sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Afinal, porque a rejeição a Serra cresceu tanto? - por Marcos Doniseti!

Afinal, porque a rejeição a Serra cresceu tanto? - por Marcos Doniseti!



Muito se tem escrito a respeito do rápido aumento da rejeição do candidato do PSDB, José Serra, à prefeitura de São Paulo. 

Entendo que há uma razão muito forte para que isso tenha acontecido e esta é a elevada desaprovação do governo Kassab. 

A mais recente pesquisa do Datafolha, divulgada no dia 30 de Agosto, mostra o prefeito de São Paulo como o mais impopular prefeito das capitais brasileiras, ao lado do prefeito do Recife (João da Costa, do PT, que teve a sua candidatura à reeleição vetada pelo partido). 

E na capital pernambucana o candidato petista à prefeitura (Humberto Costa, Senador e ex-ministro da Saúde do governo Lula) também enfrenta grandes dificuldades para conseguir vencer a eleição e está empatado com o candidato do PSB, Geraldo Júlio, apoiado pelo extremamente popular governador Eduardo Campos. Até outro dia Geraldo Júlio tinha cerca de 6% nas pesquisas.

Em São Paulo, segundo o Datafolha, Kassab tem apenas 24% de ótimo/bom, contra 36% de ruim/péssimo. 

Qual a razão dessa elevada desaprovação do governo Kassab?

Entendo que o motivo principal disso é que, neste segundo mandato, a cidade foi literalmente abandonada por Kassab. 

O prefeito paulistano (ex-vice de Serra e pelo qual foi apoiado quando se reelegeu) deu prioridade para a criação do seu partido, o PSD, e pouco tempo dedicou à gestão e ao governo da cidade.

E o resultado é que, neste segundo mandato, Kassab não fez NADA de relevante na cidade. 


E quando digo NADA, é NADA mesmo! Não se conhece uma única obra ou projeto significativo da prefeitura paulistana que tenha sido desenvolvido neste segundo mandato. No primeiro mandato, Kassab ainda fez algumas coisas.

É verdade que quase todas as obras e projetos que Kassab colocou em prática em seu primeiro mandato foram iniciados e desenvolvidos no governo da Marta, mas o atual prefeito paulistano, ao menos, dava continuidade e finalizava os projetos e obras que a ex-prefeita petista iniciara. 


Cito vários exemplos disso que afirmo:

1) A construção de CEUs (Centros Educacionais Unificados): Marta fez 24 CEUs e Kassab fez 21, mas todos eles foram feitos em seu primeiro mandato. No segundo governo ele não fez nenhum. Escolas de ensino fundamental e creches também não saíram do papel.

2) A reestruturação do sistema de transporte coletivo, feito pelo governo Marta, que incluía a renovação da frota de ônibus da cidade, com milhares de novos ônibus, foi concluído por Kassab em seu primeiro governo. Mas no segundo ele simplesmente não fez coisa alguma no setor.  


3) Na área da saúde, Marta começou a construção do hospital Cidade Tiradentes e no seu primeiro mandato, Kassab o concluiu, colocando-o em funcionamento. O mesmo vale para um outro hospital, o de M'Boi Mirim, cuja licitação foi feita por Marta e que Kassab construiu.

Então, mesmo com muitas das obras e projetos tendo sido iniciados pelo governo de Marta, Kassab deu continuidade aos mesmos e, daí, teve o que mostrar quando se candidatou à reeleição. E por isso derrotou a própria Marta na eleição de 2008. 


Assim, Kassab se apropriou de tudo o que Marta havia feito e usou isso para derrotá-la na eleição.

Mas, no segundo mandato, as realizações de Kassab sumiram, simplesmente desapareceram.


Kassab não fez NADA de relevante em nenhuma área (educação, saúde, transporte, moradia, saneamento básico) em seu segundo governo. O que ele planejou ficou só no papel.

Exemplos: Kassab prometeu construir 5 corredores exclusivos de ônibus e não fez nenhum. Nenhum novo CEU foi construído. Embora tivesse prometido construir 3 novos hospitais, Kassab também não fez nenhum. 

Então, o segundo mandato de Kassab foi infinitamente pior do que o primeiro. Ao final deste, ainda havia o que mostrar em termos de obras e de realizações, mesmo que grande parte delas não tivessem sido iniciadas pelo seu governo, mas no de Marta. 


Até em função disso, em Outubro de 2008, quando foi reeleito, o governo Kassab era considerado ótimo/bom por 59% e reprovado por apenas 15% dos paulistanos (dados do Datafolha).

Mas ao final deste segundo mandato, depois de quatro anos, o que Kassab tem para mostrar? O PSD. Mais nada.

Essencialmente, é isso que explica a piora sensível da avaliação do governo Kassab nos dois últimos anos, em especial.

E é claro que esse forte desgaste da gestão de Kassab atingiu em cheio à imagem de Serra.

Afinal, quem escolheu Kassab para ser seu vice e o deixou no comando da prefeitura, como o seu sucessor, foi o próprio Serra. 


Agora, o que ocorreu para que essa piora da imagem de Kassab fosse tão grande? E surge a dúvida: como é que o governo de Kassab se deteriorou tanto do ponto de vista administrativo no seu segundo mandato?

Isso tem, a meu ver, duas explicações:

1) Kassab é um brilhante articulador político (conseguiu viabilizar o PSD em pouquíssimo tempo, dando penetração nacional ao partido) mas é um péssimo gestor. Kassab não entende lhufas de administração pública (e, com certeza, nem de administração privada);

2) Se Kassab é um péssimo gestor, como explicar as suas realizações no primeiro mandato? Uma resposta para isso é que não era preciso inventar nada. Bastava dar continuidade ao que Marta já havia feito.

Mas penso que pode haver uma outra razão, que foi a saída do secretário Alexandre de Moraes no final do primeiro mandato de Kassab. Para quem não sabe, ele era uma espécie de 'Dilma' do Kassab, ou seja, o responsável por tirar programas, projetos e obras do papel e colocá-los em prática. 


Coincidentemente, foi depois da demissão dele (ver link abaixo), em Junho de 2010, que o governo Kassab degenerou no aspecto administrativo. Ele era, na prática, o gestor, o administrador da cidade. Isso dava liberdade para Kassab se preocupar com outras coisas. Após a saída de Alexandre de Moraes, nenhum outro secretário acumulou tanto poder e demonstrou a mesma capacidade de iniciativa que ele tinha.

Assim, mesmo nadando em dinheiro (no final de 2011 a prefeitura tinha R$ 10 bilhões guardados ou aplicados no mercado financeiro), o segundo governo Kassab foi um zero à esquerda, não fazendo absolutamente nada de relevante na cidade. Nada.

Com isso, a situação da cidade e a qualidade de vida dos paulistanos piorou muito, em todos os aspectos.

Afinal, a população da capital paulista aumenta em 100 mil pessoas anualmente, ou seja, cresce quase uma Diadema a cada 4 anos. 


Sem a realização de qualquer investimento relevante nos serviços públicos (transportes, educação, saúde) da capital é claro que a qualidade de vida dos paulistanos despencou e Kassab, corretamente, passou a ser mal avaliado pela população.

E essa péssima avaliação da gestão de Kassab pelos paulistanos que, agora, torna-se fatal para a candidatura de Serra, dado o fato de que Kassab é o seu herdeiro político. Simplesmente não há como desvincular Serra de Kassab. Seria como dizer que Lula não tem nada a ver com o governo Dilma, o que é um absurdo total.

Imaginem se, por exemplo, a presidenta Dilma estivesse fazendo um péssimo governo e a popularidade dela estivesse no chão. É claro que isso afetaria, negativamente, a imagem de Lula e o prestígio dele também despencaria. 


É isso o que acontece com Serra. A péssima gestão de Kassab atingiu em cheio a imagem e o prestígio do ex-governador de São Paulo. E é claro que o fato de Serra ter abandonado a prefeitura de SP apenas 15 meses depois de ter tomado posse, sem também ter feito qualquer coisa de relevante na cidade, serve para agravar ainda mais a situação do candidato tucano à prefeitura da capital paulista nesta eleição. 

E é evidente que se Kassab tivesse feito um ótimo segundo mandato e a sua popularidade estivesse nas alturas, é mais do que óbvio que Serra ganharia essa eleição sem maiores dificuldades. Ele poderia fazer como o presidente Lula que, agora, colhe os frutos pelo fato de ter escolhido uma sucessora, Dilma, que faz um governo muito bem avaliado pela população, alcançando um índice de aprovação pessoal de quase 76% segundo a mais recente pesquisa CNT-Sensus. Dilma é tão popular que se a eleição presidencial fosse hoje ela teria 75% dos votos válidos, contra apenas 25% de Aécio.

Agora, após o início da campanha eleitoral no rádio e na TV, muitas pessoas se lembraram de que foi Serra o responsável por deixar Kassab em seu lugar e que este fez um segundo mandato horroroso. Então, é claro que a impopularidade de Kassab acaba sendo, automaticamente, sendo transferida para Serra.

Outros fatores podem até influir na crescente rejeição dos paulistanos à candidatura de Serra, mas entendo que eles são secundários. 


O que pesa, mesmo, para valer, é o péssimo segundo mandato de Kassab e o fato de que ele somente se tornou prefeito porque Serra abandonou a cidade para ser governador do estado. 

O fato concreto é que os paulistanos se cansaram de serem abandonados, primeiro por Serra, para se eleger governador e, depois, pelo próprio Kassab, que abandonou a cidade e percorreu o Brasil inteiro para criar o PSD.

E agora, os mesmos paulistanos que foram abandonados pela dupla Serra-Kassab dão o troco no candidato do PSDB, rejeitando a sua candidatura. 

Portanto, pode-se perfeitamente concluir que tanto Serra, quanto Kassab, apenas estão colhendo os frutos (amargos) dos erros que cometeram nos últimos anos. 


Links:

Por que Serra é tão rejeitado? - Eduardo Guimarães:

http://www.blogdacidadania.com.br/2012/08/ninguem-explicou-direito-ainda-o-baque-eleitoral-de-jose-serra/

Outubro de 2008: Aprovação a Kassab  chega a 59%, diz Datafolha:

http://datafolha.folha.uol.com.br/po/ver_po.php?session=823

Março de 2010: Datafolha mostra que reprovação a Kassab chega a 34%:

http://datafolha.folha.uol.com.br/po/ver_po.php?session=955

Março de 2011: Reprovação de Kassab chega a 43%, diz Datafolha:

http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/pesquisa-datafolha-mostra-que-reprovacao-a-administracao-kassab-chega-a-43-20110321.html

Agosto de 2012: Datafolha - Reprovação de Kassab chega a 36%:

http://odia.ig.com.br/portal/brasil/eleicoes2012/kassab-tem-menor-nota-entre-seis-capitais-brasileiras-diz-datafolha-1.482913

Alexandre de Moraes sai do governo Kassab:


http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,cai-alexandre-de-moraes-o-supersecretario-de-kassab,563103,0.htm

Aprovação do governo Dilma passa de 56%; aprovação pessoal de Dilma ultrapassa 75%:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-08-03/cntsensus-aumenta-em-sete-pontos-aprovacao-do-governo-dilma

Ibope: Haddad sobe para 16% e empata com Serra (20%)! Russomano lidera com 31%!

Ibope: Haddad sobe para 16% e empata com Serra (20%)! Russomano lidera com 31%! - por Marcos Doniseti, com informações do blog do Noblat e do G1

 

O blog do Noblat publicou a seguinte notícia agora há pouco:

"Saiu do forno a mais recente pesquisa do Ibope a ser publicada amanhã pelo jornal O Estado de São Paulo. O candidato do PSDB a prefeito de São Paulo caiu cinco pontos em relação à pesquisa anterior. Fernando Haddad, do PT, subiu. Os dois estão tecnicamente empatados. Russomanno segue na frente.".

Bastou uma semana de campanha no rádio e na TV para o Haddad conseguir empatar com o Serra? Mas até outro dia mesmo o Serra tinha 30% e o Haddad não passava da faixa de 6% a 8%?

Daí, quando eu digo que o povo não liga a mínima para aquele circo esdrúxulo montado no STF em Brasília e que está muito mais preocupado em melhorar de vida, e com os problemas reais que enfrenta em sua vida, como o metrô superlotado, com as creches inexistentes e com os três hospitais que o Kassab prometeu fazer e não fez, ainda tem pessoas que duvidam de mim.

Aliás, estou convencido de que se saírem por aí perguntando às pessoas o que é STF, muitos irão pensar que é alguma marca de roupa ou de sapato.



O portal G1 já divulgou o resultado da pesquisa, que foi o seguinte (entre parêntesis coloquei o resultado da pesquisa Ibope anterior, feita no dia 16 de Agosto):

Russomano          31% (26%);
Serra                    20% (26%);
Haddad                16% (9%);
Chalita                   5% (5%);
Soninha                  4% (5%);
Paulinho                 1% (5%);
Outros                     1%;
Brancos-Nulos      12%;
Não Sabe                 9%.

O Ibope simulou um segundo turno entre Russomano e Serra. E o resultado foi Russomano 51% X 27% Serra, ou seja, um massacre para o candidato do PRB.

Segundo o Ibope, Serra é rejeitado por 34% dos eleitores, Haddad por 13% e Russomano por 8%.

Obs:  Uma pergunta: Qual o primeiro instituto de pesquisa que irá registrar a ultrapassagem de Serra pelo Haddad, hein? Datafolha? Vox Populi? Ibope?

No ritmo de crescimento do Haddad, 1 p.p. diário, ele passará o Serra em mais 3 ou 4 dias, no máximo.

No fundo, o que está acontecendo agora é que o povo de São Paulo está dizendo um grande e rotundo não a quem lhe virou as costas, a dupla Serra-Kassab.

Serra abandonou a prefeitura depois de apenas 15 meses de mandato. E Kassab priorizou a criação do PSD, deixando a cidade às moscas.

Com isso, a vida do paulistano virou um caos. Afinal, cadê o seu prefeito? O que ele fez de importante? Como ele cuidou da cidade? Não cuidou e, com isso, ela virou um caos.

A resposta para esse abandono está sendo dada agora.

Serra e Kassab abandonaram a cidade e o seu povo e este, agora, lhe dá o troco. 


Links:

http://g1.globo.com/sao-paulo/eleicoes/2012/noticia/2012/08/russomanno-tem-31-serra-20-e-haddad-16-diz-ibope.html

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?t=ibope-haddad-empata-com-serra&cod_Post=463028&a=111

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Pesquisa Datafolha em detalhes! - por Marcos Doniseti!

Pesquisa Datafolha em detalhes! - por Marcos Doniseti!


O instituto Datafolha divulgou dados mais detalhados da sua mais recente pesquisa eleitoral para a prefeitura de São Paulo. Entre as principais informações, temos as seguintes:

1) Haddad - Passou de 21% para 40% entre os eleitores petistas (que são 25% do total da cidade) depois do início do horário eleitoral. Russomano tem 29% dos votos dos petistas, Serra tem 7% e Chalita tem 6%, Paulinho tem 4% e Soninha tem 3%.

Assim, 49% dos eleitores petistas escolhem outros candidatos. Isso é, claramente, fruto do desconhecimento em relação ao candidato do PT, que é o Haddad.

Na pesquisa anterior ao ínicio do horário eleitoral, Haddad tinha 21% dos votos dos petistas e os outros candidatos, somados, tinham 64% dos votos. Agora, Haddad tem 40%, contra 49% dos demais candidatos.

Portanto, tal como Dilma em 2010, Haddad é um novato em eleições e sofre com esse desconhecimento no início da campanha eleitoral.

Mesmo assim, dos 14% de intenções de voto que Haddad possui, 10% são de eleitores do PT e apenas 4% são de eleitores não-petistas.

Porém, se Haddad chegar ao patamar de 90% dos eleitores petistas, ele atingirá 22,5% das intenções de voto, mesmo que não conquiste mais nenhum voto entre os 75% restantes do eleitorado, o que não irá acontecer, é claro.

Se ele conquistar apenas 10% dos outros 75% de eleitores não-petistas, somados com os 90% de eleitores petistas (conquistando 22,5% dos 25% de petistas) Haddad já atingiria os 30% das intenções de voto.

Por isso, dificilmente Haddad ficará de fora do segundo turno das eleições. 

No entanto, Russomano ainda tem a simpatia de 29% dos petistas, o que dá 7,25 p.p. Assim, se o candidato do PRB perdesse todos esses votos de simpatizantes do PT, ele cairia fortemente nas pesquisas, indo para 24% das intenções de voto.

Isso mostra que Haddad ainda precisa se tornar mais conhecido entre os simpatizantes do PT para continuar crescendo e tirar votos de Russomano.

E isso é o que deverá acontecer nas próximas semanas.

Logo, como deverá perder muitos votos de petistas para Haddad, para Russomano não cair nas pesquisas ele terá que continuar a conquistar votos de outros candidatos, principalmente de José Serra. 

2) Haddad - É conhecido 'só de ouvir falar' por 27% dos eleitores; 25% dizem que 'não o conhecem'; 30% dizem que o conhecem 'um pouco'; Somente 18% dos eleitores dizem que conhecem Haddad 'muito bem'. Grau de desconhecimento chega a 52%.

3) O PT é o partido preferido de 25% dos eleitores da capital, contra apenas 9% do PSDB e 2% do PMDB.

4) Entre os eleitores cujas famílias ganham até 2 salários mínimos mensais o PT alcança 26% de apoio (contra 4% do PSDB); Entre eleitores cujas famílias ganham de 2 e 5 salários mínimos o apoio ao PT chega a 29% (contra 9% do PSDB); Entre 5 e 10 salários mínimos o PT chega a 22% (nesta faixa o PSDB chega a 20%). Na faixa de mais de 10 salários mínimos o PT chega a 15% e o PSDB a 18%.

Há claramente uma divisão de classes aqui. O PT é, disparado, o partido preferido entre os mais pobres e o PSDB cresce muito entre os mais ricos (tendo pouca penetração entre os eleitores de menor renda) embora haja um virtual empate técnico com o PT nas duas faixas de maior renda (de 5 a 10 salários mínimos e de mais de 10 salários mínimos).

5) Na categoria escolaridade, a preferência pelo PT chega a 24% entre eleitores com o Ensino Fundamental, a 28% entre eleitores com o Ensino Médio e atinge 21% entre o eleitorado com nível Superior.

6) Na pesquisa espontânea, Russomano tem 18%, Serra 13%, Haddad 9% (Candidato do PT tem 1%; logo, Haddad tem 10% e está empatado tecnicamente com Serra), Chalita 4% e Soninha 1%.

7) O índice de rejeição de Serra é de 43%, contra 21% de Haddad, 15% de Russomano, 15% de Chalita, 25% de Paulinho e 24% de Soninha.

8)  Gabriel Chalita - Apenas 16% dos eleitores o conhecem 'muito bem'; 28% o conhecem 'um pouco'; 30% o conhecem 'só de ouvir' e 25% 'não o conhecem'. Grau de desconhecimento chega a 56%.

9) O PT é mais popular entre os homens, com 29% de apoio. Entre as mulheres, o índice é de 21%.

10) Russomano é mais popular entre eleitores que tem um perfil 'petista': tem 33% entre eleitores com até o ensino fundamental e 35% entre eleitores com ensino médio; Russomano também chega a 30% entre eleitores com renda familiar de até 2 salários mínimos e 36% na faixa de 2 a 5 salários mínimos. Russomano também vai bem na faixa de 5 a 10 salários mínimos (onde o PSDB é mais popular), chegando a 31%.

11) Serra consegue apenas 61% dos votos de eleitores do PSDB. Entre estes, Russomano chega a 23%. Até Chalita consegue 9% dos votos de eleitores tucanos.

12) Entre os eleitores sem partido, Russomano tem 31%, Serra 21%, Haddad 6% e Chalita 6%. Isso mostra que Haddad tem pequena penetração, ainda, entre os eleitores que não tem preferência partidária (estes representam 52% do total).

13) Dos 31% de intenção de voto de Russomano, 7,1 p.p. são de eleitores petistas. Assim, se eles o abandonarem, Russomano cairá para 24% das intenções de voto, a não ser que compense esta queda com votos de outros eleitores não-petistas.

14) Até Chalita obtém 22% dos seus votos entre eleitores do PT. Se ele os perder (e não conquistar o voto de mais nenhum eleitor não-petista), ele cairá de 7% para 5,5% das intenções de voto.

15) Russomano obtém 24% dos seus votos entre Evangélicos Petencostais e 10% entre Evangélicos Não-Petencostais, somando 34% dos seus votos entre os mesmos.

16) Haddad obtém 18% dos seus votos entre Evangélicos Petencostais e 6% dos seus votos entre Evangélicos Não-Petencostais, somando 24% dos seus votos entre os mesmos. No caso de Serra os índices são de 18% e 9%, respectivamente.

Assim, nota-se uma penetração maior de Russomanos entre os Evangélicos. Dos seus 31% de intenção de voto, ele obtém 10,5 p.p. entre os Evangélicos. No caso de Serra, dos seus 22%, ele obtém 6 p.p. entre eleitores Evangélicos. No caso de Haddad, dos seus 14% alcançados na pesquisa, 3,4 p.p. vem de eleitores Evangélicos.

Assim, caso queira continuar crescendo e possa derrotar Russomano, Haddad precisa aumentar as suas intenções de voto entre os eleitores Evangélicos.

17) 43,2% dos eleitores disseram que assistiram ao horário eleitoral, contra 56,8% que não assistiram.

18) Entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral, o resultado foi o seguinte: Russomano 35%; Serra 22%; Haddad 17%; Chalita 8%; Soninha 3%, Paulinho 2%.

19) Entre os eleitores que não assistiram ao horário eleitoral, o resultado foi esse aqui: Russomano 28%; Serra 21%; Haddad 12%; Chalita e Soninha 5%; Paulinho 3%.

Assim, nota-se que Russomano sobe 7 p.p., Haddad cresce 5 p.p. e Chalita sobe 3 p.p. entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral. Serra ganha apenas 1p.p. Soninha perde 2 p.p. e Paulinho perde 1p.p.

20) Entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral, o índice de Brancos-Nulos-Nenhum é de 9%. Entre os que não assistiram o índice chega a 23%.

Logo, o horário eleitoral faz diferença, sim. As pessoas podem até não assistir a todos os programas, mas elas o vêem, sim, e o usam para se informar e tomar as suas decisões.

21) Na pesquisa de Julho do Datafolha (dias 19 e 20) Serra era o preferido de 82% dos eleitores tucanos. Agora, ele é escolhido por apenas 61% dos tucanos.

Assim, Serra perdeu 25,6% dos votos que tinha entre os simpatizantes do PSDB, mostrando o progressivo esvaziamento da sua candidatura entre a sua própria base eleitoral. Enquanto isso, Russomano passou de 7% para 23% entre os simpatizantes do PSDB. Até Chalita subiu de 6% para 9% de votos entre os tucanos.

22) Apesar de ser chamado de 'Coiso' por muitos dos seus detratores, Serra lidera entre os Espíritas, com 36%. Russomano tem 22% e Haddad 14%.

23) Os maiores índices de Rejeição de Serra estão entre eleitores de 16 a 24 anos e  de 25 a 34 anos, Em ambas as faixas, a Rejeição de Serra chega a 50%. No quesito Escolaridade, a sua maior Rejeição se dá entre os eleitores com ensino médio (46%) e no aspecto da  renda familiar, a maior rejeição se dá entre eleitores com renda de 2 a 5 salários mínimos (49% de rejeição).

Entre os eleitores com renda familiar superior a 10 salários mínimos, o mais rejeitado é Paulinho (45%), seguido de Haddad (30%), Serra e Soninha (ambos com 29%).

24) Entre os eleitores de Russomano, o mais Rejeitado é Serra (59%), seguindo de longe por Soninha (29%) e Haddad (25%).

25) Entre os eleitores de Serra, Haddad é rejeitado por 37%, Russomano por 30%, Paulinho por 38% e Soninha por 35%.

26) Entre os eleitores de Haddad, Serra é rejeitado por 69%, seguido por Levy Fidelix (25%). Russomano é rejeitado por 20%.

27) Entre os eleitores de Soninha, 75% rejeitam Serra. Já entre os eleitores de Chalita, 53% rejeitam Serra.

Isso é bem interessante, porque Soninha é aliada de Serra. Mas, se ela o apoiar, caso ela vá para o segundo turno, isso será bem mal visto pelos eleitores dela.

28) Entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral, a Rejeição de Serra chega a 48%. Entre os que não asssistiram, o índice é de 40%.

29) No caso de Haddad, a rejeição é de 20% entre os eleitores que assistiram ao horário eleitoral e de 21% entre os que não assistiram.

30) No caso de Russomano, o índice de rejeição é o mesmo (15%) entre os eleitores que assistiram e os que não assistiram ao horário eleitoral.

31) Entre os eleitores cujas famílias ganham até 2 salários mínimos, 30% somente 'ouviram falar' de Haddad e outros 33% 'não o conhecem'. Entre os eleitores com renda familiar de 2 a 5 salários mínimos, 27%  'só ouviram falar' de Haddad e 23% 'não o conhecem'.

Assim, entre os eleitores de menor renda há um elevado grau de desconhecimento quanto à Haddad.

Link:

http://datafolha.folha.uol.com.br/folha/datafolha/tabs/int_voto_pref_sp_28082012.pdf

Por que Haddad e Russomano deverão se enfrentar no 2o. turno! - por Marcos Doniseti!

Por que Haddad e Russomano deverão se enfrentar no 2o. turno! - por Marcos Doniseti!

Com a candidatura de Russomano, o eleitorado conservador de São Paulo encontrou o seu 'homem novo'!




Alguns dados interessantes da mais recente pesquisa Datafolha (que foram retirados do jornal "Agora SP" de hoje) apontam para uma forte possibilidade de que os candidatos Haddad e Russomano irão se enfrentar no segundo turno da eleição paulistana.

Cheguei à essa conclusão devido às seguintes informações trazidas pela pesquisa Datafolha:

1) Haddad cresceu 19 pontos entre os eleitores do PT. Assim, uma parcela cada vez maior dos petistas paulistanos está descobrindo que ele é o candidato do partido, se identifica com ele e o escolhe como seu candidato. Daí, Haddad cresce nas pesquisas, é claro. É praticamente certo de que o próprio crescimento de Haddad vá atraindo para a sua candidatura os demais eleitores petistas da capital que ainda não o escolheram como seu candidato, permitindo que ele continue aumentando as suas intenções de voto. Provavelmente, esse processo levará Haddad para um patamar em torno dos 30% já nas próximas semanas.

2) Russomano subiu 16 pontos entre os eleitores do PSDB. Isso mostra que ele está sendo visto como a alternativa mais viável entre os eleitores mais conservadores da capital paulista para poder derrotar Haddad. É provável que ele esteja, portanto, herdando o voto tucano (e malufista também) e conservador anti-petista, que reúne, pelo menos, 30% dos eleitores paulistanos. Estes eleitores se cansaram de Serra (fortemente desgastado pela derrota em 2010, pela sua antipatia natural e pelo abandono da prefeitura depois de 15 meses de mandato). Estes eleitores conservadores, agora, vêem em Russomano uma alternativa melhor do que Serra para evitar uma vitória do PT na cidade.

Assim, se o ex-presidente Lula encontrou em Haddad o 'homem novo' do PT para tentar recuperar o controle do governo da capital paulista, os próprios eleitores conservadores paulistanos encontraram em Russomano o 'homem novo' que a Direita precisa para enfrentar e derrotar o PT e manter a sua hegemonia na cidade, visto que Serra-Kassab passaram por um forte processo de desgaste e não tem mais condições de garantir o controle da cidade para as forças conservadoras.

Esse desgaste ocorreu, fundamentalmente porque ambos, Serra e Kassab, trataram a cidade e o seu povo com total e absoluto desprezo.

Serra priorizou cargos tidos como mais importantes, como o governo do estado e a presidência da República, enquanto que Kassab deu muito mais valor ao processo de criação do PSD do que à gestão dos problemas da cidade.

E grande parte da população da cidade de São Paulo pode até ser conservadora, mas masoquista não é, não, e percebeu esse descaso com que ambos tratatam a cidade e o seu povo e o quanto isso resultou em grandes prejuízos para a sua qualidade de vida. 

Foi esse abandono que resultou no estado caótico no qual a maior cidade brasileira se encontra atualmente.

Assim, a ambição desmedida da dupla Serra-Kassab acaba sendo a grande responsável pela sua derrocada. Como diz o famoso chichê 'Quanto mais alto se sobe, maior é a queda'. Serra-Kassab esqueceram disso e se deram mal.

3) Serra caiu 15 pontos entre os eleitores do PSDB. Espantoso, não? Isso mostra que nem os próprios tucanos suportam mais o Serra. É como se os tucanos dissessem 'Chega! Cansamos! Vá para casa!' para Serra.

O que se pode concluir disso? Que o crescimento de Haddad se deu, também, entre eleitores de Russomano que simpatizam com o PT, mas que não sabiam que Haddad era o candidato do partido, e que simpatizavam com o candidato do PRB. Agora, esse eleitorado petista de Russomano que, muito provavelmente, é fortemente concentrado nas periferias paulistanas, já começou a migrar para Haddad, num processo natural, até, e isso deverá continuar nas próximas semanas. 

Assim, tudo indica que Haddad continuará crescendo, à medida que os eleitores do PT das periferias da cidade forem transferindo a sua preferência de Russomano para ele.

Também é muito provável que, à medida que Serra caia ainda mais nas pesquisas e que a sua rejeição aumente, Russomano continue recebendo votos dos eleitores tucanos e conservadores que rejeitam o PT, esvaziando ainda mais a candidatura tucana. Não duvido que Serra caia para um patamar em torno de 10% dos votos.

A continuar nesse rumo, entendo que é praticamente certa uma disputa entre Russomano e Haddad no segundo turno, com Alckmin, o PSDB e todas as forças conservadoras de SP se transferindo de mala e cuia para a candidatura do candidato do PRB que, afinal, será o único que poderá derrotar Haddad. 

E como até o final do ano passado, Russomano era do PP malufista, não é de se duvidar que ele também acabe herdando os votos dos eleitores malufistas da capital. 

Assim, a aliança de Haddad com o PP teria valido a pena somente pelos 90 segundos que ganhou no horário eleitoral. Mais nada. Em termos de votos não deverá acrescentar quase nada.

E daí, teremos novamente, nessa eleição, a antiga polarização que domina a capital paulista desde a Redemocratização, com a disputa sendo sempre entre um candidato do PT e um outro, de perfil conservador, anti-petista. Desde a vitória de Luiza Erundina, em 1988, que derrotou Maluf (o então candidado conservador) que este é o cenário dominante na capital paulista.

Portanto, a eleição municipal irá confirmar, e não negar (como alguns especialistas já estão dizendo por aí) a divisão do eleitorado da capital entre eleitores progressistas e conservadores, entre petistas e anti-petistas, entre Direita X Esquerda.

E a decisão da ex-prefeita Marta Suplicy de participar ativamente da campanha de Haddad reforça ainda mais esse caráter de polarização e confronto entre forças progressistas e conservadoras na capital paulista, visto que ela é vista como inimiga mortal da Direita paulista, já que quando governou a cidade deu prioridade total para investimentos nas regiões mais pobres da cidade e para a melhoria da qualidade dos serviços públicos. 

As realizações de Marta na área da Educação (com os CEUs) e de Transportes (Bilhete Único, 5 corredores exclusivos, renovação da frota da cidade, etc) demonstram claramente essa visão diferente de como se deve administrar a cidade. 

Basta ver que os governos Serra-Kassab, em 8 anos, fizeram bem menos do que Marta nestas duas áreas.

E é claro que, nessa virtual guerra, os dois lados irão mobilizar todas as suas armas e todos os seus recursos a fim de vencer a eleição na cidade que tem o terceiro maior orçamento do país, ficando atrás apenas dos orçamentos do Governo Federal e do governo do estado de SP.

Haddad terá o apoio total de Lula e de Dilma, é claro. E Russomano terá toda a Direita paulista ao seu lado, incluindo a Grande Mídia que, com certeza, já deve ter notado que a dupla Serra-Kassab chegou ao fim e que 'agora é Russomano'.

Como se percebe, na capital paulista, 'continua tudo como Dantes, no quartel de Abrantes'. E como também se diz há muito tempo: 'Quanto mais as coisas mudam, mais elas permanecem iguais'.

A eleição muncipal deste ano na capital paulista é a confirmação de tudo isso. 



Análise adicional!

Se eu fosse da coordenação da campanha de Haddad, esqueceria do Serra e já começaria a pensar numa estratégia para enfraquecer e desgastar Russomano e daria a isso um caráter de prioridade máxima.

Existe uma clara tendência no sentido de 'afunilamento' dos votos em direção à Russomano (conservadores) e Haddad (progressistas). 

Se a campanha do petista demorar para começar a tentar desgastar Russomano, corre-se o risco de que este continue crescendo, consolide os seus votos e acabe ganhando a eleição ainda no 1o. turno. 

E daí, quando Haddad começar a pensar em fazer algo deste tipo (polarizar com Russomano) já será tarde demais.

Até há alguns dias atrás, pensei que Chalita iria dar uma arracanda e atrair o voto conservador que se desencantou com a dupla Serra-Kassab. Mas tudo indica que isso não aconteceu devido à força de Russomano que conseguiu atrair esse voto tucano-conservador para a sua candidatura devido ao rápido processo de esvaziamento da candidatura de Serra (este deverá terminar a eleição com, no máximo, uns 10% dos votos).

E Russomano tem uma forte penetração junto ao eleitorado mais popular de São Paulo, onde tem muitos eleitores conservadores, também, principalmente em questões de comportamento. 

Quando Russomano disse, recentemente, que desejava 'uma igreja em cada quarteirão', foi para esse eleitorado popular-conservador que ele estava falando, a fim de consolidar a sua candidatura entre o mesmo. E se ele conseguir isso e, ao mesmo tempo, conseguir atrai o voto da classe média-alta anti-petista (nos bairros de classe média-alta da capital paulista os candidatos de Direita chegam a obter 80% dos votos válidos), ele ganhará a eleição e isso poderá vir a acontecer ainda no 1o. turno.  

Além disso, se a candidatura de Celso Russomano continuar crescendo, atraindo o voto conservador, tanto o de extração popular, como o de origem mais elitista, muitos eleitores petistas que, atualmente, simpatizam com a sua candidatura, também poderão votar nele. Ele receberá o famoso voto 'útil', de quem vota em quem está liderando a disputa. Este é o eleitor que não gosta de 'perder o voto'.

Com tudo isso, Russomano terá chances reais de vencer a eleição ainda no 1o. turno. 

Portanto, a campanha de Haddad tem que começar a desgastar o candidato do PRB desde já, a fim de polarizar a eleição com o próprio e, assim, atrair os votos dos petistas restantes que continuam tendo a intenção de votar nele, Russomano.

Acorda, Haddad! Serra já era! Russomano é o adversário a ser batido nesta eleição!

Meus comentários no Twitter e a Rejeição ao Serra! - por Marcos Doniseti!

Meus comentários no Twitter e a Rejeição ao Serra! - por Marcos Doniseti!



1) O povo não entende lhufas sobre esse tal de STF, mas sabe tudo sobre o Metrô superlotado, o hospital abandonado e a creche ruim.

2)  O povo vai parar com essa prefeitura criminosa, com certeza. Afinal, as eleições estão chegando e Serra-Kassab terão o fim que merecem.

3) Depois do último Datafolha, sabem o que o Haddad falou para o Serra? "É Serra, Tá Russo, Mano...'.

4)  "Tentando descobrir que cazzo o Edenilson estava fazendo dando 1km de condição pro Fred...":

Meu Comentário - Ele pensava 'eu, eu, eu, o Serra se f...eu'... rs

5) Sugestão para o PSDB: Escondam o Serra e mostrem o vice dele, o Schneider... Vai que o povo pensa que ele é candidato e acaba subindo nas pesquisas!!

6)  Serra na TV: "Se a gente continuar nesse ritmo, em 10 ANOS SP vai ter muitos BAIRROS BACANAS":

Meu Comentário - Até lá a sua Rejeição já estará em 500%!

7)  Em pleno dia de condenação no STF, candidatos do PT subiram nas pesquisas em SP, P.Alegre, BH e Fortaleza. É o povo mandando o STF se f...

8)  "Cavendish utiliza direito de ficar calado e é dispensado de CPMI":

Meu Comentário - Serra deveria fazer o mesmo. Quem sabe a rejeição dele para de subir.

9)  "O grau de felicidade das pessoas vai bem além de medir o PIB de 1 país":

Meu Comentário - Verdade! Bastou a rejeição ao Serra chegar a 43% e já fiquei feliz!

10)  "rodrigo maia tem 5% no rio":

Meu Comentário - Não se preocupa, não, que jájá o Serra empata com ele...rs

11)  Com o Aécio cambaleando e o Serra despencando, o PSDB vai desmoronando. Pronto, virei poeta...rs

12)  Com essa rejeição, nem o Capeta vai querer saber da companhia do Serra. O Capeta vai dizer 'Xô, Capeta', para o Serra.

13)  "O Planeta Dos Macacos: A Origem, prelúdio com James Franco":

Meu Comentário - Conheço um filme melhor: "Rejeição ao Serra - A Origem', com o próprio.

14)  "REJEIÇÃO A SERRA VIRA EPIDEMIA":

Meu Comentário - Mas como ele foi eleito Melhor Ministro da Saúde do mundo, ele vai resolver isso rapidinho... rs

15)  Noblat pergunta se os paulistanos cansaram do Serra? Sim, com certeza. E também não dão a mínima para o STF. Senão, Haddad não cresceria.

16)  "Serra adere à moda laranja na campanha":

Meu Comentário - Isso é má idéia! A seleção da Holanda, que usa laranja, é tri-vice-campeã mundial...


17)  Com apenas 3 programas de TV Haddad subiu de 8% para 14%.E muitos eleitores ainda não viram os programas. A tendência é de crescer ainda mais.

18)  O povo pode não saber nada sobre esse tal de STF. Mas sobre metrô superlotado ele sabe tudo... Eu, eu, eu o Serra se f...eu!

19)  Já falei aqui e no meu blog: Tucanada, aproveita que vocês estão coligados com o PR e troca o Serra pelo Tiririca. Pior que tá, não fica!!!

20)  O Serra já chegou a 43% de Rejeição. E os adversários nem precisaram falar sobre o "Privataria Tucana', hein!

21)  Se perguntarem ao povo o que é STF, quantos saberão responder? Poucos. Mas se perguntarem sobre metrô lotado, o povo sabe tudo. Entendeu, PIG?

22)  Quanto mais votos o STF dá para condenar os 'mensaleiros', menor é a intenção do voto do Serra. Conexão entre os 2 fatos: Povo se lixa para o STF.

23)  Quanto ao Serra, essa eleição já era para ele. Sua carreira política terminoul. Ainda bem. Nos livramos do Rei das Baixarias.

 24) Mais uma semana de campanha e o Haddad ultrapassa o Serra. Russomano começará a cair em breve, a meu ver. E Chalita deverá subir.

25)  Datafolha: Serra tem 43% de REJEIÇÃO. Rejeição ao Serra vai ganhar no 1o. turno! Ele é um Jênio, como diz o PHA!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

O STF não está julgando o 'mensalão'? Então, porque o Serra despenca nas pesquisas e a sua rejeição cresce tanto? - por Marcos Doniseti!

O STF não está julgando o 'mensalão'? Então, porque o Serra despenca nas pesquisas e a sua rejeição cresce tanto? - por Marcos Doniseti!



Algum colunista da Grande Mídia poderia me explicar o seguinte fato:

Afinal, porque quanto mais votos o STF dá para condenar os 'mensaleiros', menor é a intenção do voto do Serra? Qual é a conexão existente entre os dois fatos, afinal? 

Simples: 

O povo está se lixando para o STF e para os seus juízes  midiáticos. 

As pessoas podem não saber o que é o tal do STF e para que, afinal, ele serve. 

Mas elas sabem muito bem de assuntos como Metrô superlotado, saúde pública em péssimo estado, ônibus precários, congestionamentos, enchentes todos os anos, enfim, elas sabem tudo que esteja relacionado com a sua vida.

Entenderam, agora, Merval Pereira, José Nêumanne Pinto, Arnaldo Jabor, Miriam Leitão e Eliane Cantanhêde???

Se não entenderam, então tratem de entender, antes que vocês se tornem inteiramente irrelevantes, ok?


Links:

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com.br/2012/08/vox-populi-haddad-sobe-para-14.html



http://www.redebrasilatual.com.br/temas/politica/2012/08/russomano-consolida-lideranca-haddad-cresce-e-serra-tem-queda-forte

Tracking do PT mostra Haddad (15%) empatado tecnicamente com Serra (19%)! - por Marcos Doniseti!

Tracking do PT mostra Haddad (15%) empatado tecnicamente com Serra (19%)! - por Marcos Doniseti!

Russomano lidera com 30%! 




Segundo o colunista Lauro Jardim, uma pesquisa (tracking) feita pelo PT teria dado os seguintes resultados:

Russomano - 30%;
Serra - 19%;
Haddad - 15%.

Caso este resultado seja confirmado pelas próximas pesquisas que serão divulgadas nos próximos dias (Vox Populi, Ibope e Datafolha), então isso já iria configurar um empate técnico entre os candidatos do PT e do PSDB.

E não é de se duvidar que esse cenário de empate técnico entre os dois candidatos seja, de fato, verdadeiro, visto que os ataques do candidato tucano contra Haddad se intensificaram bastante nos últimos dias, chegando até ao absurdo de chamar o Bilhete Único Mensal, proposto por Haddad, de 'bilhete mensaleiro'.

Somente uma aproximação de Haddad em relação à Serra é que poderia explicar tamanha agressividade do ex-prefeito de São Paulo (por apenas 15 meses, é claro) contra o candidato do PT.

Em todo o caso, vamos aguardar a divulgação das próximas pesquisas para se constatar se este cenário de empate técnico entre Serra e Haddad se confirma ou não.

Link:

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/eleicoes-2012/pesquisas-a-rodo-3/

Grande Mídia pressiona por condenações sem provas e ameaça a Democracia no Brasil! - por Marcos Doniseti!

Grande Mídia pressiona por condenações sem provas e ameaça a Democracia no Brasil! - por Marcos Doniseti!





















































terça-feira, 28 de agosto de 2012

Meus comentários no Twitter e os incêndios em favelas de SP! - por Marcos Doniseti!

Meus comentários no Twitter e os incêndios em favelas de SP! - por Marcos Doniseti!



Tenho conta no Twitter, que é zilhões de vezes melhor do que aquela porcaria do Facebook (onde também tenho conta, mas que não uso muito) e decidi reproduzir aqui no blog alguns dos comentários que faço por lá. Primeiro, eu posto a mensagem de outra pessoa e depois o meu comentário. Outras vezes eu coloco o meu comentário direto, ok?

Vamos lá, então:

1) Do 'Brasil 247': "Arrastão aterroriza Avenida Brasil, no Rio";

Meu Comentário - É que os cariocas ficaram com medo de serem atropelados pelo Aécio...

2) "Leve três livros e pague dois":

Meu Comentário - Os três livros são do Aécio: 1) Como fugir do bafômetro; 2) Cambaleando pelo RJ; 3) Caindo do cavalo com classe.

3)  "São Paulo sofre quarto incêndio em favela em duas semanas":

Meu Comentário - Nero botou fogo em Roma; Já o Kassab bota fogo em favelas. Só falta ele tocar a lira.

4)  Sugestão de pergunta ao Serra em debate: O sr. pretende dar continuidade à política do prefeito Kassab de botar fogo em favelas?

5)  "Haddad mostra diplomas e a família. E o Cerra? Cerra mostra Alckmin-Kassab":

Meu Comentário - E o diploma de graduação em Economia, ele irá mostrar quando?

6)  Soninha aparece tanto andando de bicicleta no horário eleitoral que, em breve, irá lançar o seu inovador projeto de transporte: O Aerobike!

7)  Só falta a Soninha aparecer na TV voando numa bicicleta, igual ao ET do Spielberg. Mas pior será se a compararem com a Maga Patológica.

8)  Serra irá dizer, no horário eleitoral, que os incêndios são provocados por combustão espontânea de favelados. Ele irá culpar os nordestinos, de novo.

9)  Para mim, os ministros do STF ficaram é com medo de levarem chumbo da Mídia, igual ao que aconteceu com o Lewandowski.

10)  A Grande Mídia, de fato, conseguiu submeter o STF à sua vontade. Ela acusou, julgou, condenou e o STF está lhe obedecendo cegamente.

11)  Do 'Brasil 247': "Arrastão aterroriza Avenida Brasil, no Rio":

Meu Comentário - É que os cariocas ficaram com medo de serem atropelados pelo Aécio.

12)  Financiadores de campanha já devem ter visto que o PSDB está igual ao Aécio: Cambaleando..

13)  Devem estar acelerando os incêndios em favelas porque já viram que o Serra vai perder e, daí, essa canalhice terá que acabar.

14)  "Aecio Neves mostrou que usa BH-Minas como trampolim a presidencia":

Meu Comentário - Que presidência, nada! Ele usa BH-Minas como trampolim para farrear no RJ.

15)  "O que prometeram a Marta para que ela tope ajudar Haddad? - Ricardo Noblat":

Meu Comentário - Prometeram dar a ela um helicóptero igual ao do Serra... rs

16)  "Jabor, além de mau caráter, é mentiroso. Diz que Lula roubou o Plano Real de FHC":

Meu Comentário - Ué, mas o Plano Real foi feito no governo Itamar Franco!

17)  Os incêndios em favelas paulistanas são mais do que suspeitos. Eles ocorrem porque os pobres atrapalham o 'pogresso' da Chuiça Tucana.

18)  Enquete do iG diz que FHC foi o presidente que 'mais fez pelo país'. Claro que foi! Só que esse país são os EUA e não o Brasil.

19)  Qual foi o melhor presidente da história dos EUA? Roosevelt? Kennedy? Lincoln? Nada disso... Foi o FHC, mesmo.

20)  Gilmar Mendes deu 2 habeas-corpus para o Daniel Dantas em um fim de semana, mas é o Toffoli que é criticado pela Grande Mídia? Quanta Hipocrisia!

21) Já disse ontem e repito agora. Aécio está igual ao PSDB: Cambaleando...

22) Se fosse o Rogério Ceni, ele diria que o Aécio bambiou...

domingo, 26 de agosto de 2012

Greve da Polícia Federal tem o objetivo de desestabilizar o governo Dilma, diz Protógenes!!

Perito da PF brasileira ganha US$ 88900 dólares anuais! O perito do FBI ganha US$ 51000 dólares! - por Marcos Doniseti!

Greve da Polícia Federal tem o objetivo de desestabilizar o governo Dilma, diz Protógenes!! 

 


Segundo o colunista Lauro Jardim, os peritos da Polícia Federal brasileira ganham US$ 88900 dólares por ano, enquanto que os peritos do FBI americano ganham apenas US$ 51000 dólares anuais. 


Assim, os peritos da PF tupiniquim ganham 74% mais do que os seus semelhantes do FBI. Segundo Jardim, "Para entrar na academia do FBI, um candidato a agente especial enfrenta 21 semanas de duros testes físicos e de conhecimentos, que vão do sistema legal à noções de química e biologia. Se aprovado, sai ganhando por ano 51 000 dólares.".


Mas somentes os peritos da PF brasileira estão em greve e reivindicam um reajuste bem mixuruca de 71%, o que equivale a toda a inflação brasileira acumulada desde 2003 até 2012. Se os peritos da PF conseguissem o reajuste que desejam, o seu salário iria aumentar para US$ 152000 dólares anuais, ou seja, o triplo do que ganham os peritos do FBI.


Acredite, se quiser... 


Obs: Até o honrado ex-delegado da Polícia Federal, e atual deputado federal, Protógenes Queiroz, escreveu o seguinte em seu Twitter:

 

"Na época de FHC, que ficamos sem aumento por 10 anos, a PF nunca fez uma greve tão radical como a atual. O método é para desestabilizar o governo Dilma.". 

E não custa lembrar: Foi através de uma sucessão de greves, principalmente a dos caminhoneiros, que a CIA e o governo dos EUA conseguiram gerar uma forte crise econômica e desestabilizar o governo de Salvador Allende, no Chile, derrubando-o através de um sangrento e traiçoeiro Golpe de Estado em 11 de Setembro de 1973. 


A respeito deste assunto, leiam isso aqui, por favor:



Para agravar a situação, em setembro de 1972 iniciou-se uma greve de caminhoneiros financiada pela CIA e comandada por Leon Vilarín, um dos líderes do grupo paramilitar neofascista Patria y Libertad. A paralisação impediu o plantio da safra agrícola no país até 1973. Com o apoio dos industriais chilenos, a estratégia era provocar o desabastecimento de artigos de primeira necessidade no Chile.

Links:


A greve de caminhoneiros, financiada pela CIA, que ajudou a derrubar o governo de Salvador Allende:


http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/sala_de_aula/historia/historia_da_america/chile/ditadura_chile_1


Twitter de Protógenes Queiroz a respeito da Greve da Polícia Federal:


https://twitter.com/ProtogenesQ


Peritos da PF ganham muito mais do que os do FBI:


http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/brasil/perito-da-pf-ganha-tres-vezes-mais-do-que-agente-do-fbi/

Dívida pública e gastos com juros tem forte queda desde 2003! - por Marcos Doniseti!

Dívida pública e gastos com juros tem forte queda desde 2003! - por Marcos Doniseti!


Muito se comenta por aí sobre a questão do pagamento dos juros da dívida pública, em função do seu elevado valor nominal. 

Mas a Mídia (que, neste país, mais desinforma do que informa) usa os valores nominais para falar a respeito do assunto, levando o público a formar opiniões totalmente equivocadas sobre o mesmo. 

Exemplo disso, é que sempre que se divulgam informações  sobre a dívida pública fala-se que ela subiu ou caiu e citam valores da ordem de R$ 1,8 trilhão ou R$ 1,9 trilhão. 

E é claro que as pessoas pensam: 'nossa, que absurdo!', pois são valores muito elevados, até difíceis de serem imaginados. 

Porém, quem trata seriamente do assunto e se informa sobre o mesmo, não usa valores nominais, mas sim o quanto a dívida representa em relação ao PIB. 

Um caso desse tipo é um texto publicado no ótimo blog do Luiz C. Azenha, o 'Viomundo', a respeito da questão da dívida pública (ver link abaixo). 

Mas o que interessa, mesmo, é a proporção do PIB que a dívida e os gastos com juros da dívida pública representam. O resto é asneira e perfurmaria.

É claro que o valor nominal da dívida aumenta sempre, todos os anos. Mas o mesmo acontece com o valor do PIB e da arrecadação de impostos do Estado brasileiro. 

Então, o importante é saber qual é a proporção do PIB que a dívida e os gastos com a mesma representam. Daí, pode-se ficar sabendo se eles estão aumentando ou diminuindo, tornando-se possível tirar conclusões mais precisas sobre o tema. 

E quando se fala sobre a questão da dívida pública também é preciso levar em consideração a inflação, que é de 5% ao ano, quando se fala sobre os valores nominais. Assim, se o Estado brasileiro, por exemplo, gastou R$ 100 bilhões com juros da dívida pública no ano passado e gastará R$ 105 bilhões neste ano, o valor real é o mesmo, pois temos que descontar a inflação. Então,  o valor nominal aumentou, mas o valor real dos gastos com juros permaneceu o mesmo.

Por tudo isso, nenhum economista sério usa valores nominais quando tratam da questão da dívida pública. Usa-se, sempre, o valor em relação ao PIB, como fiz aqui.

Assim, na verdade, o quadro que temos a respeito da dívida pública brasileira é o seguinte:

1) A dívida líquida do setor público caiu de 51,5% do PIB em 2002 para 34,9% do PIB em 2012 (redução de 32%);

2) Os gastos com juros da dívida pública caíram de 7,5% do PIB em 2003 para 4,5% do PIB em 2012 (redução de 40%);

3)  A taxa Selic caiu de 12,5% ao ano, em 2002, para os atuais 8% ao ano (redução de 36%);

4) O déficit público nominal caiu de 4% do PIB para 2% do PIB atualmente.  

Portanto, hoje, o Estado brasileiro tem uma situação econômica-financeira muito melhor do que aquela que Lula encontrou quando tomou posse na Presidência da República em 2003. Naquele ano o Estado brasileiro estava falido e eramos governados pelo FMI. 

Agora, o Brasil é credor do FMI e o Estado recuperou a sua capacidade de investimentos, embora ela ainda esteja longe do ideal, pois mesmo com a redução da dívida pública ocorrida desde 2003, a mesma ainda é muito elevada, encontrando-se em 34,9% do PIB. 

Enquanto isso, a imensa maioria dos países emergentes possui dívidas públicas que vão de 10% a 25% do PIB, no máximo, e é justamente por isso que eles tem uma capacidade de investimento bem maior do que a brasileira. Como eles devem bem menos do que o Brasil, então tais países (China, Índia, etc) podem tem um nível de investimento maior e, portanto, crescer mais rapídamente.

Aliás, foi justamente em função dessa melhoria da situação das contas públicas do Estado brasileiro que ocorreu a partir de 2003 é que foi possível, por exemplo, criar os PACs 1 e 2, criar e ampliar os programas sociais (Luz Para Todos, Bolsa-Família, ProUni, etc) e elevar os investimentos públicos (foram de 1,5% do PIB em 2002 e de 2,9% do PIB em 2010). 

O grande problema de textos como os que a Grande Mídia divulga (e até mesmo o 'Viomundo') é, como eu já afirmei, que eles falam dos valores nominais da dívida e dos gastos com juros, o que é enganador, pois é claro que tais valores aumentam todos os anos. 

Mas, o mesmo acontece com o valor nominal do PIB e da arrecadação do Estado. Eles também aumentam nominalmente em todos os anos.

Portanto, é bom ter cuidado e levar tudo isso em consideração quando vocês lerem algum texto que trata do assunto. 

Sempre procurem descobrir, no texto da notícia, qual é o percentual do PIB que a dívida pública ou os gastos com juros representam, pois é essa informação que permitirá saber se eles estão aumentando ou diminuindo.

O resto é enganação!

Link:

Gastos nominais:

http://www.viomundo.com.br/denuncias/pagamento-de-juros-cai-mas-consome-quase-24-dos-gastos-do-governo.html

Dívida pública deverá cair para 31% do PIB em 2014:

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com.br/2012/08/divida-publica-liquida-cai-para-349-do.html

sábado, 25 de agosto de 2012

As mentiras de Jair Bolsonaro sobre o Golpe de 64 e a Ditadura Militar! - por Marcos Doniseti!

As mentiras de Jair Bolsonaro sobre o Golpe de 64 e a Ditadura Militar! - por Marcos Doniseti!

(revisado no dia 06/11/2010; publicado originalmente no dia 28/02/2010 no blog Guerrilheiro do Entardecer)



No vídeo cujo link postei ao final deste texto, o deputado federal Jair Bolsonaro fez um discurso repleto de mentiras e de falsidades a respeito da Ditadura Militar e daqueles que, como a ministra Dilma, lutaram contra a mesma de forma brava e heróica.

Vamos lá, então:

Comentando o vídeo com o discurso mentiroso do Bolsonaro!

1) Quem dá saudações a um Regime Militar, como fez Bolsonaro, que destruiu com todas as liberdades (de imprensa, manifestação, pensamento, reunião, organização) e que aniquilou a Democracia brasileira é porque é um Fascista, um reacionário.

Esse tipo de comportamento é coisa de quem não aceita a Democracia, tem ódio do povo e não quer permitir a participação popular no governo, querendo manter a população afastada do processo político, mesmo que tenha que apelar para a violência institucionalizada, como fez a Ditadura Militar Terrorista tupiniquim entre 1964-1985.

2) Falar que o Brasil não existiria sem as obras dos militares, como fez o Bolsonaro, é uma piada.

Quem adotou uma política de estímulo à industrialização foi o Governo de Getúlio Vargas, já no período 1930-1945, e que teve continuidade e foi aprofundada em seu segundo governo (1951-1954).

A criação da Petrobras (em 1953), a adoção da CLT (em 1942), a implantação do BNDES (em 1952), e a criação da CSN (que começou a funcionar em 1946 e que foi a primeira grande siderúrgica brasileira) é que viabilizou a industrialização do país nas décadas seguintes. Tudo isso é obra dos governos nacionalistas, trabalhistas e reformistas de Getúlio Vargas.

A indústria automobilística foi criada por JK (um antigo aliado de Getúlio e cujo vice-presidente foi Jango, do PTB varguista, herdeiro político de Vargas), que foi eleito democraticamente em 1955, e cuja posse os militares direitistas e reacionários da época tentaram impedir.

Aliás, os militares golpistas de 1955 foram os mesmos que, em 1964, derrubaram o governo legítimo, constitucional e democrático de Jango.

O governo JK também aumentou consideravelmente a produção de aço (que cresceu mais de 300% em 5 anos) e criou 10 novas universidades federais (recorde que somente foi superado agora, pelo governo Lula, que criou 14 novas universidades federais).

O governo Jango, por sua vez, criou a Eletrobras, que modernizou e expandiu todo o sistema elétrico brasileiro nas décadas seguintes. Os primeiros estudos que resultaram na construção de Itaipu foram feitos no governo Jango. O Estatuto do Trabalhador Rural também foi criado no governo Jango. A Universidade de Brasília foi implantada no governo Jango e serviu de modelo (embora em condições totalmente violentas e repressivas, é claro) para a reforma universitária de 1969. Também foi o governo Jango quem primeiro se preocupou em iniciar um programa de erradicação do analfabetismo. E o mesmo, depois, serviu de inspiração para a criação do Mobral.



Quer dizer, até mesmo algumas das principais iniciativas da Ditadura Militar foram cópias, embora mal feitas e em versões bem mais autoritárias e retrógradas, de políticas já adotadas pelo governo Jango.

E a política econômica que a Ditadura Militar inicialmente adotou (sob o comando da dupla Campos-Bulhões), no governo de Castelo Branco, foi um fracasso, pois a economia ficou estagnada, os salários foram brutalmente arrochados e o desemprego, a pobreza e a miséria aumentaram consideravelmente.

Esta crise econômica e social, que tivemos no governo de Castelo Branco, foi a responsável, inclusive, por jogar mais 'água no moinho' das manifestações estudantis no período 1966-1968, que foram brutalmente reprimidas pela Ditadura Militar.

Daí, o que fizeram os governos ditatoriais subseqüentes (de Costa e Silva, Médici e Geisel)?

Ressuscitaram a política de estímulo à industrialização que foi inicialmente implantada por Vargas (cuja memória a Ditadura Militar tentou destruir, mas não conseguiu) e que teve continuidade nos governos de JK e Jango, marcadas por uma significativa intervenção do Estado na economia.

E mesmo assim, a Ditadura Militar conseguiu a proeza de não conseguir concluir obras como a ‘Ferrovia do Aço’, ‘Transamazônica’, ‘Projeto Nuclear’ e ‘Itaipu’. Gastaram dezenas de bilhões de dólares nestas obras e não concluíram NENHUMA. Por que? Simples: Incompetência e Corrupção!

Atualmente, temos em andamento, novamente, grandes obras de infra-estrutura como a Transnordestina, a Ferrovia Norte-Sul, as obras de Transposição do Rio São Francisco, a construção e a duplicação de milhares de quilômetros de rodovias, a construção de hidrovias, usinas hidrelétricas, refinarias, siderúrgicas, entre muitas outras.

Se o Sr. Bolsonaro conhece algum caso concreto de superfaturamento nestas obras, então ele tem a obrigação de denunciar isso para a Justiça, para que tais pessoas sejam devidamente julgadas e condenadas por isso. Do contrário, ele é um cúmplice destas irregularidades.

3) Citar o caso de Celso Daniel é piada. A Polícia Civil do governo do estado de SP, controlada inteiramente pelo PSDB, fez DOIS inquéritos para investigar as causas da morte do ex-prefeito de Santo André e, em ambos, concluiu a mesma coisa, ou seja, que Celso Daniel foi vítima de criminosos comuns.

Será que a Polícia Civil de SP não sabe fazer inquéritos?

Por que Bolsonaro não pergunta à Polícia Civil paulista a razão da mesma não ter conseguido encontrar nenhuma prova de que o PT ou qualquer pessoa ligada ao partido tenha tido alguma ligação com esse odioso crime?

Com a palavra, o Sr. Bolsonaro.

4) O fascista e reacionário do Bolsonaro ignora, ou finge ignorar, que os atos armados que ele cita em seu discurso, feitos por organizações guerrilheiras da época da Ditadura Militar, visavam obter recursos para financiar a própria guerrilha e não promover o enriquecimento pessoal dos seus integrantes.

Portanto, estes atos armados não eram ações criminosas comuns, mas ações políticas que tinham por finalidade manter a luta e a resistência contra uma Ditadura Militar Terrorista que havia destruído a Democracia e exterminado todas as liberdades e direitos da população.

Inclusive, a doutrina da Igreja Católica, a Declaração Universal dos Direitos Humanos e o Liberalismo defendem o direito das pessoas lutarem, com armas na mão, contra regimes tirânicos e que destruíram as liberdades e os direitos da população.
Em 1968, os militares invadiram a Universidade de Brasília. É disso que Bolsonaro tem saudades?
O caráter permanente do AI-5, aliás, pode ser confirmado por um fato bem simples: ele não tinha data para deixar de vigorar, como ocorreu com os Atos anteriores.

Quanto ao dinheiro do Adhemar de Barros que ele citou no vídeo, o mesmo foi fruto de CORRUPÇÃO. O dinheiro estava na casa da amante de Adhemar e a VAR-Palmares, organização da qual Dilma fez parte, tinha um integrante que era sobrinho da amante de Adhemar e sabia que o dinheiro que ele roubava do povo, fruto de CORRUPÇÃO, era guardado na casa dela. Era dinheiro do povo brasileiro, portanto, e que o Adhemar roubou na cara-dura.

O slogan de Adhemar, inclusive, era ‘Rouba, Mas Faz!’, mas parece que o sr. Bolsonaro não sabe de nada disso, coitado!

5) Bolsonaro ataca a UNE, tal como a Ditadura Militar também o fez, inclusive queimando a sede da entidade na época e proibindo os estudantes de participar de qualquer atividade política. A formação de Grêmios Estudantis, por exemplo, foi proibida pela Ditadura Militar (Lei Suplicy de Lacerda).

A UNE foi um dos baluartes da resistência à Ditadura Militar Terrorista e muitos dos integrantes do movimento estudantil da época, incluindo Dilma (que atuava no movimento estudantil de Belo Horizonte), depois do AI-5, perceberam que se quisessem continuar lutando contra a Ditadura Militar teriam que partir para algum tipo de luta armada, pois todos os canais de participação política que eram pacíficos e democráticos haviam sido fechados pela Ditadura.

Assim, não restou outra alternativa, para quem quisesse continuar lutando contra a Ditadura, a não ser participar da luta armada. Esta, nunca foi a primeira opção dos oposicionistas, mas a Ditadura Militar Terrorista não lhes deixou qualquer outra possibilidade de atuação política. Ou se lutava, com armas na mão, ou se recolhia ao silêncio. Alguns poucos milhares de brasileiros e brasileiras corajosos optaram por lutar. E entendo que devemos ser profundamente gratos a eles, pois tais pessoas não permitiram que as chamas da luta pela redemocratização e do país e pela construção de um país mais justo se apagassem.

Tanto isso é verdade que foi somente depois do AI-5 que começaram, para valer, a se formar grupos guerrilheiros. Antes, priorizava-se a luta política pacífica e democrática. Esta não continuou porque a Ditadura Militar não permitiu. Mas, o Sr. Bolsonaro finge ignorar tudo isso, embora todos estes fatos sejam de conhecimento público e notório.

Com todo o respeito, mas chamar Bolsonaro de burro é uma ofensa aos burros. Ele é mentiroso ou então nada sabe a respeito do que diz neste seu discurso patético.

Citar editoriais da Grande Imprensa da época a respeito do Golpe de Estado contra Jango, como faz Bolsonaro neste discurso, é uma verdadeira piada. E por um motivo muito simples: A Grande Imprensa foi uma das forças políticas e sociais que apoiaram o Movimento Golpista e a Ditadura Militar. E isso já acontecia há vários anos.

Em Setembro de 1961, por exemplo, os jornais, reacionários e de Direita, ‘O Estado de S.Paulo’ e ‘O Globo’, apoiaram a tentativa de Golpe de Estado que visava impedir a posse de Jango na Presidência da República. E fizeram isso mesmo sabendo que a Constituição brasileira determinava que, quando um Presidente renunciava ao cargo (como fez aquele golpista do Jânio), o Vice-Presidente deveria tomar posse no mesmo.


Jango defendia as Reformas de Base, mas queria colocá-las em prática dentro das regras do jogo democrático. 
E nos anos seguintes, 1961-1964, a Grande Imprensa fez toda uma campanha difamatória contra Jango e contra as ‘Reformas de Base’, dizendo que elas representariam a ‘comunização’ do país.

Assim, para estes reacionários da Grande Imprensa, acabar com o analfabetismo, fazer Reforma Agrária, permitir que os trabalhadores rurais desfrutassem de direitos sociais e trabalhistas era ‘coisa de comunista’, embora tais realidades já estivessem devidamente implantadas em todos os países CAPITALISTAS avançados naquela época.

O governo Jango não tinha nada de comunista. Era um governo nacionalista, democrático e reformista e que contava com ampla participação popular. Portanto, é uma gigantesca asneira dizer que o mesmo queria implantar uma ‘Ditadura do Proletariado’ no Brasil.

E quem, na verdade, enviou dinheiro para o Brasil a fim de modificar o tipo de governo e de sociedade que tínhamos na época, foram os EUA que, principalmente através da CIA e de outros organismos estatais, enviou dezenas de milhões de dólares para financiar os movimentos golpistas que se articulavam no país e do qual fazia parte a ‘fina flor’ das Elites tupiniquins, como Grandes Empresários, Latifundiários, Multinacionais, Banqueiros, Grande Imprensa, Igreja Católica, Classes Médias abastadas.

E nas eleições parlamentares de 1962, apenas a CIA enviou vários milhões de dólares (que na época valiam muito mais do que hoje) para financiar a eleição de parlamentares comprometidos com os interesses dos EUA e das Elites brasileiras e impedir que o PTB se tornasse o partido dominante no cenário político brasileiro, pois o mesmo estava crescendo rapidamente, já que era o partido preferido dos pobres e dos trabalhadores assalariados, tal como ocorre hoje com Lula e com o PT.

E o PTB era um partido nacionalista e reformista de Centro-Esquerda que era a maior força política progressista do país na época, sendo infinitamente maior do que o PCB que, além de ser ilegal, somente tinha maior influência entre estudantes e intelectuais.

Portanto, apenas um notório desinformado ou um mentiroso como Jair Bolsonaro para afirmar que o objetivo do governo Jango era implantar uma ‘ditadura do proletariado’ no Brasil.

E o governo Jango jamais, em momento algum, chegou a elaborar qualquer plano para dar um Golpe de Estado. Muito pelo contrário. Jango sempre governou em total acordo com a Constituição. Se ele quisesse ter dado um Golpe, ele o teria feito. Não o fez porque era um democrata convicto. Mas, Bolsonaro finge ignorar isso para poder deturpar a história e justificar um Golpe de Estado ilegal e criminoso contra um governo democrático e constitucional, que era o de Jango.

Bolsonaro cita partidos políticos em seu discurso medíocre e mentiroso, mas não diz que a mesma Ditadura Militar, ainda antes da ‘eleição’ fajuta de Castelo Branco pelo Congresso Nacional, editou o AI-1 e cassou o mandato e os direitos políticos de inúmeros políticos eleitos pelo povo, principalmente os do PTB, é claro.


Acima, vemos algumas das vítimas da Ditadura Militar da qual Jair Bolsonaro morre de saudades...

E ele também não diz que, posteriormente, com o AI-2, todos os partidos políticos foram extintos e foram criados 2 partidos, o MDB (de ‘oposição tolerada ou consentida’ pela Ditadura) e a ARENA (de sustentação da Ditadura Militar). Bolsonaro também não diz que centenas de políticos eleitos pelo povo tiveram os seus direitos políticos suspensos e seus mandatos cassados pela Ditadura Militar.

Aliás, a radicalização da Ditadura Militar foi tal que até mesmo Adhemar de Barros, Jânio Quadros e Carlos Lacerda (todos notórios políticos conservadores e direitistas), que apoiaram ao Golpe de 64, perderam os seus direitos políticos.

E as eleições para Presidente da República, Governadores de estado, prefeitos das capitais e de cidades consideradas como de ‘Segurança Nacional’ (Santos, Volta Redonda, etc) passaram a ser realizadas indiretamente, sem qualquer participação popular neste processo.

Foi em função de tudo isso que os brasileiros ficaram 29 anos seguidos sem poder eleger diretamente o Presidente da República.

Falar que a Justiça não funcionava antes da Ditadura Militar é uma deslavada mentira da parte de Bolsonaro. E a Ditadura Militar adotou, depois, medidas que reduziram substancialmente a autonomia do Poder Judiciário, interferindo na composição do STF, afastando juízes que votavam sempre em defesa do cidadão e da Democracia, como foi o caso de Evandro Lins e Silva (que foi afastado do STF depois do AI-5 pois sempre votava contra a Ditadura e em defesa do cidadão) por exemplo. Mas, isso também não foi citado por Bolsonaro em seu discurso patético, desonesto e mentiroso.

Sobre a massa de miseráveis que Bolsonaro cita, ela é criação de um sistema capitalista que sempre concentrou renda e poder político nas mãos de poucos. E foi exatamente isso, essas injustiças e essa miséria na qual viviam dezenas de milhões, que a Ditadura Militar quis eternizar.

Os pobres e os miseráveis votam no PT e em Lula porque estes melhoraram consideravelmente as condições de vida deles, permitindo que passassem a ter um salário melhor, acesso a bens de consumo que nunca possuíram, energia elétrica, acesso à Universidade, a empregos com carteira assinada, enfim, a uma vida melhor.

Falar que esse processo de mudanças que o governo Lula implantou no país irá resultar na implantação de uma ‘ditadura do proletariado pelo voto’ é uma arrematada besteira. Primeiro, que Lula não defende isso. E o PT defende o Socialismo Democrático, sendo contrário à qualquer tipo de Ditadura.

Aliás, quem demonstrou gostar muito de Ditaduras é o Sr. Bolsonaro, que tantos elogios fez à Ditadura Militar brasileira.

E quem lutou contra a Ditadura neste país foram justamente os membros das forças políticas progressistas (nacionalistas, trabalhistas e de esquerda) que hoje governam o país, como é o caso dos ministros Dilma Rousseff e Franklin Martins e do próprio Lula, cujos movimentos grevistas aos quais liderou no final dos anos 1970 e início dos anos 1980 deram uma importante contribuição para a derrocada da Ditadura Militar.

Logo, Jair Bolsonaro é que têm muito mais condições de implantar uma Ditadura Militar Extremista de Direita neste país e não aquelas forças e lideranças políticas que lutaram, brava e heroicamente, contra a Ditadura Militar Terrorista da qual o deputado Bolsonaro mostra sentir tantas saudades.

Antes do Golpe de 1964 o Brasil era um país democrático, possuindo um governo legítimo e constitucional, e isso teria continuado caso o Golpe Militar não tivesse derrubado o governo de Jango.

E depois que acabou a Ditadura Militar, o Brasil voltou a ser um país democrático e isso continua até os dias atuais.


Portanto, foram as forças da Direita reacionária e troglodita, da qual o patético e mentiroso deputado Jair Bolsonaro é um legítimo representante, que implantaram uma Ditadura Militar no Brasil.

As forças democráticas e progressistas de Esquerda e de Centro-Esquerda jamais, em momento algum da nossa história, implantaram Ditaduras no Brasil. As forças direitistas é que fizeram isso.

O Golpe do ‘Estado Novo’, por exemplo, foi planejado e contou com uma participação ostensiva dos Integralistas, movimento de Extrema-Direita que defendia a implantação de uma Ditadura Militar inspirada no Nazi-Fascismo no Brasil.
Geisel assinou um acordo nuclear com a Alemanha, gastou US$ 30 bilhões no mesmo e, mesmo assim, não fez nenhum usina... Haja incompetência e corrupção.


E o ‘Estado Novo’ também foi uma Ditadura de Direita Extremista e brutal, tal como a do período 1964-1985. E a mesma também reprimiu duramente todos os movimentos de Esquerda da época (incluindo Socialistas, Comunistas, entre outros) como ocorreu na época da ‘Ditadura Militar’ de 1964-1985.

Logo, as forças políticas que o deputado Bolsonaro diz estar planejando a implantação de uma ‘ditadura do proletariado’ no Brasil foram, justamente, as maiores vítimas destas Ditaduras radicais e extremistas de Direita que tivemos em nosso país.

E quando estas forças progressistas e democráticas governaram o Brasil (1945-1964 e nos dias atuais), foi justamente aí, neste período, que a Democracia foi preservada e assegurada.

E toda a história do Brasil de 1930 até hoje confirma isso.

Link:

http://www.youtube.com/watch?v=qxLWWjW3T_8