso das das alianças partidárias que todos os partidos, sem nenhuma exceção, promovem entre si. Barbosa é encarado por uma grande parcela de brasileiros como sendo um 'outsider', tal como Jânio Quadros e Fernando Collor foram vistos em 1960 e em 1989, respectivamente, quando se elegeram Presidente da República. 

Marina Silva, embora tenha sido militante do PT por muitos anos e, depois, tenha se filiado ao PV, pelo qual disputou a eleição presidencial de 2010, no qual teve quase 20 milhões de votos, também é vista desta maneira por alguns milhões de eleitores, embora no caso dela isto não seja uma verdade, já que sempre atuou dentro de partidos políticos tradicionais.  

Portanto, a pesquisa Datafolha aponta, claramente, para um nítido e significativo desgaste das lideranças e das organizações políticas tradicionais do país, incluindo-se aí os partidos políticos, as lideranças tradicionais destes, o Congresso Nacional, o Poder Executivo e os movimentos sociais tradicionais (centrais sindicais, movimento estudantil, etc) do país. 

No caso da presidenta Dilma, é até possível que ela consiga recuperar uma parte significativa da popularidade perdida nas últimas semanas. 

Porém, para conseguir atingir este objetivo, Dilma terá que ser bem sucedida nas três grandes iniciativas que tomou nesta semana, que são a realização da Reforma Política (com a promoção de um plebiscito antes que a mesma seja aprovada pelo Congresso Nacional), o forte aumento dos investimentos em serviços públicos (educação, saúde, transporte coletivo, segurança pública) que aponte claramente para a melhoria da qualidade dos mesmos e a manutenção do controle da inflação (reforçando a política de equilíbrio das contas públicas) e do baixo índice de desemprego (5,8% em Maio, que é o menor da série histórica do IBGE). 

Neste aspecto, Dilma tem a vantagem de estar com a iniciativa e também pelo fato de que as três medidas contarem com inegável respaldo popular, o que é demonstrado pelo fato de que 73% dos brasileiros, segundo o Datafolha, apoiam a Reforma Política e outros 68% são favoráveis ao plebiscito. Até mesmo a ideia de uma Constituinte Exclusiva conta com o apoio de 

Uma Constituinte Exclusiva seria vantajosa porque a classe política, historicamente, resiste à essa ideia, de aprovar uma Reforma Política, pois seus integrantes foram eleitos com base nas regras atuais e são os últimos interessados em aprovar uma mudança mais significativa das regras, com o fim do financiamento privado de campanhas eleitorais, adoção do financiamento público, fim das coligações para o Legislativo, fidelidade partidária mais rígida, entre outras mudanças que são mais do que necessárias para se modificar e melhorar a qualidade do sistema político brasileiro. 

O atual sistema político, definido na Constituição de 1988, transformou os chefes do Poder Executivo (Presidente da República, Governadores e Prefeitos) em reféns do Congresso Nacional e do Poder Legislativo, onde uma a infinidade interminável de partidos e legendas (muitas de aluguel, literalmente...) estão representados. 

Atualmente, temos 27 partidos políticos com representantes no Congresso Nacional, o que abre um vasto caminho para que tenhamos uma fisiologia desenfreada na relação entre os poderes Executivo e Legislativo. 

É o famoso 'toma lá, da cá' ou o conhecido 'É dando que se recebe' (de Roberto Cardoso Alves), que se estabelecer na relação entre os dois poderes encarregados de governar o país, pois o primeiro (Executivo) necessita do apoio da maioria absoluta dos congressistas (257 na Câmara dos Deputados e 41 no Senado) para aprovar os projetos de lei de interesse do governo federal, dos governos estaduais e dos prefeitos.


Vandalismo e violência são rejeitados pelos brasileiros, que defendem o direito de protestar, desde que isso não descambe para a baderna generalizada, tal como aconteceu durante o mês de Junho em grande parte do país.

Em todos os governos estaduais e municipais acontece o mesmo. 

Vejam que, no estado de SP, por exemplo, somente dois partidos com representação na Assembleia Legislativa do estado (PT e PCdoB) são de oposição ao governo do PSDB. 

Em função disso, todos os demais partidos apoiam o governo Alckmin e participam do processo de acesso aos cargos, verbas e demais privilégios que são decorrentes deste fato. 

Já tivemos, inclusive, várias denúncias importantes a respeito de que temos sérias irregularidades neste relacionamento entre os poderes Executivo e Legislativo do estado de SP, como são o caso das denúncias envolvendo a venda de emendas parlamentares e da existência de uma 'Máfia do Asfalto' (esta teria desviado cerca de R$ 1 bilhão dos cofres públicos em um esquema de fraudes que funcionou em 78 cidades do estado de SP; ver links abaixo) . 

Recentemente, por exemplo, o PRB de Celso Russomanno ingressou na base de apoio do governo Alckmin e, em troca, passou a comandar a secretaria de Desenvolvimento Social do governo paulista. 

É o famoso 'toma lá, da cá' em vigor. 

E isso acontece, com todos os governos, desde que a Constituição atual começou a vigorar, em 1988, pois com a mesma tivemos um aumento considerável nos poderes e atribuições do Poder Legislativo, que passou a ter a última palavra em praticamente todos os assuntos. Até mesmo os vetos dos chefes do Poder Executivo podem ser derrubados pelo Legislativo.  

Além disso, o sistema partidário é extremamente liberal na criação de partidos e permite que os mesmos façam coligações para as eleições legislativas, o que abre caminho para que um grande número de legendas minúsculas, e sem maior representatividade na sociedade, acabem elegendo parlamentares. 

E isso, é claro, acaba dificultando ao extremo a obtenção de maiorias pelo poder Executivo, pois o mesmo tem que formar gigantescas coligações para poder vencer as eleições e, também, para poder governar. 

Até mesmo o PSOL, cujos integrantes e lideranças são muito críticos destes acordos, acabou cedendo à essa prática política nas eleições municipais de 2012. Em Macapá, o partido conseguiu vencer as eleições municipais de 2012 graças a uma ampla aliança feita com José Sarney (senador pelo estado), PSDB, DEM, PTB e PPS. 

Vejam o que foi publicado no site do PSTU a respeito deste fato:

Diante dessas alianças, o PSTU não pode chamar o voto no PSOL:

Rejeitamos veementemente a candidatura do PDT, pois é uma alternativa da burguesia e da oligarquia, que governará para os ricos se eleito. Tínhamos a intenção de chamar o voto crítico no PSOL, a fim de derrotar o atual prefeito, e já estávamos fechando a nota que anunciaria esse posicionamento quando veio a público a aliança de Clécio (Obs: candidato a prefeito pelo PSOL que foi ao segundo turno e terminou vencendo a eleição) com o DEM, PSDB e PTB, fruto de um acordo com o próprio Sarney. Frente a este quadro, ficou totalmente impossível o PSTU chamar o voto em Clécio, pois não podemos estar em uma aliança ou mesmo chamar o voto em um candidato e um governo que será composto pela velha direita oligárquica que, no país, governou junto com FHC.


Assim, tudo isso demonstra, claramente, que qualquer governo que deseje se viabilizar, terá que aprovar os projetos de seu interesse no Poder Legislativo e isso somente ocorre após exaustivas negociações, nas quais a fisiologia (a famosa troca de favores) come solta.

E o que essa explanação a respeito do funcionamento do atual sistema político-partidário tem a ver com os recentes protestos que assolaram o Brasil durante o mês de Junho? Tudo, a meu ver.

Pois estes protestos tinham, justamente, como um dos seus principais alvos o atual sistema político-partidário, marcado pela multiplicação dos partidos, pelo fato de que todos os partidos fazem alianças com todos os outros partidos e numa troca de favores desenfreada entre os líderes do Poder Executivo e os partidos representados no Legislativo. 

Além disso, o abuso do poder econômico e as manipulações midiáticas em favor de determinados partidos e governos (principalmente os ligados aos mais conservadores, como o PSDB, DEM, PPS, etc) também contribuem decisivamente para corromper e desvirtuar o processo de escolha daqueles que irão governar a cidade, estado ou país durante quatro ou mais anos. 

Como resultado de tudo isso, este é também um sistema político-partidário que é pouco aberto à participação e às reivindicações tantos dos velhos como, também, dos novos movimentos sociais, como aqueles que tem o perfil do Movimento Passe Livre, que é caracterizado pela horizontalidade e pela abertura à participação política e social das novas gerações que se mobilizam e se organizam por fora dos movimentos sociais e dos partidos tradicionais, principalmente pelas redes sociais, o Facebook em especial. 

O que os protestos demonstraram (além do fato de que atingiram grande parte do país; matéria do site do 'Estadão' mostra que os mesmos foram realizados em 353 cidades brasileiras; ver link abaixo), de forma clara, além da grande insatisfação popular com a péssima qualidade dos serviços públicos (educação, saúde, transporte coletivo, segurança pública, saneamento básico) é que esse atual sistema político-partidário é claramente rejeitado pela maioria absoluta da população brasileira e que o mesmo precisa passar por uma urgente e ampla reforma. 

Tudo isso isso explica o maciço apoio dos brasileiros às ideias da promoção de uma Reforma Política (73% de apoio popular), bem como à da realização do Plebiscito (68% de aprovação), tal como demonstrado pela pesquisa Datafolha dos dias 27 e 28 de Junho. 

Entendo que isso mostra, claramente, que há um espaço para que a Presidenta Dilma recupere grande parte da aprovação perdida nestas últimas semanas, durante as quais protestos populares legítimos descambaram para a violência e o vandalismo, o que é rejeitado pela quase totalidade dos brasileiros. 

Mais do que os protestos em sim, que são defendidos pela população como um direito indiscutível, foram as cenas de vandalismo, baderna, violência, roubos e depredações que promoveram essa queda da aprovação do governo Dilma, bem como da classe política e das instituições republicanas. 

Mas, para isso, Dilma terá que conseguir ser bem sucedida em suas iniciativas recentes, ou seja, na realização do plebiscito, na aprovação de uma Reforma Política, na elevação dos investimentos em serviços públicos e na manutenção e no controle da inflação e de um baixo índice de desemprego. 

E para isso será necessário trazer a calma e a tranquilidade para as ruas do país, novamente, e ampliar o diálogo com as forças políticas e sociais progressistas que desejam aprofundar as mudanças que começaram no governo Lula, mas que precisam ser aceleradas e intensificadas, no sentido de se melhorar a qualidade de vida dos brasileiros. 

E isso deve ser feito através da adoção de medidas de curto, médio e longo prazo que melhorem sensivelmente a qualidade dos serviços públicos brasileiros, que já foi a grande demanda na eleição de 2012 e que foi reforçada pelos protestos das chamadas 'Rebeliões de Junho' (expressão criada pelo Rodrigo Vianna, do blog 'Escrevinhador') durante os quais uma das principais bandeiras foi por educação, saúde, transporte coletivo e segurança pública de qualidade. 

Entendo que a imensa maioria da população brasileira tem perfeita consciência de que tais objetivos não serão alcançadas da noite para o dia. Mas a população quer uma resposta efetiva para tais demandas e que os governantes do país demonstrem, claramente, que estão atentos à 'voz das ruas' e irão agir no sentido de atender a estas mais do que justas e legítimas reivindicações do povo brasileiro. 

Daí a necessidade de se começar, desde já, a adotar medidas práticas de elaboração e desenvolvimento de projetos que caminhem nesta direção. 

Obtendo sucesso nestas iniciativas, não tenho a menor dúvida de que Dilma conseguirá recuperar grande parte da popularidade perdidas nas últimas semanas e que ela voltará ao mesmo patamar de intenção de votos que possuía em Março. 

Portanto, vamos à luta!

Links:

Popularidade de Dilma cai de 57% para 30% após protestos:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1303541-popularidade-de-dilma-cai-27-pontos-apos-protestos.shtml

Dilma defende 5 pactos para melhorar o Brasil:

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-06-24/a-governadores-e-prefeitos-dilma-propoe-cinco-pactos-em-favor-do-brasil.html

73% dos brasileiros desejam a Reforma Política; 68% aprovam Plebiscito:

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=217330&id_secao=1

Partidos de Esquerda criam Fórum para defender a Democracia:

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=217309&id_secao=1

Pesquisa Datafolha de Março de 2013:

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-03-22/pesquisa-datafolha-mostra-dilma-com-58-marina-com-16-e-aecio-com-10.html

Pesquisa Datafolha de Junho de 2013:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1303668-dilma-perde-apoio-e-eleicao-de-2014-iria-para-o-2-tuno.shtml

Governo Alckmin entrega secretaria estadual e incorpora o PRB de Celso Russomanno à sua base de apoio:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1291122-apos-se-aliar-a-alckmin-ex-critico-diz-que-e-hora-de-elogiar-governo.shtml

São os serviços públicos de qualidade, estúpido!:

http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com.br/2012/11/vitoria-e-votacao-de-haddad-no-2o-turno.html

Lula perde menos popularidade e venceria eleição presidencial no 1o. turno:

http://oglobo.globo.com/pais/datafolha-lula-perde-menos-venceria-no-primeiro-turno-8861171

PT pede a instalação de CPI na Assembleia Legislativa de SP para investigar a 'Máfia do Asfalto':

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,pt-apresenta-pedido-para-criar-cpi-da-mafia-do-asfalto,1034951,0.htm

PT quer CPI para investigar denúncias de vendas de emendas parlamentares na Assembleia Legislativa de SP:

http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2011/09/pt-quer-cpi-na-alesp-para-apurar-venda-de-emendas

Com apoio total do governo Alckmin, a Assembleia Legislativa de SP acaba com investigação sobre vendas de emendas parlamentares:

http://ucho.info/com-a-ajuda-do-palacio-dos-bandeirantes-assembleia-de-sp-acaba-com-investigacao-sobre-venda-de-emendas

Protestos chegaram a 353 cidades brasileiros em Junho de 2013:

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,epidemia-de-manifestacoes-tem-quase-1-protesto-por-hora-e-atinge-353-cidades,1048461,0.htm

Para 36% dos brasileiros, tivemos muita violência nos protestos de Junho de 2013:

http://www.cnt.org.br/Paginas/Agencia_Noticia.aspx?n=8961

Aprovação a Dilma chega a 65% em Março de 2013:

http://datafolha.folha.uol.com.br/opiniaopublica/2013/03/1252102-aprovacao-a-governo-dilma-atinge-65.shtml

Dilma enfrentaria 2o. turno em 2014, mostra o Datafolha:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1303668-dilma-perde-apoio-e-eleicao-de-2014-iria-para-o-2-tuno.shtml

Direita encontrou o seu discurso e o seu candidato:

http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com.br/2013/06/direita-encontrou-o-seu-discurso-e-o.html

domingo, 23 de junho de 2013

Rumo à Queda da Pastilha! - por Marcos Doniseti!

Rumo à Queda da Pastilha! - por Marcos Doniseti!


Jovens indignados: O povo francês invadiu a Bastilha e não a Pastilha, ok?


Vejam o que o jornalista Aziz Filho escreveu (retirei isso da página do professor Gilson Caroni Filho no Facebook):

Do jornalista Aziz Filho

"A passeata acaba de entrar na Vieira Souto. Revolucionários cansados de tudo isso que está ai começam a piscar as luzes nos apartamentos. A multidão canta "o povo unido jamais será vencido" e "uh geral pra casa do Cabral". 

Gritam que a Rede Globo apoiou a ditadura e depois gritam que "o povo unido não precisa de partido". 

Nhã? Nem tem um uísque dose dupla aqui para me ajudar a processar tanta informação.".

Abaixo, publico o meu texto sobre o assunto:


Assim, parece que esse movimento é contra tudo ao mesmo tempo, agora, não deixando pedra sobre pedra: Democracia, Ditadura, Teocracia, Estado Laico, Socialismo, Capitalismo, Anarquismo, Liberalismo, Desenvolvimentismo, Neoliberalismo, Iluminismo, Chavismo, Guevarismo, Castrismo, Marxismo, Onanismo, Otimismo e Pessimismo.

É um verdadeiro 'samba do manifestante doido'.

Não há rumo e nem foco. Parece uma escola de samba onde cada ala canta sobre um enredo diferente. 

Eu também critico esse movimento porque o mesmo descambou para um Fascismo descarado, agredindo fisicamente integrantes de partidos políticos e de movimentos sociais.

Além disso, muitos dos que ainda estão participando dos protestos não fazem a menor ideia sobre o que estão protestando. 

Exemplos: Quantos manifestantes realmente sabem o que é a PEC 37? Bem poucos, com certeza.

Outros pedem para a Dilma 'prender os corruptos', sendo que ela não tem autoridade para isso. Quem pode fazer isso é a Justiça. 

Outros ainda querem que ela 'vete a PEC 37', se a mesma for aprovada, sendo que o (a) Presidente (a) da República também não tem autoridade para vetar emendas constitucionais aprovadas pelo Congresso Nacional. 

Logo, quase ninguém se informou para sair por aí protestando. Reclamam de tudo, principalmente daquilo que leram na 'Veja', viram no 'Jornal Nacional' ou no Facebook, sem se aprofundar a respeito de tudo isso. 

Sugiro a essa jovem geração, que parece ter muita vontade de participar politicamente, que leiam muito, estudem bastante, se informem, se formem politicamente (e para isso não precisa de diploma, não, mas se quiserem conseguir um, ótimo) e depois voltem para que possamos ter um conversa de melhor nível, debatendo com seriedade os problemas do país (e que são muitos, sim, mas que não se resolverão da noite para o dia). 

Assim, vocês poderão dar uma contribuição real ao Brasil, ajudando para a melhora deste, caso seja esta, de fato, a sua intenção. Se for isso o que vocês desejam, podem ter certeza de que os receberemos de braços abertos. Pelo menos isso é o que farão os políticos mais esclarecidos. Vejam que a Presidenta Dilma já os chamou para o diálogo. Aproveitem o tempo, o espaço e falem o que pensam e o que desejam para o país. 

Mas façam isso dentro das regras do jogo democrático e da legalidade. 

Respeitem a Constituição brasileira, que lhes confere o direito e a plena liberdade de participar e de atuar politicamente. E não se esqueçam de que muitos brasileiros lutaram, e por muito tempo, para que tudo isso fosse conquistado, incluindo a Presidenta Dilma. Podem ter certeza de que nada disso caiu do céu.

Aliás, não há um só direito do qual hoje desfrutamos (sejam os políticos, como o direito de votar, sejam os trabalhistas, como as férias e as folgas remuneradas) que não tenham sido conquistados sem luta. Todos foram conquistados como resultado da luta de gerações anteriores, que se sacrificaram, inclusive com a própria vida, para que possamos desfrutar destes direitos e liberdades. 

Pensem nisso.

Mas se vocês vierem com essa história de querer espancar aqueles que pensam diferente de vocês, que fazem parte de partidos políticos e de movimentos sociais que existem já há muito tempo e que já atuavam para ajudar a construir um país melhor antes mesmo que grande parte de vocês tivessem nascido, então aí as coisas ficarão muito mais complicadas. 

E se não quiserem fazer isso, ou seja, se informar e se educar politicamente para ajudar o país a melhorar, então sugiro que vocês voltem para o Facebook e deixem a Política para quem tem alguma noção do assunto, ok?

Porque senão, vocês irão confundir a Queda da Bastilha com a Queda da Pastilha. 

E elas são muito diferentes, pode acreditar. 

É isso aí. 

Obs: A autora do título 'Rumo à Queda da Pastilha' é Maria Luiza Quaresma Tonelli. 

Link:

https://www.facebook.com/gilson.caronifilho/posts/10151535986738014?comment_id=26241711&notif_t=like

Pesquisa CNT/Ibope: 46% dão nota de 7 a 10 para Dilma e 71% dos brasileiros estão satisfeitos! - por Marcos Doniseti!

Pesquisa CNT/Ibope: 46% dão nota de 7 a 10 para Dilma e 71% dos brasileiros estão satisfeitos! - por Marcos Doniseti!



Mesmo com a realização de inúmeros protestos pelo país nas últimas duas semanas, Dilma continua muito popular, tendo a melhor avaliação entre toda a classe política brasileira. 46% dos brasileiros lhe conferem nota de  7 a 10. 

A revista 'Época' (da 'Globo'...) publicou os resultados de uma pesquisa feita pela CNT/Ibope com exclusividade para a publicação. 

Entre os principais resultados, temos o seguinte:

1) Satisfação: 71% dos brasileiros se declaram satisfeitos (60%) ou muito satisfeitos (11%) com a vida que levam;

2) Otimismo: 43% dos brasileiros estão otimistas com o futuro do país, dividindo-se entre 34% de otimistas e 9% de muito otimistas;

3) Copa das Confederações/Copa do Mundo: 68% dos brasileiros apoiam a realização da Copa das Confederações no Brasil, sendo que 40% apoiam totalmente e outros 28% apoiam parcialmente. Outros 70% apoiam a realização da Copa do Mundo no Brasil, com 43% apoiando totalmente e outros 27% apoiando parcialmente;

4) Manifestações: 75% apoiam os protest e que ocorrem atualmente no Brasil;

5) Violência: 84% dos brasileiros consideram que houve violência por parte dos manifestantes, dividindo-se entre 45%  que consideram que houve muita violência e outros 39% que consideram foram violentos, mas sem exageros;

6) Mudanças: Apenas 26% pensam que as manifestações irão gerar muitas mudanças no país. Outros 47% acreditam que elas irão mudar pouco a situação do Brasil;

7) Melhorias - 59% dos brasileiros pensam que os protestos são a melhor maneira de se cobrar melhorias. Já para 37% existem outros meios para se fazer isso;

8) Entre os governantes brasileiros, a Presidenta Dilma obtém o maior grau de aprovação, com 46% da população lhe concedendo uma nota entre 7 e 10. Nenhuma outra autoridade eleita obtém um índice tão elevado de aprovação popularo

9) Transporte Público: 77% dos brasileiros pensam que os protestos se realizam em função da qualidade ruim do transporte coletivo urbano. 

E como isso é função dos prefeitos e governadores, é bom que esses fiquem de olhos bem abertos. Ou melhoram sensivelmente a qualidade o serviço ou terão sérias dificuldades para continuar a sua carreira política. 

Resumindo: Dilma continua muito popular, sendo bem avaliada pela população, que se diz satisfeita com a vida que leva e que ainda está otimista com o futuro do país.

Além disso, a maioria absoluta apoia a realização da Copa das Confederações e da Copa do Mundo no país. 

Perderam, Golpistas!



Link:

http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2013/06/o-que-diz-voz-do-povo.html

'Change Brazil'? Faça-me o favor... - por Marcos Doniseti!

'Change Brazil'? Faça-me o favor... - por Marcos Doniseti! 

Esse povo do 'ChangeBrazil' é uma piada... Eles devem pensar que a capital do Brasil é Miami, que o nome oficial do pais é Estados Unidos do Brasil e que a língua oficial do país é o inglês. 

Como é que um movimento que se propõe a mudar o Brasil usa a expressão 'ChangeBrazil'?

Isso é patético!

Se dependesse desse bando de coxinhas e filhinhos-de-papai, e que nunca trabalharam na vida, a capital do Brasil seria Miami e a língua oficial do país seria o inglês.

E eles devem pensar, tal como José Serra, que o nome oficial do Brasil é Estados Unidos do Brasil. E quando eles são assaltados, o que eles fazem? Ligam para 911, tal como a Eliane Cantanhêde pensou em fazer uma vez, quando roubaram o carro dela em Brasília. 

Esses coxinhas são um bando de reacionários, colonizados, entreguistas e vende-pátrias e que repetem discursos antigos, idênticos aos usados pelos fascistas de Mussolini, pelos Integralistas de Plínio Salgado e pelos Golpistas de 64. 

Nada de novo sob o céu, portanto. 

Link:

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/reportagens/29591

Ato na Paulista reúne classe mérdia tradicional e vira manifestação pelo Impeachment de Dilma:

http://terramagazine.terra.com.br/bobfernandes/blog/2013/06/22/protesto-contra-pec-37-ganha-corpo-e-vira-manifestacao-de-oposicao-a-dilma-em-sao-paulo/

Ação que expulsou partidos de manifestação foi organizada:

http://blogs.estadao.com.br/roldao-arruda/acao-que-expulsou-partidos-da-marcha-foi-bem-organizada/

Vamos para as ruas em defesa da Democracia, da Educação e da Justiça Social! - por Marcos Doniseti!

Vamos para as ruas em defesa da Democracia, da 

Educação e da Justiça Social! - por Marcos Doniseti!



Em defesa de tais bandeiras, sim, vale a pena ir para as ruas...

Essas últimas manifestações (como a que tivemos no MASP, em SP, ontem, que focaram no ataque à PEC 37 e na defesa do Impeachment de Dilma) não estão defendendo ampliação de direitos coisa nenhuma, mas os privilégios de uma elite retrógrada, reacionária e golpista que deseja ressuscitar as políticas neoliberais e eliminar direitos políticos, sociais e trabalhistas das camadas populares e dos trabalhadores. 

Sua principal meta é se apropriar do comando do governo federal novamente e, assim, poder enterrar as políticas de distribuição de renda que, mesmo moderadas, resultaram em ganhos expressivos para os segmentos mais pobres e miseráveis do povo brasileiro, bem como para a maior parte da classe média e dos pequenos empresários. 

Querem ir para a rua? Vão. 

Mas antes se certifiquem de quem está participando das manifestações e quais as causas pelas quais os manifestantes estão lutando.

Se as manifestações forem em defesa da PEC 37, pela extinção dos partidos políticos, pelo Impeachment da Dilma e que tem como lema frases como 'O Gigante Acordou' (usada pelos Golpistas de 64) e 'Meu Partido é o Brasil' (lema dos Integralistas e Fascistas liderados por Plínio Salgado na década de 1930), que seja contra os programas sociais, então caia fora, porque é um movimento tipicamente elitista, reacionário, golpista e de Extrema-Direita.

Vamos às ruas, sim, mas para lutar pela Reforma Política que amplie a participação popular no sistema político, em defesa da aplicação dos 100% dos royalties do pré-sal para a Educação, maiores investimentos em Saúde, Transporte Coletivo,  Saneamento Básico, em defesa dos programas de inclusão social (Bolsa Família, ProUni, Minha Casa Minha Vida, Luz Para Todos, etc), dos aumentos reais anuais do salário mínimo e também em defesa da Democracia, da Constituição e da Legalidade. 


Link:

Protesto da classe média paulista defende o Impeachment de Dilma e ataca a PEC 37:

http://terramagazine.terra.com.br/bobfernandes/blog/2013/06/22/protesto-contra-pec-37-ganha-corpo-e-vira-manifestacao-de-oposicao-a-dilma-em-sao-paulo/


Elio Gaspari revela: O Golpe está nas ruas! - por Marcos Doniseti!

Elio Gaspari revela: O Golpe está nas ruas! - por Marcos Doniseti!

Elio Gaspari revela qual é a nova estratégia da Direita 'brazileira'. 'Ou recuperamos o poder por bem ou por mal'... 

Em artigo publicado hoje, na 'Folha', o jornalista Elio Gaspari revelou qual é a nova estratégia da Direita Reacionária 'brazileira' para vencer a eleição presidencial de 2014 e ela pode ser resumida assim: 'Ou fazem o que queremos, ou o pau vai quebrar no Brasil até 2014'.

Elio Gaspari começa explicando, em seu texto, como será o lançamento da candidatura de Joaquim Barbosa à Presidência da República. 

Gaspari diz que se o PT não aceitar a prisão, ainda em 2013, dos 'mensaleiros' condenados pelo STF no ano passado (Zé Dirceu, Genoíno, etc), Barbosa irá renunciar à presidência do STF e sairá candidato à Presidência da República (e com todas as forças conservadoras unidas em torno do seu nome, é claro). 

Além disso, como parte integrante e fundamental desta estratégia, a baderna e o vandalismo continuarão  nas ruas de todo o país até o ano que vem.

No caso de Barbosa, no entanto, Gaspari também revela os dilemas e preocupações de grande parte das forças reacionárias e golpistas brasileiras, pois ele termina reconhecendo que Barbosa possui uma 'Predisposição Imperial', ou seja, uma inegável vocação para Ditador e que isso é preocupante, pois nas vezes anteriores em que políticos que foram apoiados pelas forças conservadoras, e que possuíam essa famosa 'Predisposição Imperial', se elegeram Presidentes da República, o resultado não foi dos melhores, para dizer o mínimo. 


Palavra de ordem repetida, neste momento, pelas ruas brasileiras, pelos jovens de classe média - os coxinhas - neo-reacionários e que tem uma origem bem clara: ela vem do Integralismo, que foi a versão brasileira do Fascismo de Mussolini.

E Gaspari cita os casos, mais do que óbvios, de Jânio Quadros (que defendia uma 'Ditadura Democrática' para o Brasil, com ele sendo o Ditador, é claro) e Fernando Collor. O primeiro renunciou (o que foi uma desorganizada tentativa de Golpe de Estado) e o segundo terminou afastado da Presidência da República após um processo de Impeachment que foi apoiado pela quase totalidade da população (92%). 

Ambos, Jânio e Collor, cada um em sua época, foram muito bem sucedidos em conquistar, ao mesmo tempo, o apoio dos segmentos mais conservadores da burguesia e da classe média tradicional (usando um discurso voltado, adivinhem, para combater a corrupção), bem como das camadas populares, dizendo que iriam melhorar as suas condições de vida (lembram-se de Collor falando o tempo inteiro dos 'pés descalços e descamisados'?). 

E foi exatamente isso, ou seja, a combinação de um discurso moralista (que atraia classe média tradicional e mesmo segmentos populares influenciados pelo massacre midiático a respeito da corrupção) com um discurso recheado de promessas para melhorar a vida dos mais pobres, que os levou à vitória em 1960 (Jânio) e em 1989 (Collor). 

Agora, com a candidatura Joaquim Barbosa, a Direita Reacionária irá usar da mesma estratégia. Ele será o 'menino pobre que mudou o Brasil', o primeiro negro a se eleger Presidente da República, o 'Santo Guerreiro' da Virtude e da Justiça que,com a sua clava forte, irá destruir com o 'Dragão da Maldade da Corrupção e do Populismo Assistencialista'.


Acima, vemos o 'Santo Guerreiro' da Virtude e da Justiça que, com a sua clava forte, que irá destruir com o 'Dragão da Maldade  da Corrupção e do Populismo Assistencialista', representados por Lula, Dilma e pelo PT.

E é claro que a Direita brasileira, por mais ansiosa que esteja para recuperar o comando do governo federal e passar a mandar e desmandar no país novamente, teme essa 'Predisposição Imperial' de Joaquim Barbosa, pois ela é a receita perfeita para se criar um Ditador. 

E daí teremos que passar por novas renúncias e processos de Impeachment, gerando uma instabilidade política no Brasil que não será nada boa para os negócios, certo?

Obs: É como eu venho dizendo já há algum tempo: Joaquim Barbosa tem tudo para ser o Idi Amin Dadá tupiniquim. E o Elio Gaspari reconhece isso de forma clara. 

Mas Gaspari também escreve que as manifestações, badernas e quebra-quebras atuais irão acabar caso os 'mensaleiros' do PT e aliados que foram condenados pelo STF acabem indo para a cadeia, ainda em 2013.

Isso é fundamental, porque também revela outro aspecto importante do atual cenário político brasileiro: O desespero da Direita Reacionária 'brazileira' com a possibilidade de sofrer outra derrota na eleição presidencial de 2014. 

A Direita sabe que, em circunstâncias normais de temperatura e pressão, Dilma se reelegeria até com certa facilidade em 2014, com gigantescas possibilidades de vencer a eleição ainda no primeiro turno. E é justamente isso que deixa as forças reacionárias muito mais desesperadas. 

As elites reacionárias e golpistas 'brazileiras' devem imaginar que com a prisão de Zé Dirceu, Genoíno e cia. o PT ficará em maus lençóis na eleição presidencial de 2014, diminuindo fortemente as chances de vitória de Dilma e, até, de Lula, caso este acabe se tornando a opção do partido no caso deste claro processo de radicalização política continuar e se intensificar, como tudo indica que irá acontecer. 

Penso que numa situação desta, com as lutas políticas e sociais ganhando espaço nas ruas do Brasil, o ex-Presidente Lula teria muito mais condições políticas de unir as forças progressistas (mesmo aquelas que tenham críticas ao seu governo) e de, ao mesmo tempo, garantir o apoio das camadas populares à sua  candidatura, até porque ele tem uma identificação com as camadas populares que ninguém mais possui. 


Marília Moschkovich escreveu textos muito interessantes e que mostram como se desenvolver a nova estratégia golpista da Direita Reacionária 'brazileira'. 

E com Lula candidato, dificilmente Eduardo Campos lançaria a sua candidatura presidencial, pois sabe que se não conseguir uma grande votação no Nordeste, ele não teria chance alguma na eleição. Afinal, como Lula é pernambucano, nordestino e tem uma popularidade gigantesca no Nordeste, Campos ficaria sem condição alguma de se candidatar e não teria outra opção que não a de apoiar a candidatura de Lula. 

É sempre bom lembrar que uma das principais razões para que acontecesse o Golpe de Estado de 1964 foi o fato de que a Direita Reacionária 'brazileira' da época sabia, perfeitamente, que não tinha nenhum candidato com reais chances de vitória na eleição presidencial que se realizaria em Novembro de 1965. O favorito para a mesma era JK (PSD), com Brizola (PTB) vindo em segundo lugar. Carlos Lacerda (UDN) vinha num terceiro lugar bem distante dos dois líderes políticos que eram identificados com a tradição política do Trabalhismo Getulista.

Assim, tudo o que acontece hoje, no Brasil, é uma nítida revelação do estado de espírito da Direita Reacionária 'brazileira' a respeito da sucessão presidencial de 2014. 

A Direita está desesperada, pois ela já percebeu que nenhum dos três candidatos (Aécio Neves, Marina Silva e Eduardo Campos) que poderiam vir a representá-la nas eleições tem qualquer chance real de vitória contra Dilma. 

Daí o fato de que muitos dos seus líderes já começam a pensar na possibilidade real de 'ter que apoiar Joaquim Barbosa', não porque este seja o candidato dos sonhos dela (não é, devido à sua reconhecida 'Predisposição Imperial', identificada por Gaspari em seu artigo). 

A opção da Direita Reacionária pela candidatura de Barbosa será, na verdade, o reconhecimento do fracasso da Direita em criar e forjar uma liderança política que tenha uma inequívoca identificação com os trabalhadores e com as camadas mais pobres da população, o que Lula e Dilma (talvez num nível um pouco menor do que Lula) inegavelmente possuem. 


'O Gigante Acordou': Frase usada pelos Golpistas de 1964 e que voltou para as ruas brasileiras, agora, em 2013. Qualquer semelhança não é mera coincidência...

Na falta de outro candidato viável para a Direita Reacionária, vai Joaquim Barbosa mesmo, o potencial Idi Amin Dadá brasileiro.

Joaquim Barbosa tem um perfil que o aproxima muito mais das camadas populares do que o intelectualizado e elitista FHC, o playboy Aécio Neves ou o oportunista e herdeiro político de Miguel Arraes que é Eduardo Campos. 

Marina Silva tem um perfil de extração popular, sim, mas o seu evangelismo conservador e que tenta se equilibrar agradando aos movimentos LGBT e mais liberais no aspecto comportamental, enquanto procura manter o apoio dos segmentos que defendem e apoiam Malafaia-Feliciano ao mesmo tempo, a torna uma liderança política não muito confiável e que parece disposta a fazer qualquer tipo de acordo para chegar ao poder. 

E se Marina faz isso, agora, o que não fará depois, caso venha se eleger? Quem garante que ela não irá procurar apoio de segmentos rejeitados pela Direita? Além disso, ela enfrenta grandes dificuldades para criar o seu partido, a tal 'Rede'. Se nem conseguir criar um partido ela consegue, como então é possível acreditar que poderá vir a ter alguma chance de derrotar Dilma? Sem chance. 

Enquanto isso, Joaquim Barbosa é originário de família humilde, negro, que chegou ao STF, a mais alta instância do Poder Judiciário brasileiro e que, nesta condição, não hesitou em condenar 'políticos poderosos' à prisão. E se tais políticos forem para a prisão, mesmo, em 2013, daí é que ele será transformado em uma espécie de 'Santo Vingador', o Guy Fawkes, o Batman dos segmentos políticos e sociais que fazem do discurso anti-corrupção a sua única e virtual bandeira política mais popular para chegar ao comando do país novamente. 


A Direita Reacionária percebeu que nenhum destes três nomes tem, em circunstâncias normais, qualquer chance de vitória contra Dilma em 2014. Daí a baderna e pancadaria terem se espalhado pelo país e Barbosa aparecer como o nome que pode unificar todas as forças conservadoras e golpistas do país. 
E ao mesmo tempo, Barbosa já demonstrou que tem uma vocação para o exercício do poder, uma 'Predisposição Imperial', que ficou bem clara nas sessões do julgamento da AP 470.  

Para esses segmentos da Direita Reacionária e da classe mérdia brasileira mais tradicional (a mesma que participou das Marchas da Família e que apoiou o Golpe de 64 e a Ditadura Militar) Barbosa é o Batman, o Guy Fawkes, o Cavaleiro Solitário tupiniquim, que com a sua inegável 'Predisposição Imperial' irá varrer com a corrupção (quanta ingenuidade...) e irá acabar com a baderna e com o vandalismo que se espalha pelo país atualmente. 

Se bem que como essa baderna e esse vandalismo, que se espalham pelo Brasil atualmente, são criações da mesma Direita Reacionária que irá apoiar a candidatura presidencial de Barbosa, é lógico que ambos irão terminar tão longo o Idi Amin Dadá tupiniquim ganhe a eleição. 

E quanto à corrupção, somente os mais ingênuos entre os ingênuos e os mais idiotas entre os idiotas, podem acreditar que Barbosa fará alguma coisa para combatê-la, pois ele será apoiado e financiado pelos segmentos mais desonestos da sociedade brasileira, que são os mesmos que sempre mamaram nas tetas do Estado e que sempre o utilizaram de acordo com os seus interesses, ao mesmo tempo em que sempre ignoraram as demandas e reivindicações populares. E quando estas aconteciam e chegavam às ruas e campos do país, tratavam de massacrar com as mesmas. A história do Brasil está repleta de casos deste tipo: Quilombos, Cabanagem, Sabinada, Guerra de Canudos, Movimento Operário, Ligas Camponesas, MST, etc, etc, etc. 

Logo, essa nova estratégia da Direita Reacionária 'brazileira' é uma clara mistura de chantagem e ameaça que fazem parte de um movimento golpista que visa reconquistar, para os segmentos mais retrógrados da sociedade brasileira, o comando do governo federal que os mesmos perderam com a eleição de Lula em 2002. 


Partidos Políticos para que, não é mesmo, perguntava Mussolini e repetem, agora, os jovens da classe média reacionária e golpista do 'Brazil'...


Isso é a Direita Golpista Midiática e Reacioária 'brazileira' dizendo: 'Ou vocês(PT) aceitam a prisão do Zé Dirceu, do Genoíno e cia., ou o pau continuará quebrando no Brasil inteiro até 2014. E se insistirem nisso, o Joaquim 'Predisposição Imperial' Barbosa será o nosso candidato. E faremos de tudo (de legal e ilegal, não importa) para elegê-lo. E daí será muito pior para vocês. Então, petistas, conformem-se e esqueçam do Zé Dirceu, do Genoíno e cia, ok?. Eles irão para a prisão e não se fala mais nisso'.

Com isso, a Direita Reacionária está claramente adotando uma estratégia golpista, embora não seja aquele tipo de Golpe tradicional, que tanto vimos acontecer ao longo da história brasileira e latino-americana, com as famosas 'quarteladas', com os tanques nas ruas e os militares tendo uma participação significativa em todos os acontecimentos, embora existam, sim, segmentos das Forças Armadas que adorariam participar de um Golpe. 


Olha a 'Predisposição Imperial' do Joaquim Barbosa aí, gente...

Até porque, temos muitos militares que, com certeza, não estão gostando nenhum pouco da Comissão da Verdade estar revelando ao distinto público a natureza dos crimes e atrocidades que eles cometeram durante a Ditadura Militar. 

Aliás, nesta semana, durante o auge da baderna e dos atos de vandalismo espalhados pelo país inteiro, a colunista demotucana da 'Folha' e grande ídola da 'massa cheirosa' elitista e reacionária tupiniquim, a impagável Eliane Cantanhêde, escreveu que 'nem todas as tropas seriam fiéis à Presidenta Dilma'. 

Para mim, ficou muito claro nesta frase da Tucanhede, digo, Cantanhêde, um claro tom de ameaça golpista. 

Ela não estava se referindo, é óbvio, aos militantes e seguidores do PT e defensores do governo Dilma coisa alguma, mas à segmentos das Forças Armadas que adorariam participar de um novo Golpe de Estado no Brasil e que o apoiariam com entusiasmo.

Além disso, quem pode garantir que tais segmentos das Forças Armadas não estejam estimulando e ajudando a promover toda essa baderna e vandalismo que tomaram conta do Brasil nesta semana? Agentes infiltrados nestas manifestações é o que não faltam. Eu não ficaria surpreso se muitos destes fossem membros dos segmentos reacionários e golpistas das Forças Armadas ou estivessem a serviços dos mesmos. 

Afinal, as Forças Armadas podem até não comandar o movimento golpista que se desenvolve, a meu ver, neste momento no Brasil, mas este muito dificilmente seria levado adiante sem a participação e o apoio de setores relevantes das mesmas. 

Assim, em sua coluna de hoje, Elio Gaspari fez muito mais do que lançar a candidatura de Joaquim Barbosa para Presidente: Ele revelou qual é, agora, a nova estratégia política da Direita Reacionária para voltar a governar o país a partir de 2015. Gaspari disse claramente que se Zé Dirceu, Genoíno e cia não forem para a prisão ainda em 2013, o pau continuará quebrando no Brasil até 2014. E que a Direita irá tumultuar o país o quanto for necessário para conseguir o que deseja.


Collor e Joaquim Barbosa: Tudo a Ver!

Penso que tudo isso que Gaspari escreveu não é o pensamento exclusivo dele, não. Essa é a nova estratégia da Direita Reacionária e Golpista para tentar vencer, de qualquer jeito, a eleição presidencial de 2014. 

A Direita está dizendo assim: Ou fazem o que queremos ou o país irá ferver até lá. 

O Golpe está nas ruas. 

Links:

Elio Gaspari revela a nova estratégia da Direita Reacionária para vencer a eleição presidencial de 2014: Baderna, Prisão de 'Mensaleiros' e Joaquim Barbosa:

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/eliogaspari/2013/06/1299771-um-exercicio-de-fantasia-futurologica.shtml

Temos um Golpe de Estado em andamento no Brasil:

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com.br/2013/06/temos-um-golpe-de-estado-em-andamento.html

Que tipo de Golpe está acontecendo no Brasil?

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com.br/2013/06/que-tipo-de-golpe-esta-em-andamento-no.html


Mais claro do que isso é impossível...

Direita encontrou o seu discurso e o seu candidato:

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com.br/2013/06/direita-encontrou-o-seu-discurso-e-o.html

Barbosa usou de passagens do STF quando estava de licença médica:

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,barbosa-usou-passagens-do-stf-quando-estava-de-licenca-medica-,1033611,0.htm

Movimento 'anti-política' antecipa o roteiro do Golpe nas redes sociais:

http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2013/06/redes-de-direita-antecipam-roteiro-do-golpe-9242.html