domingo, 31 de março de 2013

Golpe de Estado de 1964 teve no dia 01 de Abril o seu momento decisivo! - por Marcos Doniseti!

Golpe de Estado de 1964 teve no dia 01 de Abril o seu 

momento decisivo! - por Marcos Doniseti!

Jornal 'O Globo' apóia o Golpe de 64 e diz que com o mesmo a Democracia estava ressurgindo.  Acredite, se quiser... 


Aviso: O verdadeiro aniversário do Golpe de Estado de 1964 é o dia Primeiro de Abril, ok? E isso não é mentira, não. 

O dia 01/04/1964 foi, de fato, o dia decisivo do movimento Golpista. 

Foi neste dia que ficou claro que Jango não era mais Presidente da República e que o movimento Golpista tinha sido vitorioso. 

No dia anterior, 31 de Março, ocorreu apenas uma movimentação militar precipitada e que havia sido iniciada pelo general Olímpio Mourão Filho, um ex-Integralista e participante ativo do Golpe que implantou a Ditadura do Estado Novo de 1937-1945...

Assim, esse pilantra ajudou a implantar as duas Ditaduras mais brutais da história do Brasil.

Olímpio Mourão Filho iniciou uma movimentação militar para a qual os Golpistas de 64 ainda não estavam prontos. Tanto isso é verdade que o Castello Branco ficou desesperado quando ficou sabendo que ele estava indo de MG para o RJ com as suas tropas e entrou em contato com ele, dizendo que ele voltasse imediatamente para MG, pois eles não estavam prontos para deflagrar o Golpe.

Mas o governo de Jango já estava muito fragilizado, os governadores da Guanabara (Carlos Lacerda), São Paulo (Adhemar ee Barros), Minas Gerais (Magalhães Pinto) e do Rio Grande do Sul (Ildo Meneghetti) deram apoio ao movimento e o governo dos EUA imediatamente começou a enviar uma frota naval para apoiar os Golpistas.

Além disso, o comandante do II Exército (sediado em SP) Amaury Kruel, exigiu que Jango se afastasse dos movimentos populares (CGT, UNE) e dos partidos reformistas (PTB, PCB) para lhe dar apoio, o que Jango, é claro, recusou. E também já estava tudo pronto para o governo dos EUA reconhecer um governo dissidente, sediado em MG, sob a liderança de Magalhães Pinto, dizendo que o mesmo era o legítimo governo do Brasil.

E os EUA também já tinham milhares de agentes da CIA (disfarçados de estudantes, missionários, empresários, etc) espalhados pelo Brasil, prontos para entrar em ação quando o Golpe estourasse e a Guerra Civil iniciasse.

Daí, sem apoio para se manter no governo, Jango acabou percebendo que uma resistência seria inútil e resultaria numa guerra civil de resultados catastróficos e que as Esquerdas, com certeza, perderiam, pois não haviam se preparado para lutar uma guerra civil, algo que as Direitas Golpistas já o faziam e há vários anos.

Com isso, entramos numa Era de Trevas que durou 21 longos anos, de 1964-1985.

Links:

http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com.br/2011/09/o-dia-que-durou-21-anos-episodio-1.html


http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com.br/2011/09/o-dia-que-durou-21-anos-episodio-2.html


http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com.br/2011/09/o-dia-que-durou-21-anos-episodio-3.html

Ley de Medios Já! - por Marcos Doniseti!

Ley de Medios Já! - por Marcos Doniseti!


Sem uma Ley de Medios, democratização da Mídia será mera ilusão...

Vejam isso:

1) Maranhão - Família Sarney+Sócia da Rede Globo; 
2) Bahia -Clã ACM+Sócio da Rede Globo; 
3) Alagoas - Família Collor+Sócia da Rede Globo; 
4) R.G. do Norte - Família Alves+Sócia da Rede Globo. 

Deve ser mera coincidência que estes grupos políticos familiares sejam, ao mesmo tempo, os mais poderosos de seus respectivos estados e, ao mesmo tempo, sócios da Rede Globo, né? E será coincidência o fato de que todos eles controlem as bancadas de deputados federais e senadores em seus estados de origem?

Acredite, se quiser...

É por isso que o Congresso Nacional jamais irá aprovar uma Ley de Medios, a não ser que se leve adiante uma maciça pressão popular organizada para que ele o faça. E mesmo isso não seria garantia de vitória, não.

Independente disso, é por uma Ley de Medios que teremos que lutar se quisermos consolidar, definitivamente, a Democracia no Brasil.

Se isso não for feito, o risco de que venhamos vir a sofrer um retrocesso político (Golpe de Estado) será muito maior. 


Afinal, não podemos esquecer que a Grande Mídia apoiou todos os Golpes de Estado e Ditaduras Militares que tivemos no Brasil e na América Latina desde o fim da Segunda Guerra Mundial. 

Isso não é mera coincidência.

Ley de Medios Já!

Economia brasileira cresceu mais de 4% no 1o. trimestre de 2013! - por Marcos Doniseti!


Economia brasileira cresceu mais de 4% no 1o. trimestre de 2013! - por Marcos Doniseti!



Segundo dados recentes sobre a atividade econômica nacional, o Brasil voltou a acelerar o seu ritmo de crescimento, superando os 4% já no primeiro trimestre de 2013. Alguns analistas estimam que esse índice pode ter chegado aos 5,2%. 


Matéria publicada pelo site da revista 'IstoÉ Dinheiro' no dia 28/03/2013 mostra o seguinte:


1) O PIB teve um crescimento anualizado entre 4% e 5,2% no primeiro trimestre deste ano; 


2) Os desembolsos do BNDES cresceram 39,5% no primeiro bimestre;


3) O consumo de máquinas cresceu 8,1% no 1o. bimestre;


4) O financiamento imobiliário aumentou 15,7% no primeiro bimestre;


5) A inadimplência do consumidor caiu para 7,7%, o menor patamar desde 2011;


6) A oferta total de crédito na economia aumentou 16,3% no 1o. bimestre;


7) A taxa de desemprego em Fevereiro foi a menor da série histórica para o mês, ficando em apenas 5,6%;


8) Vendas de veículos no ano, até 15 de Março, cresceram 6%;


9) A safra de grãos será recorde histórico, atingindo os 183,5 milhões de toneladas;


10) Vendas de papelão ondulado em Fevereiro bateram recorde, chegando a 250 mil toneladas. 


11) O número de empregos no setor automotivo chegou a 131.700 trabalhadores, número inferior apenas ao alcançado em 1980, melhor ano da história;


12) Rendimento real dos trabalhadores cresceu 2,4% em Fevereiro sobre igual mês de 2012;


13) Massa de rendimentos teve aumento real de 4,2% em 12 meses;


Como se percebe, confirma-se aquilo que escrevi, tempos atrás, aqui neste modesto blog, que é o fato de que desde o 4o. trimestre de 2012 que a economia brasilera estava em processo de retomada. Já nos últimos 3 meses de 2012, o PIB brasileiro teve um crescimento anualizado de 2,4% e os investimentos produtivos tinham voltado a crescer.

Também afirmei que, em função disso, aqueles 0,9% de crescimento econômico que o Brasil acumulou em 2012 era um número velho, pois não mostrava que esse processo de aceleração, que começou no 2o. semestre, já estava em pleno andamento. 


E agora, com a decisão do governo Dilma de prorrogar a redução do IPI para automóveis e caminhões até o fim deste ano, temos mais um motivo para afirmar que a economia brasileira terá um crescimento bastante significativo neste ano (talvez em torno de 3,5%). E esse crescimento somente não ser


Afinal, a indústria automobilística brasileira, sozinha, responde por quase 24% do PIB industrial do país e por mais de 5% do PIB total brasileiro. 


A inflação deverá permanecer abaixo do teto da meta (que é de 6,5% ao ano) e, com isso, o Banco Central deverá manter a taxa Selic estável, em 7,25% ao ano, até o fim de 2013. 


E como o salário mínimo teve aumento real também neste ano (e como acontece todos os anos desde 2003), passando de R$ 622 para R$ 678 (reajuste de 9%, acima da inflação acumulada em 2012, que foi de 5,84%) e a quase totalidade das categorias de trabalhadores continua conquistando acordos salariais com aumento real, o que também acontece desde o início do governo Lula, o poder de compra dos trabalhadores brasileiros continuará crescendo neste ano. 


Portanto, salvo alguma piora muito drástica do cenário mundial, e que já é ruim desde 2008, o que não pode ser descartado, devido à crise interminável da Zona do Euro (vide o recente caso da falência de Chipre e os resultados das eleições italianas, que mostraram um repúdio virtualmente generalizado às políticas de austeridade impostas aos europeus), o cenário da economia brasileira é altamente positivo para este ano. ´


E esse crescimento econômico do Brasil somente não será maior em função da fortíssima crise que atinge a Zona do Euro, a virtual estagnação da economia dos EUA (que cresceu ridículos 0,1% no 4o. trimestre de 2012) e a desaceleração da China, cuja economia despencou de um crescimento de 12% para 7,5% entre 2010 e 2012. Com isso, é claro que as exportações brasileiras são muito prejudicadas, pois estas são, justamente, as três maiores economias do mundo. 


E com isso, a presidenta Dilma se fortalecerá ainda mais para a disputa da eleição presidencial de 2014, na qual, segundo a mais recente pesquisa do Datafolha, ela conta com 64% dos votos válidos, contra 36% de Marina, Aécio e Eduardo Campos. 


Links:


Economia brasileira cresceu entre 4% e 5,2% no 1o. trimestre:


http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/115657_A+RODA+GIROU?comment=success&page=1&contentBasePath=http%3A%2F%2Fcontent-portal.istoedinheiro.com.br%2F&filePath=http%3A%2F%2Fcontent-portal.istoedinheiro.com.br%2Fistoeimagens%2F


Emprego cresce no setor automotivo:


http://economia.ig.com.br/empresas/industria/2013-03-30/emprego-cresce-no-setor-automotivo.html


Taxa de Desemprego de Fevereiro é a menor para o mês na série histórica; Renda real cresce 2,4%:


http://www.redebrasilatual.com.br/temas/economia/2013/03/estavel


Redução de IPI para carros e caminhões continuará até o fim de 2013:


http://www.redebrasilatual.com.br/temas/economia/2013/03/reducao-de-ipi-para-carros-e-caminhoes-vai-ate-o-fim-o-ano


Porque a notícia sobre o crescimento do PIB de 2012 já nasceu velha


http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com.br/2013/03/comercio-varejista-cresceu-84-em-2012.html

sábado, 23 de março de 2013

Dilma caminha para conquistar vitória consagradora na eleição presidencial de 2014! - por Marcos Doniseti!

Dilma caminha para conquistar vitória consagradora na eleição presidencial de 2014! - por Marcos Doniseti!


Dilma caminha para conquistar uma vitória consagradora na eleição presidencial de 2014.

Tempos atrás escrevi que uma eventual candidatura de Eduardo Campos iria tirar votos de Aécio e Marina. Nova pesquisa Datafolha, divulgada ontem, mostra exatamente isso: Dilma cresceu e Aécio e Marina caíram, pois perderam intenções de voto para Campos. 

Os resultados mostrados pelo Datafolha foram (entre parêntesis, os números em votos válidos):

Dilma 58% (64%);
Marina 16% (18%);
Aécio 10% (11%);
Campos 6% (7%).

O que acontece, hoje, é que temos apenas uma candidatura governista, Dilma, e que representa um governo muito bem avaliado pela população, tornando-se a franca favorita para vencer a eleição já no primeiro turno.  

Assim, o fato é que existe uma relação direta entre a intenção de voto em Dilma e a popularidade do seu governo.

As intenções de voto em Dilma, segundo o Datafolha, chegam a 64% dos votos válidos na pesquisa divulgada ontem à noite. E a aprovação do governo Dilma, segundo a pesquisa CNI-Ibope divulgada nesta semana, é de 63%. 

A semelhança dos dois números não é mera coincidência e mostra que aqueles eleitores que aprovam o governo Dilma irão, com certeza, votar na atual presidenta em 2014. 

Logo, pode-se perfeitamente concluir que caso os índices de aprovação de Dilma e do seu governo permaneçam elevados, no mesmo patamar que vemos atualmente, será virtualmente impossível impedir a vitória de Dilma nas eleições presidenciais de 2014 e já no primeiro turno. 

E não adianta a oposição lançar mais candidatos, pois no fim das contas eles irão brigar pela mesma fatia do eleitorado, que são aqueles eleitores que não aprovam ou não simpatizam com Dilma ou com o seu governo. E segundo a pesquisa Datafolha, esse percentual não é dos mais elevados. 

Então, salvo alguma hecatombe de proporções bíblicas na economia brasileira ou no governo Dilma, esta irá caminhar para uma vitória até certo ponto tranquila na disputa presidencial de 2014.

Que assim seja.

Link:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/1251236-dilma-alcancaria-reeleicao-no-1-turno-diz-datafolha.shtml

domingo, 17 de março de 2013

Ferreira Gullar, a fome, Chávez e a Revolução Socialista! - por Marcos Doniseti!

Ferreira Gullar, a fome, Chávez e a Revolução Socialista! - por Marcos Doniseti!


Hugo Chávez governou para os mais pobres, o que na visão ridícula de Ferreira Gullar, impede que aconteçam Revoluções. Assim, governo bom, para ele, é aquele que mata o seu povo de fome e o condena a viver na miséria. Pode isso, Arnaldo?

Em um artigo publicado na 'Folha' neste final de semana o 'poeta' Ferreira Gullar, um ex-comunista, diz que somente se os pobres passarem fome e viverem na miséria é que será possível promover uma Revolução vitoriosa. E como os governos de Lula, Dilma, Chávez, Evo, Correa, Mujica, etc, estão acabando com a fome e a miséria na América Latina, ele critica e ataca todos esses governantes. 

Assim, para Gullar, governo bom é aquele que faz o seu povo viver na pobreza, na miséria e passar fome.

Afinal, como é que alguém pode escrever algo tão ridículo, assim, em um jornal como a 'Folha', hein? É que essa já virou um jornal ridículo há muito tempo e que adora dar abrigo a quem escreve tanta bobagem! 

Então, Gullar está se sentindo 'em casa', com certeza,

O curioso é que quem sempre defende essa idéia patética e fascista (de que os pobres precisam passar fome e viver miseravelmente para se tornarem revolucionários) nunca foi pobre, jamais passou fome na vida e tampouco tentou fazer a Revolução! 

Haja hipocrisia!

E se esses desinformados, como é o caso do sr. Ferreira Gullar, tivessem algum conhecimento de história, eles saberiam que muitas vezes a fome e a miséria não geram Revoluções, mas Contra-Revoluções que levam à instalação de Ditaduras de Direita e de Extrema-Direita que massacram com os movimentos sociais de extração popular (sindical, estudantil, etc) e aniquilam com as forças social-democratas, socialistas e comunistas, . 

Foi isso que aconteceu, por exemplo, na época da Grande Depressão. 

Durante a mesma, NENHUM país da Europa ou da América tornou-se Socialista. 

NENHUM!

Na verdade, aconteceu exatamente o contrário: Na imensa maioria dos países, instalaram-se Ditaduras como as de Hitler, Francisco Franco, bem como outras Ditaduras Militares de Direita na Polônia, Hungria, etc. 

Na América Latina, tivemos a instalação, no Brasil, da Ditadura do 'Estado Novo' (mesmo nome da Ditadura direitista de Salazar, em Portugal), claramente conservadora e de Direita e que procurou reprimir qualquer oposição, principalmente a das Esquerdas. 

Até mesmo na Argentina, país de tradições bem mais democráticas do que o Brasil daquela época, isso aconteceu. Em nenhum país latino-americano do período da Grande Depressão tivemos a eclosão e vitória de alguma Revolução Socialista. 

E olha que a América Latina sofreu intensamente com a Grande Depressão, já que EUA e Europa mergulharam numa crise terrível e eles eram justamente os principais mercados de exportação dos países latino-americanos. 

Portanto, não há nada que comprove que essa tese patética de que matar o povo de fome e fazê-lo viver numa miséria abjeta gere Revoluções Socialistas vitoriosas. Não há nada na história que corrobore essa crença patética.

Agora mesmo, na Europa, tivemos eleições (na Grécia, Espanha, Grã-Bretanha) em que na maioria dos países a população elegeu candidatos e partidos conservadores e não os mais esquerdistas. E mesmo aqueles partidos e líderes supostamente progressistas que são eleitos, quando chegam ao governo, não adotam políticas muito distintas daquelas implantadas pelas forças conservadoras. É por isso que o movimento que mais cresceu nas recentes eleições italianas foi o liderado por um humorista, Beppe Grillo, que atacava a todos os políticos, de forma generalizada, sem fazer qualquer distinção relevante entre os mesmos. 

Portanto, as idéias nas quais Gullar sustenta as suas ridículas e patéticas afirmações não tem nenhuma base na realidade. 

Além disso, o seu texto está repleto de mentiras sobre o governo Chávez, como a de que ele fechou uma canal de TV. Isso nunca aconteceu. 

O que Chávez fez foi não renovar a concessão de uma emissora de TV (a RCTV) que havia violado as leis venezuelanas (e que inclusive participou ativamente do Golpe de Estado de Abril de 2002, informação essa que Gullar não comenta em seu texto ridículo). E tal atitude de Chávez foi perfeitamente legal. 

Aliás, a não renovação de concessões de emissoras de rádio e TV acontece com frequência na Europa e nos EUA e ninguém diz que eles são Ditaduras em função disso. Mas o sr. Gullar nem deve saber disso. 

Agora mesmo, nesta semana, tivemos a prisão de quatro jornalistas na Grã-BVretanha por terem se envolvido em um caso de grampos ilegais e ninguém disse que isso demonstra que tal país seja uma Ditadura. 

E nunca uma manifestação da oposição foi barrada ou impedida pelo governo Chávez. Isso é uma mentira deslavada dita pelo sr. Gullar. Os opositores do governo venezuelano sempre se manifestaram livremente, bem como a imprensa, que é inteiramente anti-chavista. 

Inclusive, recentemente, uma jornalista brasileira que esteve na Venezuela, foi a uma banca de jornais e disse que desejava comprar o exemplar de um jornal que fosse de oposição ao governo Chávez, o que deixou o dono da banca perplexo, levando-o a informar que TODOS os jornais venezuelanos são anti-chavistas, sem exceção, e que ela poderia comprar qualquer um, pois todos eles atacam Hugo Chávez. 

E Gullar também diz que o equivalente venezuelano do nosso STF, que é o Tribunal Supremo de Justiça, tem maioria chavista. O que ele não disse é que todos os seus integrantes são eleitos diretamente pelo povo. Logo, se o Tribunal tem maioria chavista, então é porque isso foi resultado da livre vontade do povo venezuelano. 

Portanto, sr. Ferreira Gullar, seu artigo é totalmente falso, mentiroso e se baseia em teses totalmente equivocadas, sem nenhuma base na realidade histórica, seja recente ou não.

E já que o Sr. quer tanto que a Revolução Socialista aconteça, então sugiro que doe tudo o que tem aos pobres, comece a passar fome e a viver na miséria e inicie a sua luta pela vitória da mesma.

Pelo menos, assim, o sr. estará sendo coerente com as suas idéias e também poderá começar a ser respeitado. 

Até lá, as pessoas terão todo o direito de considerá-lo um reles demagogo e que não conhece coisa alguma a respeito de história.  

Link:

http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/96433/Ferreira-Gullar-nega-revolu%C3%A7%C3%A3o-bolivariana.htm

sábado, 16 de março de 2013

Chávez, o PIG e o discurso reacionário e mentiroso sobre a América Latina! - por Marcos Doniseti!

Chávez, o PIG e o discurso reacionário e mentiroso sobre a América Latina! - por Marcos Doniseti!

Governantes da América Latina, em sua imensa maioria, procuraram reforçar os laços de integração da região, diminuindo a influência ianque na região.
No blog do mestre Emir Sader, um típico leitor do PIG fez alguns questionamentos equivocados e incoerentes sobre o texto. Tomei a liberdade de responder aos mesmos aqui no blog.

Obs: Publiquei uma versão resumida desta resposta no blog do Emir (ver link abaixo).

As questões do leitor e as minhas respostas para ele são as seguintes:   

1) Dá para o Senhor responder por que a Venezuela não parou de vender petróleo à America, a Bela?

R) Os EUA é que precisam comprar petróleo venezuelano e não o contrário. Logo, os EUA é que dependem da Venezuela.

Além disso, se Hugo Chávez é um ditador (o que é uma mentira deslavada), como afirma a Grande Mídia reacionária latinoa-americana, então porque os EUA financiam essa 'Ditadura', comprando oceanos de petróleo da Venezuela? Porque o governo ianque não compra petróleo de países que considere como sendo livres e democráticos?


E o pior de tudo é que esse discurso falso e mentiroso feito pelo governo dos EUA é repetido pelo ridículo PIG tupiniquim, que faz parte da SIP, entidade criada pela CIA em 1947 e que apoiou todos os Golpes de Estado e Ditaduras Militares na América Latin. 

2) por que o PT não anulou as privatizações e abriu inquéritos para apurar os desvios (antes está fazendo outras - inclusive de aeroportos, como o da Capital Federal);

R) Foi o governo FHC que impediu que fossem realizadas investigações sobre a Privataria, bloqueando o trabalho da Polícia Federal e impedindo a instalação de CPIs no Congresso sobre este tema. E no governo FHC, a única operação relevante da PF foi a 'Lunus', que destruiu com a candidatura de Roseana Sarney, beneficiando o tucano José Serrra


Outra coisa:  Concessão não é venda de patrimônio público. No regime de concessão, este continua pertecendo ao Estado, tal como acontece com os aeroportos e rodovias às quais Dilma quer construir, ampliar e melhorar, para modernizar a infra-estrutura do país. 

Afinal, sem a ampliação dos investimentos em infra-estrutura, não haverá crescimento econômico sustentável no Brasil. 

E tais concessões nada tem a ver com as privatizações do governo FHC, que foram feitas para pagar a dívida pública e que, mesmo assim, não impediram que esta disparasse, passando de 30% para 51,5% do PIB entre 1995-2002. Desde o governo Lula que a dívida pública está diminuindo, tendo caído para 35,2% do PIB. Além disso, as reservas internacionais líquidas passaram de US$ 16 bilhões para US$ 380 bilhões nos governos Lula-Dilma. 

Portanto, atualmente, não há necessidade e nem vontade política alguma de se vender patrimônio público a preço de banana para pagar dívidas ou elevar as reservas, como fez o governo FHC. 

Sobre a revisão das privatizações, aqui vai um aviso: O Poder Executivo não tem autoridade para anular as privatizações. O único que tem autoridade para isso é o Poder Judiciário.

3) e por que Cuba QUER ser explorada por essa América, a bela, quando tenta se "libertar" do Embargo?

R - Cuba quer fazer o que todo país soberano faz, que é comercializar com os outros países livremente, sem nenhum tipo de restrição. Se todos os outros países do mundo fazem isso, porque Cuba não pode? Não há nada que justifique a manutenção do Bloqueio dos EUA contra Cuba. A própria ONU já aprovou inúmeras resoluções condenando o criminoso Bloqueio ianque contra Cuba e que é totalmente ilegal pelas leis internacionais.


Aliás, é interessante chamar a atenção para o fato de que os EUA que bloqueiam Cuba são o mesmo país que apóiam e financiam Israel (que comete inúmeros crimes contra os palestinos diariamente, de quem roubaram as terras para construir o seu Estado) e que também apoiaram e financiaram o regime racista do Apartheid na África do Sul e que fizeram o mesmo com inúmeras ditaduras militares na América Latina durante várias décadas, incluindo as de Pinochet e a da Argentina, de onde saiu o novo Papa, que também apoiou e colaborou com tal Ditadura, que exterminou mais de 30 mil pessoas que se encontravam sob a custódia do Estado.

Outra coisa: Porque os EUA tem relações diplomáticas normais com a Arábia Saudita, que é uma teocracia reacionária e criminosa que enforca mulheres que lutam pelos seus direitos? Porque os EUA não bloqueiam a Arábia Saudita em função do fato de ser uma ditadura teocrática que não respeita os direitos humanos mais básicos? Isso demonstra que na hora de comprar o petróleo saudita, os EUA jogam os tais 'direitos humanos' na lata de lixo.
 

Link:

http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&post_id=1204

domingo, 3 de março de 2013

A decadência dos extremistas da Grande Mídia! - por Marcos Doniseti!

A decadência dos extremistas da Grande Mídia! - por Marcos Doniseti!

Serra e seu grande estrategista político, que o conduziu a grandes vitórias nas últimas eleições. 

Esses pseudo-jornalistas neofascistas (Tio Rei, Merval) fizeram de tudo para que um petista aloprado tivesse metido uma bala em algum deles para, daí, poder derrubar o governo de Lula ou Dilma, tal como fizeram com Getúlio Vargas em 1954. 

Como não conseguiram atingir o seu objetivo, agora eles estão inventando essas asneiras de que estariam sofrendo, ou prestes a sofrer, 'ofensas e agressões' de petistas radicais (ué, mas não estes náo foram todos para o PSOL, PSTU e PCO?).

Mas, afinal, porque alguém iria perder seu tempo agredindo esses fascistas e incompetentes que, com seu discurso extremista, preconceituso e intolerante, estão cavando a própria sepultura e ajudando a manter a maioria da população longe de partidecos neofascistas e decadentes como são os casos do PSDB-DEM-PPS??? 

Basta ver o que aconteceu em na capital paulista na última eleição municipal.

Quando o Malafaia entrou na campanha do Serra, apelando para a baixaria e gredindo Haddad, este perdeu vários pontos nas pesquisas, mostrando que a maioria do eleitorado rejeita radicalismos de qualquer tipo. Eles simplesmente não conseguem influenciar o eleitorado, na sua maioria, do jeito que gostariam. 


A decadência dessas figuras é inevitável e irreversível, pelo menos enquanto o Brasil continuar sendo uma Democracia Liberal. A única salvação dessa turma é um Golpe de Estado como o que tivemos em 01 de Abril de 1964, com a consequente instalação de uma Ditadura Militar que dure tempo suficiente para, como diria o grande filósofo do ex-PFL, Jorge Bornhausen, 'acabar com essa raça'.

Então, eu quero mais é que esses patetas continuem sendo tão extremistas quanto sempre foram, pois daí o PT irá continuar governando o Brasil por muitos anos, ainda, podendo continuar e aprofundar as políticas que melhoram as condições de vida da maioria absoluta da população, principalmente do mais pobres. 

Avante, Merval e Tio Rei! 

Continuem fazendo a cabeça dos neonazistas panacas que os seguem e, mais ainda, definindo e colocando em prática essa brilhante estratégia política que os está levando, cada vez mais, para o brejo.


Link:

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/95104/A-violência-é-a-mais-nova-esperança-da-oposição.htm

FHC e a decadência deselegante do PSDB! - por Marcos Doniseti!


FHC e a decadência deselegante do PSDB! - por Marcos Doniseti!

FHC mostra a sua grande obra...

Em um artigo publicado hoje, o ex-presidente FHC afirma que não quer mais saber de comparação entre os governos de Lula-Dilma e o seu, o que ele chama de 'picuinhas'. 

Coitado do FHC... Ele diz isso porque ele sabe que quando essa comparação é feita, fica muito claro para todos que Lula e Dilma fizeram governos muito melhores do que o dele. Oras, não fazer tal comparação é que seria ridículo. Afinal, todos os partidos e governantes gostam de dizer que fizeram 'isso ou aquilo' para poder justificar o voto neles. 

Então, as comparações sempre fizeram parte, e sempre farão, da disputa política. 

Pedir para que isso não seja feito é como pedir para o time adversário não chutar a bola contra o seu gol, o que é patético. 

FHC também diz que o governo federal precipitou a campanha eleitoral de 2014. 

Errado, cara-pálida! Quem fez isso foi você mesmo, quando lançou a candidatura do Aécio para Presidente da República. Ou além de ter esquecido tudo o que já escreveu, também já se esqueceu disso? 

FHC reconhece que foi necessário expandir o gasto público para poder superar os efeitos da crise financeira global quando esta começou, com a falência do Lehman Brothers, em setembro de 2008. Verdade? Então, porque em seu governo você fez exatamente o contrário? 

Afinal, sempre que estouravam crises externas (México, Periferia Asiática, Rússia, Argentina) o governo FHC aumentava violentamente a taxa de juros (chegou a 45% ao ano em Março de 1999), reduzia gastos públicos, eliminava direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, aumentava os impostos. Assim, FHC elogia hoje o que ele nunca fez quando foi Presidente. Haja hipocrisia.

Mas, daí ele diz que isso virou algo permanente, reduzindo a credibilidade do BC (onde? quando?) e tornando o país mais vulnerável na área fiscal Errado! FHC também cita que o tripé de política econômica (metas de inflação, câmbio flutuante, responsabilidade fiscal estão ameaçados). 

PSDB-DEM-PPS tentaram acabar com o ProUni, criado pelo governo Lula e que já beneficiou mais de 1 milhão de estudantes carentes. 

Errado!

Nos governos Lula-Dilma a dívida pública e o déficit público foram reduzidos. 

Quando acabou o governo FHC, a dívida pública era de 51,5% do PIB. Agora, é de 35,2% do PIB, acumulando uma queda 31,7%. Enquanto isso, depois que estourou a crise, em Setembro de 2008, países como EUA, R.Unido e França dobraram a sua dívida pública. 

O Brasil foi um dos poucos países do mundo que conseguiu reduzir a dívida pública mesmo em meio à pior crise econômica desde a Grande Depressão dos anos 1930. E o déficit público era de 4% do PIB quando terminou o governo FHC e agora está em 2,8% do PIB. E antes da crise de 2008 estourar, a dívida líquida pública brasileira era de 38% do PIB e agora caiu para os 35,2% que citei aqui. 

Então, não existe nenhum problema fiscal à vista no Brasil, muito pelo contrário. 

A política de câmbio flutuante foi modificada, sim, pelo governo Dilma, mas isso foi feito para garantir maior competitividade às exportações brasileiras, que foram muito prejudicadas pelas maxidesvalorizações cambiais promovidas pelas maiores economias do mundo (EUA, UE, China, etc) nos últimos anos, logo depois da crise global começar. 

Todos eles desvalorizaram fortemente as suas moedas para tornar as suas exportações mais competitivas e isso prejudicou o Brasil. Então, quando o governo Dilma promoveu a elevação do Dólar para o atual patamar de R$ 2,00 essa foi uma reação a essa situação nova que surgiu na economia mundial. 

Mas FHC esquece de tudo isso, novamente, em seu artigo ridículo.

E FHC falar de vulnerabilidade externa é piada, né? Afinal, ele recorreu 3 vezes ao FMI, fazendo empréstimos no valor de US$ 86,5 bilhões, justamente em função disso. 

Sem falar que, hoje, o Brasil tem quase US$ 380 bilhões em reservas internacionais líquidas, contra os ridículos US$ 16 bilhões que tínhamos no final do governo tucano. O déficit externo brasileiro em transações correntes tem fechado em torno de 2,2% do PIB nos últimos anos, o que é perfeitamente financiável, contra os mais de 4% do PIB que tivemos durante vários anos no governo FHC e que não era financiável.

Com reservas elevadas e déficit externo sendo financiado sem nenhuma dificuldade, isso significa que não temos nenhuma ameaça ao Brasil no setor externo de nossa economia neste momento e que por um bom tempo isso continuará assim. 

O resto é conversa fiada para boi dormir. 

Além disso, no mundo inteiro as políticas neoliberais, que são as mesmas que FHC aplicou em seu govenro e que cujo retorno ele defende, afundaram com as economias dos países mais ricos do mundo, que entraram em recessão e que se encontram estagnadas já há vários anos, mesmo com o Estado injetando trilhões de dólares e de euros para salvar o sistema financeiro privado que faliu nos EUA, em 2008-2009, e na UE, nos anos seguintes. 

Exemplo disso é que em Janeiro-Fevereiro de 2012, o BCE colocou à disposição dos bancos do bloco a 'módica' quantia de 1 Trilhão de euros, sob a forma de empréstimos e com juros de 1% ao ano. Na prática, trata-se da DOAÇÃO de dinheiro público aos banqueiros, pura e simplesmente. 

Mas a respeito disso, FHC não diz absolutamente nada, preferindo criticar o governo brasileiro, que fortaleceu os bancos públicos (BNDES, CEF, BB) a fim de aumentar a oferta de crédito e reduzir os juros. E isso resultou no aumento dos lucros destes bancos, que ganharam mercados dos bancos privados, sendo responsáveis, hoje, por 47,6% da oferta de crédito na economia brasileira. 

É bom ressaltar que isso somente foi possível porque, graças à resistência dos brasileiros, o governo FHC não conseguiu privatizar o BNDES, o BB e a CEF, além da Petrobras, o que era (e ainda é) amplamente defendido pelos economistas tucanos responsáveis pela elaboração dos planos econômicos do PSDB (Edmar Bacha, André L. Resende, Pérsio Arida). 

Com certeza, foram as vitórias de Lula e de Dilma que impediram que isso fosse feito. 

Pobreza despencou no Brasil a partir do governo Lula, sendo reduzida a menos da metade daquela que existia no final do governo FHC.


FHC também diz que são as compras chinesas de minérios e alimentos do Brasil que estão ajudando o país a manter uma situação econômica favorável. Bem, o mesmo pode ser dito a respeito de todos os outros países que exportam bastante para a China, como é o caso da Alemanha, por exemplo, que aumentou fortemente as suas exportações para o mercado chinês nos últimos anos. 

E é claro que FHC não podia deixar de defender, novamente, que o Brasil e a América Latina sigam a liderança e se submetam à hegemonia dos EUA. Isso é genético no FHC e nos tucanos. Nem uma terapia genética de última geração resolveria isso. 

Afinal, tucano que não defende a submissão aos interesses globais dos EUA não é tucano. 

E FHC, novamente, diz que deu início às políticas de inclusão social, como as 'Bolsas' (Escola, Família), tentando se apropriar da criação das mesmas. Isso é uma deslavada mentira. 

O primeiro grande programa de Bolsa-Escola do Brasil foi o do governo PETISTA de Cristovam Buarque, que administrou o Distrito Federal entre 1995-1998, e que se inspirou num projeto de lei do Senador PETISTA Eduardo Suplicy, de 1991, que propunha a criação de um programa de Renda Mínima. 

Daí, Buarque pegou a idéia de Suplicy e associou a mesma com a exigência das famílias de manter seus filhos frequentando a escola para pode ter direito ao benefício, criando o Bolsa-Escola. 

Mas, depois, o sr. Joaquim Roriz, com o total apoio do PSDB, venceu a eleição para o governo do DF em 1998 e, em seu governo (1999-2002), acabou com o programa. E o então PFL, também com o apoio do PSDB-PPS, entrou no  STF para acabar com o ProUni, programa este que foi criado pelo governo Lula (na gestão do então ministro da Educação, Fernando Haddad) e que já colocou mais de 1 milhão de estudantes carentes na Universidade. E mais recentemente eles (PSDB-DEM-PPS) fizeram o mesmo com a política de cotas, tentanto impedir que elas fossem implementadas no Brasil. 

E também não se pode esquecer que os tucanos sempre se referiram ao Bolsa-Família e assemelhados como sendo o 'Bolsa-Vagabundagem', o 'Bolsa-Esmola' e o 'Bolsa-Cachaça'. Até a esposa de Serra, Monica Allende, disse isso na campanha presidencial de 2010 e nenhum tucano veio a público para contestar o que ela disse, nem o próprio FHC. 

Assim, se dependesse dos tucanos e dos seus aliados, os programas de inclusão social  jamais teriam sido colocados em prática no Brasil.

Mas disso o FHC também já se esqueceu, coitado, e ele insiste em dizer que eles é que criaram tais políticas de inclusão social, às quais eles sempre condenaram e que já tentaram inviabilizar em várias oportunidades. 

É muita cara-de-pau!


Portanto, o artigo que FHC publicou neste Domingo contém uma série de distorções, mentiras e manipulações grosseiras. 

Isso mostra o quanto ele e o PSDB decaíram, no plano político e também no intelectual. E isso acontece sem que tal processo esteja associado a nenhuma elegância. 

Essa é a decadência deselegante do PSDB!



Link:

Texto de FHC publicado neste Domingo:

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/95085/FHC-pede-fim-de-picuinhas-e-olhar-para-frente.htm

Eduardo Suplicy, o Renda Mínima e as Bolsas (Escola e Família):

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com.br/2010/01/projeto-de-renda-minima-de-eduardo.html

sábado, 2 de março de 2013

Porque a notícia sobre o crescimento do PIB de 2012 já nasceu velha! - por Marcos Doniseti!

Porque a notícia sobre o crescimento do PIB de 2012 já nasceu velha! - por Marcos Doniseti! 

Maiores aumentos reais de salários desde 1996, a menor taxa de desemprego da história, massa salarial crescendo 5,6% e retomada dos investimentos produtivos. Essa é a situação atual da economia brasileira, mostrando que número do crescimento de PIB de 2012 é velho, exibindo um cenário que não existe mais. 


Lula e Dilma: Seus governos tiraram o Brasil da estagnação, distribuíram renda e reduziram drasticamente os efeitos das crises internacionais sobre o país e seu povo.

Lula e Dilma: seus governos tiraram o Brasil da estagnação, distribuíram renda e reduziram drasticamente os efeitos das crises internacionais sobre o país e seu povo.

A Grande Mídia brasileira não faz a menor idéia sobre o que está acontecendo no Brasil atualmente. A questão sobre o crescimento da economia do país mostra bem isso. 

Em 2012 o PIB brasileiro cresceu 0,9% e as vendas no comércio varejista nacional aumentaram 8,4%. Como se explica isso? 'É a distribuição de renda, estúpido!' 

Segundo o Dieese, os acordos salariais assinados em 2012 pelos trabalhadores brasileiros promoveram o maior aumento real desde 1996, ou seja, são os melhores dos últimos 16 anos. Somente no primeiro semestre de 2012, em 97% dos acordos salariais assinados tivemos aumentos reais. 

Em Janeiro deste ano a taxa de desemprego foi a menor da história do país para o mês, ficando em 5,4% (foi de 5,5% em Janeiro de 2012) e a renda dos trabalhadores teve crescimento real de 2,4% sobre igual mês de 2012. A massa salarial, por sua vez, teve um aumento de 5,6% em relação ao mesmo mês do ano passado. 

E mesmo os investimentos produtivos, que caíram fortemente no acumulado de 2012, tiveram uma retomada no 4o. trimestre, crescendo 0,5% em relação ao trimestre anterior. 

Estes números mostram que, para o povo brasileiro, 'o Pibinho é um Pibão' e aponta para um maior crescimento da economia brasileira em 2013, salvo um agravamento mais forte da crise nas maiores economias mundiais, em especial os EUA, UE, China e Japão. 

Então, não adianta a Grande Mídia ficar trombeteando que o 'PIB cresceu só 0,9%', porque isso não atingiu a vida da maioria da população, que está melhorando mais rapidamente do que a situação do país. 

É claro que essa contradição não poderá continuar para sempre. Mas, os próprios números do PIB de 2012 mostram que no 4o. trimestre o PIB cresceu 0,6%, o que dá um número de 2,4% anualizado, bem acima do 0,9% obtido durante todo o ano. 

Logo, já estamos presenciando uma retomada da economia brasileira e que deverá se acelerar ainda mais caso os empresários voltem a investir no setor produtivo, o que não estão fazendo com a intensidade que se espera. Este fator, a queda dos investimentos privados, é que está segurando o crescimento da economia brasileira, junto com a entrada de grande volume de peças e componentes importados muito baratos que desestimulam a produção industrial nacional e o agravamento da crise internacional. 

Os EUA ficaram estagnados no último trimestre de 2012, 'crescendo' ridículos 0,1% e a crise da Zona do Euro piorou com a incerteza política na Itália, quarta maior economia da União Europeia e cujos eleitores estão divididos sobre qual é o melhor caminho a seguir, embora tenha ficado claro pelo resultado das eleições que há uma imensa maioria de italianos que rejeita o caminho da 'austeridade', que somente prejudica os trabalhadores e preserva e fortalece os interesses do Grande Capital. Na Espanha, a taxa de desemprego atingiu os 26%. Na Grécia ela já chegou a 30%. A economia do Japão sofreu uma queda de 0,1% no 4o. trimestre de 2012.

A Alemanha e a França, as duas maiores economias da UE, estão estagnadas e podem entrar em recessão. A economia alemã teve um forte recuo, de 0,6% no quarto trimestre em relação ao trimestre anterior. Já a economia da França 'cresceu' 0,1% no acumulado de 2012, mas no último trimestre do ano ela caiu 0,3%. 

Logo, este cenário explica a razão para a queda do crescimento da economia brasileira em 2012, mesmo com o governo Dilma tendo reduzido a taxa Selic para o menor patamar da história, reduzido os impostos e ter anunciado medidas para elevar os investimentos em infra-estrutura. 

Em função de tudo isso, se o Brasil crescer 3% em 2013, já será um ótimo índice, sem dúvida alguma. 


Indicadores econômicos brasileiros de Janeiro deste ano mostram uma significativa recuperação da atividade econômica. 

Na verdade, o que mais impressiona no caso do Brasil é que o país não tenha afundado com essa crise que atinge com força aos EUA, UE e Japão e que reduziu fortemente o crescimento da China e da Índia. Antigamente, bastava uma Tailândia qualquer afundar e o Brasil mergulhava numa crise terrível, com os juros disparando, os salários sendo arrochados, economia entrando em recessão e o desemprego crescendo rapidamente. 

Agora, isto não acontece, pois temos uma economia muito mais sólida, graças ao ótimo trabalho de recuperação e de reconstrução do país que foi realizado nos governos Lula e Dilma. 

Links:

Rendimento real dos trabalhadores cresceu 2,4% em Janeiro; Massa salarial aumentou 5,6%:

http://www.redebrasilatual.com.br/temas/economia/2013/02/estavel-taxa-de-desemprego-de-janeiro-e-a-menor-para-o-mes

Investimentos em máquinas e equipamentos cresceram 0,5% no 4o. trimestre:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/96377-investimento-surpreende-e-indica-retomada-da-economia-neste-ano.shtml

Dieese: Salário real médio teve o maior crescimento desde 1996:

http://economia.ig.com.br/mercados/2013-03-01/apesar-de-pib-baixo-ganho-real-medio-deve-ser-maior-desde-1996-diz-dieese.html

Comércio varejista brasileiro teve crescimento de 8,4% em 2012:

http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=2324&id_pagina=1

Crescimento da economia dos EUA foi de apenas 0,1% no 4o. trimestre de 2012:

http://expresso.sapo.pt/crescimento-dos-eua-revisto-em-alta-para-01-no-quarto-trimestre-de-2012=f790327

Itália, Espanha, Grécia... A interminável crise da Zona do Euro:

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=21672&alterarHomeAtual=1

Alemanha tem queda de 0,6% no quarto trimestre:

http://economia.ig.com.br/2013-02-23/comercio-exterior-contrai-crescimento-da-alemanha-no-4-tri.html


Economia do Japão sofre queda de 0,1% no 4o. trimestre de 2012:

http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/02/japao-permanece-em-recessao-mas-preve-2013-melhor.html